Tour em Poços de Caldas

Hoje te convido a me acompanhar nessa expedição por Poços de Caldas, uma cidade ao sul de Minas Gerais, que fica a aproximadamente 260 km da Capital de São Paulo e é bem conhecida pelas propriedades terapêuticas de suas águas e que vai completar 147 anos nesse ano de 2019.

A cidade fica sobre uma área vulcânica desativada e tem duas fontes de águas sulfurosas a 45°C na superfície: a Fonte dos Macacos e o Thermas Antônio Carlos.

Vamos começar nosso tour?

Portal de Poços de Caldas

Roteiro do Primeiro Dia – Fábrica de Cristais / Shopping Poços de Caldas

Meus companheiros de viagem mais uma vez foram meus pais e minha irmã (quem acompanha o blog sabe que eles são fiéis escudeiros das minhas aventuras). Saímos de São Paulo numa sexta-feira às 9h40 e chegamos em Poços de Caldas por volta das 13h. Nos hospedamos na AFPESP (Associação dos Funcionários Públicos do Estado de São Paulo), mas se você não for associado ou convidado de um associado, não se preocupe, ali no centro tem várias opções de hotéis para todos os bolsos e gostos. Com certeza você vai encontrar algum que te agrade. E se for funcionário público associado aproveite para desfrutar dos benefícios dessa Unidade de Lazer.

Deixamos nossa bagagem no quarto e fomos almoçar na Associação mesmo (a hospedagem é com pensão completa). Ainda durante o almoço, começou a chover, o jeito foi aproveitar os ambientes da colônia de férias, descansar um pouco e esperar a chuva passar…

Hall da AFPESP

Como a chuva não passou, tivemos que adaptar o roteiro que eu tinha programado. Então fomos para lugares fechados, que faríamos em outros dias. Aproveitamos para conhecer a fábrica e loja: “Cristais Cá d’Oro”. Foi muito interessante ver o processo de fabricação do cristal ou vidro artístico (como eles chamam). É tão mágico ver como a areia, o carbonato de cálcio e outros elementos misturados (que podemos tocar na visitação) ao serem submetidos a altas temperaturas, moldados e soprados se transformam em belíssimas peças. Essa técnica foi trazida por Mario Seguso da Ilha de Murano (em Veneza na Itália) em 1945, quando chegou ao Brasil para fazer uma coleção em homenagem aos 400 anos de São Paulo. E apaixonado pelo país, em 1965 fundou a Cristais Ca d’Oro em Minas Gerais, que até hoje é administrada por sua família.

Não é permitido filmar ou fotografar a fábrica, mas no próprio site da loja tem um vídeo de apresentação no qual você pode conhecer um pouquinho desse processo: www.cristaiscadoro.com.br. A loja é linda e fica difícil escolher o que levar de lembrança pra casa. Tem peças de todos os valores, está certo que as mais detalhadas são bem caras em virtude do trabalhoso processo de sua fabricação, mas tem outras com preços mais acessíveis que dá pra levar como souvenir e mesmo que você não queira comprar nada vale a visita. O endereço da fábrica e horário de visitação estão no site: www.cristaiscadoro.com.br/enderecos/fabrica-e-loja/.

Família na Cristais Ca d’Oro

De lá seguimos para o Shopping Poços de Caldas (www.pocosdecaldasshopping.com.br  – Av. Silvio Monteiro dos Santos, 180), que foi inaugurado em 2005 e tem uma grande variedade de lojas, além de supermercado, cinema e até um estúdio da Rádio Nativa FM. É uma boa opção de passeio pra quem gosta de shopping (como eu) e também num dia chuvoso como hoje.

Fachada do Shopping

Roteiro do Segundo Dia – Mercado Municipal / Cristo Redentor / Zoo das Aves / Cachoeira Véu das Noivas / Cascata das Antas / Represa Bortolan / City Tour Central / Noite: New York Pub

Acordamos bem cedo para aproveitar o dia já que o sol nos presenteou com sua presença. Começamos nosso passeio pela Fonte das Rosas, que fica na Praça Brasil, uma praça bem bonita e muito bem cuidada. Além da fonte, outra atração da Praça é o telefone público em formato de rosa. Um charme!!

Fonte das Rosas
Telefone de Rosa

Do outro lado da rua fica o Mercado Municipal de Poços de Caldas (http://pt-br.facebook.com/mercadomunicipalpocosdecaldas/) que está localizado na Rua Pernambuco s/n desde 1969 e oferece uma grande variedade de produtos típicos da região, como queijos, doce de leite, sabonetes artesanais entre outros produtos. Funciona de segunda a sábado das 7h às 18h e domingo das 7h às 12h. Vale a pena dar uma passadinha e levar uma ecobag para carregar as compras caso você se empolgue.

Continuamos nosso passeio, agora em direção à Serra de São Domingos, onde está o Cristo Redentor, um monumento de 30 m de altura (sendo 16 m da imagem de Cristo e 14 m do pedestal) e que fica a uma altitude de 1686 m do nível do mar. A vista da cidade de lá é linda!!! A imagem do Cristo pesa 120 toneladas e são 52 degraus para se chegar até o primeiro patamar onde começa o pedestal. O monumento foi inaugurado em 1958 e foi idealizado por José Raphael Santos Neto. O lugar transmite uma paz e tem uma energia muito boa!!! A entrada é gratuita e o acesso pode ser feito de carro (como nós fomos por conta ou por excursão), a pé pela mata na Trilha do Cristo ou pelo Teleférico que sai do Parque Affonso Junqueira (que faremos no roteiro de amanhã). Depois da chuva de ontem, ter um sol e um tempo aberto assim com essa vista maravilhosa é realmente um presente de Jesus Cristo!!! Muito Obrigada, Senhor!!!

Família no Cristo Redentor
Cristo Redentor
Vista do Cristo

Ali perto, também fazendo parte do Parque Municipal da Serra de São Domingos está a Pedra Balão, que é um conjunto de pedras sobrepostas com aproximadamente 10 m de altura e recebeu esse nome porque seu formato parece com um balão dirigível. Como a natureza é perfeita e caprichosa!!! Vou te contar um segredinho: tem uma escada para subir na pedra e fazer fotos bem legais (como a pedra estava escorregadia por conta da chuva de ontem, não arrisquei subir, mas se você for, me conta nos comentários como foi a sensação de estar no topo).

A entrada pra Pedra Balão é também é gratuita e o acesso é por meio de carro/moto ou excursão (o Teleférico não chega até lá e também não tem uma trilha específica como a do Cristo). A paisagem é realmente linda e minha irmã até fez um novo amigo: um jumentinho que estava pastando por ali.

Agora nos dirigimos para o outro lado da cidade, para visitar o Zoo das Aves, que tem a proposta de aliar preservação ambiental e entretenimento sustentável, através da observação e contato com as aves. São cerca de 2.000 aves e aproximadamente 200 espécies. Os recintos de imersão são uma experiência única, nesses recintos os animais ficam soltos e a pessoa entra para ter um contato mais próximo. Além desses recintos de imersão, tem os recintos comuns e também o espaço do Grande Lago, onde várias espécies ficam soltas.

Como falei, o Zoo das Aves tem uma preocupação com a preservação ambiental e muitos dos animais de lá foram resgatados de maus-tratos e tráfico de animais, entre eles está o Tucano Ray Charles, que teve os olhos perfurados, perdendo a visão total do olho esquerdo e parcial do direito, por isso, não pode ser devolvido à natureza, mas recebe todo o cuidado no Zoo. Ele é muito fofo!!!! Só por ele já compensaria a visita, porém esse passeio tem muito mais a nos oferecer. Os ingressos custam R$15 para idosos e crianças e R$25 para adultos. Mais informações estão no site: www.zoodasaves.com.br.

Com o Tucano Ray Charles

Nesse mesmo lado da cidade, não muito distante dali fica a Cachoeira Véu das Noivas que fica no Parque Véu das Noivas. A cachoeira possui três quedas d’água e a principal tem 10m de altura por 15m de largura e é realmente muito bonita, mas é uma pena que é poluída. O complexo também conta com uma feirinha de artesanato que funciona onde era o antigo restaurante, alguns quiosques de lanches e um trenzinho que faz um passeio muito curto e o condutor não explica nada sobre as árvores ou cachoeira (eu particularmente esperava mais desse trenzinho pelo que tinha visto na internet). De qualquer forma pela cachoeira vale a visita. A entrada do complexo e o estacionamento são gratuitos e o passeio de trenzinho custa R$2,00 por pessoa.

Cachoeira Véu das Noivas

Da cachoeira voltamos para a Associação para almoçarmos e depois fomos fazer nosso tour da tarde. Começamos pela Cascata das Antas, que fica relativamente próximo à Cachoeira Véu das Noivas (Av. Silvio Monteiro dos Santos, s/n – Vale das Antas) e tem quedas d’água com mais de 50 m de altura, com uma paisagem de tirar o fôlego. O complexo ainda conta com um lindo bosque de vegetação nativa, ruínas da primeira usina hidrelétrica Força e Luz (que foi inaugurada em 1898) e a atual hidrelétrica: UHE: Engenheiro Affonso Junqueira – Usina das Antas. Vale lembrar que Poços de Caldas foi uma das primeiras cidades brasileiras a gerar sua própria energia elétrica. A única coisa que entristece é que as águas da cascata são poluídas… A visitação é gratuita e o funcionamento é de segunda a sexta das 8h às 17h30 e aos finais de semana e feriado das 8h às 18h.

Que vista incrível da Cachoeira das Antas!!!!

Nossa próxima parada foi na Represa Bortolan, que é um dos cartões postais da cidade e conta com cerca de 5 km² de extensão, que são muito utilizados para a prática de esportes náuticos. Gostaríamos de ter feito o passeio de escuna, mas esta estava em manutenção, então vai ter que ficar para uma próxima visita. Na represa também é possível passear de pedalinho, ou simplesmente sentar-se em um dos bares os restaurantes nas suas margens e ficar contemplando sua beleza. A represa fica na Av. João Pinheiro s/n e o acesso também pode ser feito pela Rodovia José Aurélio Vilela Km 8.

Seguindo em direção ao centro da cidade, paramos no Parque Municipal Antônio Molinari (que também fica na Av. João Pinheiro s/n) e é uma ótima opção para relaxar, ter contato com a natureza e ainda praticar esportes. O parque oferece pista de bicicross, cooper, skate, quadras, entre outros.

Aproveitamos também para atravessar a rua e tirar fotos na margem do Ribeirão de Poços de Caldas, um rio que corta a cidade e essa importante avenida que é a Avenida João Pinheiro.

Avenida João Pinheiro

Chegando ao centro da cidade, começamos nosso City Tour pelo Parque José Affonso Junqueira, que é um lindo e muito bem cuidado parque. Além de belos jardins e árvores frondosas, o parque conta com a Fonte Luminosa (que estava em manutenção, mas já vi as fotos de quando está funcionando e é um charme) e com o Palace Casino, que foi inaugurado em 1931 como um imponente cassino, com nobres salões e uma arquitetura primorosa. Mas com a proibição de cassinos no Brasil, tornou-se um espaço para eventos.

Parque José Affonso Junqueira
Fonte Luminosa

Ao lado do Parque, na Praça Getúlio Vargas, fomos conhecer o famoso Relógio Floral, que é formado por pequenos arbustos representando os números e por ponteiros motorizados para marcar o horário, e ornamentado com pequenas plantas. Um belo registro para guardar da sua visita à cidade!

Relógio Floral

Também no entorno da Praça Getúlio Vargas, fica o Espaço Cultural da Urca, que foi inaugurado na década de 40 como “Cassino da Urca”, inspirado no Cassino da Urca do Rio de Janeiro, tornando-se uma das mais importantes casas de jogos do Brasil. Mas com a proibição desses jogos em 1946, passou a ser utilizado para diversas outras finalidades: faculdade, Centro Administrativo Municipal e espaço cultural. E desde a restauração de 1996, tornou-se o “Espaço Cultural da Urca”, que conta com salas para exposição e um teatro com lotação de 500 expectadores.

E do outro lado da rua fica a Antiga Estação Ferroviária e Atual Centro de Informações Turísticas, um prédio muito bonito e histórico, conservando a arquitetura da Estação Ferroviária que foi inaugurada em 1886.

Atravessamos novamente o Parque José Affonso Junqueira e fomos para outra praça que fica ao lado do Parque: a Praça Elisiário Junqueira que abriga outro cartão postal da cidade: o Calendário Floral, formado por várias flores, plantas, pedrinhas e placas de cimento e que registra a data, o dia da semana e a estação do ano, com atualização diária. É um ótimo lugar para tirar fotos e registrar seu passeio!

Calendário Floral

Nessa mesma praça fica a Fonte Pedro Botelho ou Fonte do Leãozinho, que também tem águas sulfurosas, mas estava desligada. De qualquer forma valeu a visita pela bela escultura do leãozinho.

Ali próximo fica outra praça bem tradicional da cidade: a Praça Pedro Sanches que é muito bonita e bem conservada, sua inauguração foi em 1920. Ela abriga o Coreto, que serve de palco para apresentações musicais e o Monumento Minas ao Brasil que fica no centro da praça. Também é dessa praça que parte o passeio de trenzinho/jardineira que vamos fazer no roteiro de amanhã.

Nessa Praça também fica o requintado Palace Hotel, que foi inaugurado na década de 30, fazendo parte do Complexo Hidrotermal e Hoteleiro, juntamente com o Palace Cassino e o Thermas Antônio Carlos. Devido ao luxo e a imponência de sua arquitetura já hospedou e ainda hospeda importantes nomes da sociedade brasileira e mundial.

Agora sim fomos para um dos momentos mais esperados da viagem. Voltamos para perto da Fonte do Leãozinho e fomos no Thermas Antônio Carlos (deixamos esse por último para aproveitar o banho termal e voltar para o hotel para relaxar um pouco). Esse é um dos lugares de Poços de Caldas que tem águas sulfurosas terapêuticas a 45°C na superfície e foi um dos primeiros estabelecimentos termais do país. O Thermas foi inaugurado em 1931 e depois passou para a iniciativa privada. Atualmente é administrado pela Codemge. Sua construção arquitetônica já impressiona, o estilo é o neorromano e os vitrais do teto são belíssimos. Mesmo que você não vá fazer os banhos, vale a visita pelo local. E se você não resistir e quiser usufruir dos benefícios dos banhos termais, vale muito a pena!!! Eles custam a partir de R$25 (durante a semana) e R$30 (aos finais de semana) por 20 minutos. Eu escolhi o de hidromassagem por R$40.  É muito relaxante!!!  Se puder, leve sua toalha de banho, senão é preciso alugar lá (R$ 10). Além dos banhos, o Thermas Antônio Carlos oferece massagens, ofurô, sauna, medicina oriental, entre vários outros serviços. Mais informações estão no site: www.codemge.com.br/atuacao/turismo/turismo-de-lazer/

Fachada do Thermas Antonio Carlos

Depois desse banho super relaxante, voltamos pra Associação para jantar, descansamos um pouco e fomos curtir a noite de Poços de Caldas no New York Pub (www.newyorkpub.com.br – Rua Rio de Janeiro, 243), um ambiente bem aconchegante e com música boa. Uma ótima opção para começar as comemorações do meu aniversário. À meia-noite já estava celebrando…

Roteiro Terceiro do Dia – Museu Histórico e Geográfico / Fonte dos Macacos / Igreja Nossa Senhora da Saúde / Fonte dos Amores / Recanto Japonês / Igreja São Domingos / Teleférico / Passeio de Trenzinho / Mi Casita Sorveteria / Sá Rosa Café / Calendário Floral

Nosso domingo começou com a visita ao Museu Histórico e Geográfico, que foi inaugurado em 1972 para comemorar o centenário da cidade e funcionava em outro local, sendo transferido para o atual em 1996. O edifício que visitamos foi construído no final do século XIX e é conhecido como “Vila Junqueira”, sendo que o termo “vila” refere-se a sua arquitetura italiana típica do século XVIII e a família “Junqueira” residiu ali na década de 1920. O prédio também já serviu de hospedaria e de escola, antes de se tornar museu.

Museu Histórico e Geográfico

A arquitetura do prédio já é um convite à visitação e o acervo mais ainda. São móveis e utensílios desde os mais simples de uma casa de caboclo, até os mais requintados, como louças de porcelana, prataria, cristais, poltronas, etc. Tem acervo fotográfico, telégrafo e uma máquina que controlava os trens, coleção de dinheiro, máquinas fotográficas, mesas de jogos de cassino e também na parte geográfica, uma variedade de pedras que foram encontradas na região. O museu fica na região central (Rua Padre Henry Mothon, s/n), a entrada é gratuita e funciona de terça a sábado das 12h às 18h e aos domingos das 8h às 12h.

Máquina de Controle Ferroviário

Nossa próxima parada foi na Praça D. Pedro II ou Praça dos Macacos, onde fica a Fonte dos Macacos, que é o segundo lugar de Poços de Caldas que tem as águas sulfurosas a 45°C na superfície. Ela recebeu esse nome porque antigamente os macacos vinham para se banhar nessa fonte (hoje os macacos são encontrados na Fonte dos Amores e no Recanto Japonês que vamos visitar daqui a pouco). A água é realmente bem quente e tem um cheiro forte, mas vale a pena senti-la na sua pele.

Também é nessa Praça que fica a Feirinha de Artesanato ou FEARPO, que oferece belos artesanatos e produtos típicos da região. Vale dar uma passadinha por lá e aproveitar para conhecer o Balneário Mário Mourão, que tem banhos termais, como eu fui no domingo de manhã (por volta das 10h) estava fechado, embora a placa indicasse funcionamento até às 11h30. Se quando você for estiver aberto, nos conte nos comentários como foi sua experiência. Pela placa deu pra descobrir que as toalhas lá também são alugadas (se quiser já leve a sua) e os banhos de imersão custam a partir de R$20 por 20 minutos, mas a estrutura pareceu ser bem menor e mais simples que o Thermas Antônio Carlos, que fomos ontem.

Balneário Mário Mourão

Ali perto da Praça D. Pedro II, um quarteirão para baixo fica a Basílica de Nossa Senhora da Saúde, que foi construída entre 1937 e 1954, quando foi reconhecida como basílica pelo Vaticano. É uma construção belíssima, em estilo eclético e neorromânico, que foi tombada pelo Patrimônio Artístico e Histórico do Município em 1994. Conseguimos pegar o finalzinho da missa e ainda receber a benção final e dos objetos. Foi um presente de aniversário!!! Que Nossa Senhora da Saúde, padroeira de Poços de Caldas, abençoe a todos nós!!!!

Agora fomos para o outro lado, um pouquinho mais distante ali do centro, visitar a Fonte dos Amores, que foi criada em 1929 e recebeu esse nome em virtude da estátua de mármore de um casal abraçado, representando o amor. A fonte fica ao lado dessa estátua e também tem uma queda d’água lindíssima, tudo isso no meio de um bosque. É um cenário encantador!!!!

Mas antes de chegar na Fonte dos Amores, localizada numa parte mais alta, fomos recepcionados pelos Macacos Prego, que ficam andando livremente pelo bosque e vem até os visitantes para ganhar bananas (que são vendidas na lanchonete para evitar que os fofuchos sejam alimentados com algo inadequado – existem várias placas alertando para ter cuidado em relação a isso). Os macaquinhos são muito fofos, vem pegar na sua mão a até levam sua bolsa se você não ficar atento. É uma experiência apaixonante!!! Dá vontade de ficar lá o tempo todo em contato com eles. Então lembre-se de anotar no seu roteiro que os macacos ficam na Fonte dos Amores e não na Fonte dos Macacos, para não se decepcionar. A visitação à fonte a aos macacos é gratuita e o parque fica na Rua Piauí n°1 e abre diariamente das 8h30 às 17h30.

Que presente da Natureza!!!!

De lá seguimos para o Recanto Japonês, que é um jardim em estilo japonês, com um lago de carpas, um quiosque chamado de “Caramanchão Azumaya” (réplica do Manj-Tei do Palácio Imperial Japonês), pequenas quedas d’água e a Fonte dos Três Desejos: Amor, Saúde e Inteligência. Ele é cercado por mata nativa e conta com pequenas trilhas para quem quiser apreciar mais o contato com a natureza. O Recanto Japonês fica na Rua Amapá s/n, a entrada é gratuita e funciona diariamente das 8h às 17h30. Lá também é possível ver alguns macaquinhos (não tanto quanto na Fonte dos Amores), mas é um presente ver essas fofuras passeando livremente pelo bosque!!!

Família no Recanto Japonês

Na volta para o centro, passamos na Igreja de São Domingos, que fica na R. Padre Henry Mothon, 10 e foi construído em 1952. Sua fachada em pedra é belíssima, em seu interior há lindos vitrais e no altar um belo mosaico retratando o recebimento do rosário por São Domingos de Gusmão das mãos de Nossa Senhora.

Mosaico e Altar

Almoçamos na Associação, nossos pais ficaram por lá para descansar um pouco, e minha irmã e eu fomos andar de Teleférico para ir novamente no Cristo. O teleférico sai do Parque José Affonso Junqueira e vai até o Parque da Serra de São Domingos, percorrendo um trajeto de 1,5km a uma altura de aproximadamente 20m. As cabines são fechadas e acomodam até 4 pessoas. A vista é belíssima. Postei um vídeo na página do blog no youtube para você sentir um pouquinho de como é esse passeio. Dá uma olhadinha lá: https://youtu.be/98QMSbUq2nI

A visita ao Cristo é sempre emocionante e estar aos Seus pés e receber as bençãos no dia do aniversário é muito mais que um presente divino!!! Muita Gratidão a Deus por esse momento!!!! Ah! O passeio de Teleférico custa R$25 (ida e volta) e R$15 (somente ida) e funciona de segunda a sexta das 12h30 às 17h, sábado das 9h às 17h e domingo das 9h às 16h. Esse é um dos passeios bem típicos da cidade!

Na volta do teleférico, fomos para a Praça Pedro Sanches fazer o Passeio de Trenzinho/ Jardineira, enquanto esperávamos para sair, fomos passear pela praça, tirar fotos no Coreto, já que hoje estava mais tranquilo.

O passeio de Trenzinho/ Jardineira dura cerca de 30 minutos e percorre o Centrinho de Poços de Caldas, passamos pela Basílica de Nossa Senhora da Saúde e pela Praça Pedro II/ Fonte dos Macacos (que já tínhamos visitado no período da manhã), entre outros pontos, enquanto o motorista vai nos contando sobre os lugares.

E uma das curiosidades que descobrimos nesse passeio, foi que as pilastras e estruturas em concreto elevada que vimos ao longo da Avenida João Pinheiro (nas margens do rio) eram para o percurso do Monotrilho, que foi inaugurado no ano 2000, mas funcionou só por duas semanas porque a estrutura foi condenada e teve sua operação suspensa. Mas há a esperança que a prefeitura atual retome esse projeto. Vamos torcer!!! O Monotrilho está estacionado no Terminal de Ônibus, próximo ao cruzamento da Francisco Salles com a Assis Figueiredo, caso você tenha curiosidade de conhecer. E você pode observar na foto da Estação do Monotrilho, que abaixo (do lado direito), tem um parquímetro, para que você possa registrar seu veículo, pagar um determinado valor e colocar seu carro no estacionamento rotativo na rua (como se fosse a “Zona Azul” aqui de São Paulo). Achei bem prático e mais fácil do que ter que baixar aplicativo no celular, principalmente se você é turista (não sei se lá também tem a opção de aplicativo para os moradores). Esses parquímetros estão espalhados por toda a cidade e os valores que paguei foram R$ 1,50 pelo período do 1h30 e R$ 2,10 pelo período de 2h em locais diferentes, não sei se os valores/tempo variam de acordo com o lugar, mas os preços são bem acessíveis.

Monotrilho

Ainda passeando ali pelo centrinho, próximo à Praça Pedro Sanches, descobrimos a Mi Casita Sorveteria, que é bem charmosa e vende sorvetes com wafer, você escolhe entre os diversos sabores e eles montam o “sanduíche” com wafer na hora (custa R$ 9,00). Uma ideia bem bacana e saborosa!!!

Continuando nosso momento “gordices”, fomos para o Sá Rosa Café, que fica ali perto na R. Prefeito Chagas, 81. Essa charmosa cafeteria foi fundada em 2005 com o propósito de oferecer cafés brasileiros especiais, num ambiente com design clássico e aconchegante, cuja fachada é de um prédio histórico de 1929 restaurado. A tradição em café da família Medri data de 1987, quando abriram a primeira casa de cafés e a partir daí foram se expandindo e se tornando tradição na cidade. Como tínhamos acabado de tomar sorvete e estava calor, optamos por bebidas frias à base de café. O sabor estava divino!!! E aproveitamos para levar um pacote de café para minha mãe fazer quando chegar em casa e sentir todo esse gostinho… Ah! O Sá Rosa Café também administra o Café Concerto que fica no Parque José Affonso Junqueira. Mais detalhes estão no site: www.sarosacafe.com.br.

Saboreando as delícias do Caffè Sá Rosa e Frappè Sá Rosa
Hoje pode…

Na volta para o hotel, passamos no Vagão A11, um trailer lanchonete muito estiloso, que estava fechado, mas nos proporcionou belas fotos e depois fomos novamente no Calendário Floral para registrar o dia de hoje: um jeito todo especial de comemorar meu aniversário e de fechar com chave de ouro nossa visita a essa linda cidade de Poços de Caldas!!

Muito obrigada Poços de Caldas por fazer meu dia mais que especial!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *