Percorrendo o Roteiro do Vinho em São Roque

Quando falamos em inverno, o que provavelmente vem na sua cabeça é uma lareira e uma taça de vinho, não é mesmo? A lareira fica um pouco difícil, mas o vinho você pode encontrar Percorrendo o “Roteiro do Vinho” em São Roque, que é repleto de vinícolas, onde você pode degustar vinhos excelentes (e sucos de uva maravilhosos caso você não beba ou seja o motorista da vez). Me acompanha nessa difícil tarefa de hoje?

O Roteiro do Vinho é um dos principais atrativos turísticos da cidade de São Roque, que fica a aproximadamente 70 km da capital de São Paulo, cerca de 1h30 de carro. Vale lembrar que o cultivo da uva e a produção de vinhos na cidade de São Roque datam do século XVII, quando Pedro Vaz de Barros (fundador da cidade) percebeu as condições favoráveis da terra dessa região e junto com os moradores começaram a desenvolver essa atividade.

Vamos sorrir hoje? (Lindo Mural da Adega Terra do Vinho)

Agora voltando para o nosso passeio, seguindo pela Rodovia Raposo Tavares, na altura do Km 58, se tem acesso à Estrada do Vinho, que nos seus aproximados 10km de extensão, oferece uma variedade de vinícolas, restaurantes, destilaria, entre outros estabelecimentos. Você pode fazer esse passeio com agências de turismo ou ir por conta, de carro, parando nos lugares que mais te interessa e logo que você começa a visita, já te entregam um mapa para facilitar sua localização e para que você conheça os 39 estabelecimentos que formam esse delicioso roteiro.

Mapa do Roteiro do Vinho

A primeira adega da Estrada do Vinho é a Terra do Vinho (item 2 do mapa), que fica no Km 1, n° 300. Tudo começou em 1966 quando a família Oliveira Santos resolveu se dedicar a sua grande paixão que era o vinho, então fundaram a Cantina Vieira Santos, cujo patriarca foi o Sr. Moacyr. Com muito empenho e dedicação a cantina foi crescendo, até se tornar a “Adega Terra do Vinho”!!!

A Adega Terra do Vinho se apresenta num ambiente super agradável, com requinte e beleza e nos oferece degustação de seus vinhos que são elaborados artesanalmente com todo o cuidado para que o melhor chegue até o consumidor. Além dos vinhos, os sucos de uva também são maravilhosos!!! Para conhecer mais sobre essa vinícola e seus produtos é só dar uma olhadinha no site: www.adegaterradovinho.com.br . Quem me acompanhou nesse roteiro de hoje foram meus pais (Pedro e Dalva) e minha irmã Ane! Não basta ser família, tem que participar 😉 !!!! E acho que dessa vez a tarefa não foi tão difícil…

Na entrada da Adega Terra do Vinho
Degustação na…
…Terra do Vinho

Seguindo na Estrada do Vinho, ainda no Km 1, fica a nossa próxima parada na adega Vinhos Frank (item 3 do mapa), que foi fundada em 1965 pelo Sr. Frank Vicente dos Santos, que até hoje (com seus 95 anos) supervisiona e orienta a produção artesanal dos mais de 21 rótulos da marca “Vinhos Frank”.

Quem nos atendeu na Adega Vinhos Frank foi o Sr. Dirceu que foi muito atencioso e nos ofereceu excelentes vinhos para a degustação, que ficou bem difícil escolher o que levar pra casa…

Na Adega Vinhos Frank com o Sr. Dirceu
Família aproveitando a Degustação na Adega Vinhos Frank

Além da Adega, a Vinhos Frank também tem um restaurante (que serve comida caseira e foi inaugurado na década de 90), um quiosque (que serve vários petiscos gourmet), uma área com Máquinas Antigas usadas na vinícola, além de Espaços bem decorados que proporcionam lindas fotos. Vale a pena a visita!!! Para saber mais detalhes é só olhar o site: www.vinhosfrank.com .

Playground e Restaurante da Vnhos Frank

Continuando nosso caminho pela Estrada do Vinho no Km 2,5 (como você pode ver no mapa, tem outros restaurantes na estrada antes de chegar até aqui que também fazem parte do roteiro do vinho, mas não cheguei a conhecer porque não daria tempo de fazer tudo no mesmo dia, mas já vão ficar na lista para minha próxima visita. E se você for antes, me conta como foi sua experiência), fomos conhecer a Vila Don Patto (item 7 do mapa), que é um complexo gastronômico e de entretenimento.

A Adega Villa Don Pato conta com excelentes vinhos, desde importados, nacionais, até os da marca Don Patto que são produzidos há mais de 100 anos e bem tradicionais na cidade! Com certeza você vai apreciar muito a degustação!!!

Só uma parte da Adega Villa Don Patto…
Decoração da Adega Villa Don Patto
Momento Degustação na Villa Don Patto
Os Vinhedos da Villa Don Patto

Além da grandiosa adega e dos vinhedos, a Vila Don Patto conta com restaurantes português e italiano, cafeteria, sorveteria, boulangerie, choperia, playground, heliponto, entre outros atrativos. E o que chama muito a atenção na Vila é a sua decoração, tem lugares incríveis para você tirar fotos, entre eles os famosos Guarda-Chuvas Coloridos (em homenagem às ruas de Agueda) e que são abertos de quinta à domingo. E o Galinho de Barcelos (em homenagem à Portugal). Além dos tonéis, barco cenográfico, entre outros cenários incríveis.

Os Famosos Guarda-Chuvas da Villa Don Patto
Com o Barco…
E o Tonel da Villa Don Patto

Para conhecer um pouco mais de tudo o que a Vila Don Patto oferece é só dar conferida no site: www.viladonpatto.com.br. E nos despedimos desse lugar maravilhoso visitando a Cascata e a Gruta de Nossa Senhora de Fátima!!! Com as bençãos de Nossa Senhora vamos continuar o nosso passeio!

Na Cascata e Gruta de Nossa Senhora de Fátima da Villa Don Patto
Detalhe de Nossa Senhora de Fátima

Agora vamos dar um salto bem grande e vamos para o Km 9 da Estrada do Vinho (calma que depois vamos voltar) onde fica a Vinícola Góes (item 22 do mapa), é que às 11h (e também às 15h) tem visita monitorada à fábrica com degustação. É um passeio excelente!!!

Quem nos guiou nesse tour foi o Jailson, que nos passou informações importantes sobre a história e a produção da Vinícola Góes e nos deu uma verdadeira aula de sommelier, nos ensinando a melhor forma de apreciar e degustar os vinhos!!

A Vinícola Góes começou sua produção de vinhos em 1938 com o Sr. Gumercindo Góes e desde então vem sendo administrada pela família e é considerada uma das grandes produtoras de vinhos no Brasil. A Vinícola conta com duas unidades em São Roque (a que visitamos é a parte da fábrica e a outra unidade tem a plantação e loja também) e uma unidade na Serra Gaúcha, que é a responsável pela produção (iniciada na década de 90) dos vinhos premium ou boutique. A visitação começa com um vídeo contando um pouco sobre a história da vinícola e depois segue para a fábrica.

Na visita guiada da Vinícola Góes

Uma curiosidade que aprendemos é que a Vinícola Góes foi construída em forma de escada para aproveitar a gravidade e facilitar o armazenamento do vinho, que é feito em tanques de cimento revestidos de epóxi e em tonéis de inox, além dos de madeira tradicionais. E que a rolha de cortiça é mais indicada para vinhos que serão guardados por mais tempo e a rolha “screw cap” (rosca) para vinhos de consumo rápido (até dois anos no mercado). Ah! Mais uma dica é que o vinho com cortiça deve ficar deitado, porque o contato do vinho com essa a umedece para evitar que a cortiça encolha e que possa a entrar oxigênio e alterar o sabor da bebida.

Tonéis de cimento
Tonéis de Inox

Nessa visita à Vinícola Góes, também tivemos a oportunidade de conhecer o laboratório onde são feitos os testes e descobertos novos sabores de vinho, um pequeno museu, os tonéis gigantes e a fábrica em si, onde ocorre o engarrafamento da bebida.

Museu da Vinícola Góes
Fábrica da Vinícola Góes

E agora chegou o momento que você estava esperando ansiosamente: a Degustação dos Vinhos Góes!!!

Que vai me ajudar nessa difícil tarefa é a minha irmã que vai ser a modelo para as fotos da degustação (só espero que o cachê não seja tão alto ao final do tour…rsrs). Brincadeiras a parte, o primeiro vinho foi o Le Bateleur, que é um rosé fino seco, produzido com uva tanat da Região da Campanha Gaúcha e que harmoniza com pratos leves e risotos.

O segundo vinho foi o Casa Venturini Cabernet Sauvignon, que é um tinto fino seco cm uvas da Serra Gaúcha, ficou envelhecendo por seis meses em barris de carvalho e harmoniza com massas.

O terceiro vinho foi o Míneres, que também é tinto seco e feito com uvas syrah cultivadas em Andrada em Minas Gerais (por isso o nome). Seu envelhecimento se deu em barril de carvalho francês por seis meses, seu sabor lembra frutas negras como ameixa e amora e harmoniza com carnes.

E para fechar com chave de ouro, nada melhor que uma degustação de um Espumante: o Saint Tropez, que é um Moscatel (doce), feito em São Roque com gás e açúcar naturais (quando é feito com gás e açúcar artificiais recebe o nome de “frisante” e não de “espumante”).

E o detalhe todo especial dessa degustação do Espumante Saint Tropez é a forma de abrir a garrafa, com a técnica “Sabrage” ou sabragem, que utiliza o sabre (espada) com lâmina curvada. E segundo dizem, essa técnica surgiu no século XVIII com Napoleão Bonaparte, que usava seu sabre para abrir as garrafas de champagne em comemoração de suas vitórias. O Jailson domina muito bem a sabragem, dá só uma olhadinha no vídeo pra ver como é: https://www.youtube.com/watch?v=gMVBxp2gcUs e veja como ficou a rolha na minha mão. E depois da adrenalina de ver essa técnica, é só se deliciar com o sabor do Saint Tropez!!!!

Depois dessa aula e sabor, dê uma passadinha na loja, que tenho certeza que você não vai resistir e vai querer levar um vinho pra repetir os momentos vividos aqui em casa. Depois aproveite para passear pelo Jardim da Vinícola Góes, que é belíssimo!!! E para saber mais sobre a vinícola é só olhar o site: www.vinicolagoes.com.br .

Na Fonte da Vinícola Góes
Paisagem Maravilhosa da Vinícola Góes
Lago da Vínícola Góes

No próprio estacionamento da Vinícola Góes, se você continuar em frente vai ter acesso à Vinícola Bella Quinta (Estrada do Vinho, km 9 – item 26 da lista), que é famosa pelo requinte de seus vinhos, cuja produção começou em 2005 com um vinho 100% cabernet sauvignon e só veio crescendo e agradando aos paladares a cada dia.

Quem nos atendeu na Vinícola Bella Quinta , de uma forma toda gentil e atenciosa foi a Carla!!! Para conhecer mais dos vinhos da Bella Quinta é só dar uma olhadinha no site: www.bellaquinta.com.br.

Na Vinícola Bella Quinta com a Carla
Relaxando um pouquinho na Vinícola Bella Quinta

Continuando nosso Roteiro do Vinho, vamos visitar agora a Vinícola Palmeiras (Estrada do Vinho, Km 10 – item 27 do mapa), que foi fundada em 1928 e desde então vem produzindo uma grande variedade de vinhos.

Logo que chegamos à Vinícola Palmeiras já somos recepcionados por uma Fonte de vinho em um tonel de 1948, que é uma parada obrigatória para fotos.

Na fonte da Vinícola Palmeiras

Ao entrar na Adega da Vinícola Palmeiras já nos deparamos com essa brilhante citação de Sócrates sobre a importância do vinho. Depois me diga se você concorda ou não…

Citação de Sócrates sobre o vinho…

Além da Adega, onde ocorre a degustação dos vinhos, a Vinícola Palmeiras tem uma charmosa Cafeteria. Para saber mais informações dessa vinícola é só dar uma conferida no site: www.vinhospalmeiras.com.br.

Como a Vinícola Palmeiras é a última da Estrada do Vinho, vamos pegar o caminho de volta e ir parando nas vinícolas que passamos direto por conta do horário da visita guiada na Vinícola Góes. Nossa primeira parada nessa volta foi na Vinícola Canguera, que fica no Km 8 da Estrada do Vinho (item 21 do mapa) e foi criada no início da década de 50 (em 1952 para ser mais exata) e atualmente é uma das mais conhecidas e tradicionais de São Roque.

Vale lembrar que a Vinícola Canguera recebeu esse nome por conta do bairro onde se localiza e foi fundada pelo Sr. João Antônio Camargo. Logo na entrada, você já vai se encantar pela Fonte de Vinho, em seguida pelo Barril e depois pelos Jarros. Mas cuidado para não se empolgar muito com as fotos e esquecer da degustação…

A famosa Fonte de Vinho da Vinícola Canguera

A Adega da Vinícola Canguera é muito bonita e os vinhos e sucos são de excelente qualidade, com certeza você vai aprovar a degustação!

Na Adega da Vinícola Canguera
A linda Mesa de Vinhos da Adega da Vinícola Canguera

Mas a visita aqui não para na adega da Vinícola Canguera, o complexo chamado de Villa Canguera também tem um espaço de lazer belíssimo com um Lago cheio de carpas, playground para a criançada, empório de doces, restaurante e até um museu do vinho…

A beleza do lago

Como já passeamos bastante, imagino que já está te dando uma fominha, não é mesmo? Então vamos aproveitar esse maravilhoso complexo para almoçarmos no lindo Restaurante Villa Canguera!!!

Um detalhe muito legal é que o Restaurante Villa Canguera alocou uma parte de suas mesas sob a sombra de uma Cerejeira decorada com charmosas sombrinhas. E foi aqui que provamos o famoso pastel de alcachofras, comida típica da cidade e que estava delicioso. O restaurante oferece uma grande variedade de pratos e petiscos. Os valores não são baratos, mas valem pela estrutura do estabelecimento.

Essas sombrinhas são um charme…
Provando o famoso Pastel de Alcachofras!!!

E do lado do restaurante, fica o Museu do Vinho da Villa Canguera, que conta com um acervo de objetos bem tradicionais e de época utilizados para a produção de vinho!

Entre os objetos do Museu do Vinho, um que chama bastante atenção é a Moedora de uva de 1958, os objetos antigos como a Caixa Registradora e Máquina de Escrever , entre outros itens. A entrada do museu é gratuita e vale a pena a visita!!! Para saber mais detalhes sobre a Vinícola Canguera, é só olhar o site: www.vinhoscanguera.com.br.

Caixa Registradora e Máquina de Escrever Antigas
Mais detalhes do Museu do Vinho…

Saindo dali passamos na Capela de Santa Cruz e Sagrado Coração de Jesus, também conhecida como Capela da Grama (por conta da extensa área de gramado na frente de sua entrada), que fica na Estrada do Vinho, km 6,5. E foi a primeira Capela do Bairro Sorocamirim, construída há mais de 150 anos. Na hora que passamos, como era durante a semana estava fechada, mas mesmo assim foi possível contemplar sua parte externa, que é bem charmosa. E ao lado da Capela, fica a  “Casa do Artista e Artesão” , que desde 2018 expõe os trabalhos destes em quiosques.

A Charmosa Capela da Grama

Continuamos descendo na Estrada do Vinho, na altura do km 4,5, viramos à direita e seguimos reto nessa estrada até chegarmos na Vinícola XV de Novembro (item 12 do mapa), que foi fundada há mais de 60 anos pelo Sr. Basílio Augusto de Moraes e atualmente é administrada por seus descendentes.

A Vinícola XV de Novembro recebeu esse nome em homenagem aos 60 anos da Proclamação da República do Brasil, que ocorreu em 1958 quando a vinícola foi fundada.

Adega da Vinícola XV de Novembro

E em 2008, a Vinícola XV de Novembro lançou a marca Quinta Moraes, especializada em vinhos finos para agradar os paladares mais exigentes.

Quem nos recebeu com toda a atenção foi o Sr. Carlos que além de nos oferecer excelentes vinhos e sucos para degustação, nos contou que em breve a Vinícola XV de Novembro inaugurará um espaço novo em frente bem maior, que eu fui ver e está belíssimo. Com certeza teremos que voltar lá pra conhecer quando começar a funcionar. Para saber mais detalhes da vinícola é só conferir o site: www.vinhoxvdenovembro.com.br.

Na Vinícola XV de Novembro com o Sr. Carlos
Novas Instalações da Vinícola XV de Novembro
Vinhedos da XV de Novembro

Continuando na mesma estrada da Vinícola XV de Novembro, um pouco mais pra frente e virando a primeira à esquerda, chegamos na  Vinícola Sorocamirim (item 13 do mapa).

Logo ao chegar à Vinícola Sorocamirim, já fomos recebidos com toda a gentileza e atenção pelo Sr. Benedito Augusto, que começou o tour nos mostrando sua belíssima plantação de alcachofras, que conta com mais de 20 mil pés. Ainda não estava na época da colheita, mas deu pra ter uma ideia de como a produção será farta, se Deus quiser!!!

A linda Plantação de Alcachofras

Enquanto passeávamos por essa plantação e pela demais dependências da Vinícola, como a churrasqueira, o futuro local de camping, entre outros, ele foi nos contando sobre a história da Vinícola Sorocamirim,  que foi fundada em 1956 pelo seu pai, o Sr. Gentil Augusto de Moraes e recebeu esse nome em virtude do bairro onde se encontra e que a palavra “sorocamirim”  é de origem indígena e significa “rio pequeno”. A Vinícola ainda mantém padrões artesanais de produção de vinho, embora sua distribuição chegue a mais de 80 mil litros por ano.

Nas dependências da Vinícola Sorocamirim
Fachada da Adega da Sorocamirim

Agora chegou o momento que você estava esperando: a degustação dos Vinhos Sorocamirim, onde também fomos recepcionados (além do Sr. Benedito Augusto) pela Fernanda, que nos ofereceu vários vinhos, tornando difícil a tarefa de escolher o que levar para casa… E antes de irmos embora, ainda passamos na Loja de Licores e Doces do Sr. José (irmão do Sr. Benedito) que também foi muito atencioso conosco. Para conhecer mais sobre a Sorocamirim é só acessar o site: https://www.facebook.com/Vinhos-Sorocamirim-742876082473899/ .

Na Vinícola Sorocamirim com o Sr. Benedito Augusto e com a Fernanda
Família na Sorocamirim
Só pra te deixar na dúvida do que escolher na Vinícola Sorocamirim…

Retornando agora para a Estrada do Vinho, no km 4, fomos conhecer a Quinta do Olivardo (item 10 do mapa), com um ambiente português, idealizado pelo Sr. Olivardo Saqui.

A Quinta do Olivardo é um lindo complexo que conta com Parreiral, Lago, Restaurantes, Lojinhas e uma linda Capela de Santo Antônio.

Parreiral e Lago da Quinta do Olivardo
As Lojinhas e Restaurantes da Quinta
A charmosa Capela de Santo Antonio da Quinta do Olivardo

Além dos vinhos e da culinária portuguesa, você vai se encantar com os locais para fotos na Quinta do Olivardo, como o Poço dos Desejos, o Quiosque do Elétrico/Bonde de Portugal, até o Barril do Chaves, entre outros points instagramáveis.

Não podia perder a oportunidade de entrar no Barril do Chaves

E se você for visitar a Quinta do Olivardo no terceiro sábado do mês, a partir das 20h, poderá provar o Vinho dos Mortos… Não se assuste, que eu já vou contar do que se trata. Segundo a lenda, quando os franceses invadiram Portugal, os portugueses ficaram apavorados e enterraram seus vinhos embaixo das videiras e quando a invasão terminou, eles desenterraram os vinhos achando que tinham estragado, mas pelo contrário, os vinhos ganharam propriedades decorrentes da temperatura e da escuridão e ficaram mais saborosos, criando assim a tradição do “Vinho dos Mortos”. E o Sr. Olivardo gostou tanto dessa história que resolveu manter a tradição enterrando uma parte de seus vinhos no meio das videiras e desenterrando a cada seis meses, quando oferece os vinhos para os presentes. Eu não tive a oportunidade de participar dessa tradição ainda, mas vou voltar para conhecer e se você for antes, me conta nos comentários. Para saber mais informações sobre tudo que tem na Quinta basta conferir no site: www.quintadoolivardo.com.br. E olha só onde estão enterrados o Vinho dos Mortos…

Parreiral com o Vinho dos Mortos

Agora para desanuviar o clima meio “sinistro” do Vinho dos Mortos, quero que você se anime para conhecer comigo uma Destilaria na Estrada do Vinho (km 4 – item 9 do mapa). Parece estranho, mas não estou confundindo, no Roteiro do Vinho tem a Destilaria Stoliskoff, que foi inaugurada em 2010 para ser um diferencial nesse tour!

A Destilaria Stoliskoff também vende vinhos importados, cervejas artesanais, mas o seu carro chefe e que é super tradicional é a Vodka de Chocolate Branco, mas se você não é fã de chocolate, tem a tradicional, a de cereais e a noir.

Prateleira de Vodkas da Destilaria Stolilskoff (As garrafas creme são as de chocolate branco)
Dá só uma olhadinha nessas singelas garrafas de Vodka…

Quem nos recepcionou na Destilaria Stoliskoff foi a Bruna, que foi muito gentil, e além as vodkas nos ofereceu outras bebidas que também são muito procuradas e apreciadas pelos visitantes, como a Cana Blue e a Sakerita, entre outros rótulos, tornando difícil a missão de escolher qual levar pra casa… Para saber mais informações da Destilaria é só olhar no site: www.stoliskoff.com.br.

Na Destilaria Stoliskoff com a Bruna

Com a Destilaria, nos despedimos da Estrada do Vinho, mas calma que ainda não acabou… Para te deixar com um gostinho de quero mais, vamos fazer a saideira na Vinícola Bella Aurora, que fica na Rodovia Raposo Tavares, km 56,5 (sentido São Paulo – item 39 do mapa), e foi fundada em 1932.

O ambiente da Vinícola Bella Aurora é muito bonito e aconchegante, além dos Vinhedos e da linda paisagem, o que chama a atenção é o design da Adega: feita em um tonel de madeira com capacidade para 120 mil litros.

Chegando na Adega da Bella Aurora
Momento Degustação na Adega da Bella Aurora

Além da adega de vinhos (onde é feita a degustação), a Vinícola Bella Aurora tem a cachaçaria, um café (que também foram feitos em tonéis de madeira), uma Fonte no tonel e até os brinquedos do playground das crianças utilizam barris… É muita diversão!!! Para saber mais detalhes da vinícola é só dar uma olhadinha no site: www.bellaaurora.com.br.

Cachaçaria e Café da Bella Aurora
A Fonte de Vinhos da Bella Aurora
Olha só esse playground…

E com essa paisagem maravilhosa do mirante da Vinícola Bella Aurora vamos nos despedindo do Roteiro do Vinho de São Roque!!! Lembrando que esses são só alguns dos 39 estabelecimentos que compõem o Roteiro do Vinho, não conseguimos visitar todos num dia só, mas já estão na programação para quando voltarmos à cidade. E se você já foi em algum desses que não mencionei aqui, nos conte nos comentários como foi sua experiência. Espero que tenha gostado e nos vemos na próxima postagem. Saúde!!!!

Saúde!!! E Até Breve…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *