Um Final de Semana em Montreal

Hoje quero te convidar para passar um final de semana numa cidade linda, que fica a cerca de 540 km de Toronto, que tem um charmoso sotaque francês e é repleta de atrações!!! Me acompanha nesse tour por Montreal?

Vista da Roda Gigante de Montreal

Existem vários meios para fazer o trajeto de Toronto a Montreal, você pode alugar um carro e ir por conta própria, pegar ônibus ou trem, ou então escolher o meio aéreo, que foi a nossa opção para otimizar o tempo (o voo até o aeroporto de Montreal – Pierre Elliott Trudeau International Airport- sigla YUL – dura cerca de 1h10). Pegamos o voo na sexta-feira à noite e retornamos também por via aérea no domingo à noite.

Fomos de táxi do aeroporto para o hotel, mas também é possível pegar o ônibus 747 Aéroport P.-E.-Trudeau Shuttle, que faz o trajeto entre o aeroporto e o centro da cidade, passando por vários hotéis e pontos turísticos. Na volta pro aeroporto fomos com esse ônibus.

Ficamos hospedadas no Novotel Montreal Centre, que fica na área central da cidade (1180, Rue de la Montagne) e bem perto da Rue Sainte-Catherine, que é famosa na cidade e repleta de lojas (se você gosta de bater pernas e não resiste a fazer algumas comprinhas vai adorar essa rua). Gostamos bastante da estrutura do Hotel e da localização! Para saber mais informações e detalhes sobre reservas é só acessar o site: https://www.novotelmontreal.com/

Lobby do Novotel Montreal Centre

Quem me acompanhou em mais essa jornada, foi a minha irmã Ane e agora que já estamos bem acomodadas, vamos descansar para amanhã começar nosso roteiro, vou separar por dias para te contar exatamente como fizemos, foi corrido, mas deu pra conhecer vários lugares e se você tiver a oportunidade de ficar mais tempo, pode desmembrar o roteiro e aproveitar com mais calma os passeios…

Roteiro do Primeiro Dia: Ônibus Turístico/ Basílica de Notre Dame / Roda Gigante / Oratório de São José/ Parque Mont Royal/ Observatório Place Ville Marie/  Schwartz’s – Smoked Meat / Sir Winston Churchill Pub

Pra começar bem o dia, nada como um bom café pra despertar, então fomos provar o cafezinho do Second Cup Coffee, que é uma das redes de cafeterias bem tradicionais do Canadá. Essa que visitamos foi a da Rue Sainte Catherine, 1166, mas tem outras unidades na cidade e se você gostar, também pode ir na franquia de Toronto. Para  saber mais detalhes e ver as delícias da cafeteria, é só conferir o site: https://secondcup.com

Tomando um Cafezinho no Second Cup Coffee…

Para aproveitar melhor o tempo e conhecer os principais pontos turísticos de Montreal, minha dica é o tour no Ônibus Turístico Hop-On Hop-Off Gray Line Montreal. Eu adoro o passeio nesses ônibus porque você vai conhecendo um pouco de cada lugar com as informações de áudio durante o percurso e pode desembarcar nas atrações que mais lhe interessam e embarcar no ônibus novamente quantas vezes quiser durante o período de validade do ticket, que nesse roteiro aqui é de dois dias consecutivos, das 10h às 16h. O trajeto completo do ônibus dura cerca de duas horas para percorrer os nove pontos de parada e o ingresso adulto custou CAD$ 57 quando eu fui.

Ônibus Turístico Gray Line

Começamos o tour no ponto inicial que é no 1255, Peel Street, em frente ao posto de informações turísticas (onde compramos o ticket desse passeio e o bilhete do transporte público local). Também é possível pegar o Ônibus Turístico Gray Line Montreal em qualquer uma das paradas se você já estiver com o ingresso. Mais informações estão no site: www.grayline.com/things-to-do/canada/montreal/. Vamos embarcar nesse bus?

Nossa primeira parada foi na Velha Montreal (também chamada de Old Montréal ou Vieux Montréal), onde fica a belíssima Basílica de Notre Dame. Lembrando que tanto o inglês quanto o fancês são idiomas oficiais de Montreal, mas a predominância falada, assim como em Quebec, é do francês, então aproveite a sonoridade desse belo idioma, mas não se preocupe que nos lugares tem indicação em inglês e eles também entendem se você optar por esse idioma ao invés do francês.

Basílica de Notre Dame de Montreal

Agora vamos voltar a falar da imponente Basílica de Notre Dame de Montreal, que foi construída entre 1823 e 1829, em estilo neogótico, projetada por James O’Donnell para acomodar cerca de três mil pessoas. Já que a primeira paróquia em homenagem à Nossa Senhora (construída por volta de 1672) não estava sendo suficiente para acolher a todos. Não é só o tamanho que impressiona, sua beleza também! O altar apresenta passagens bíblicas esculpidas em madeira, além de ser todo em azul e dourado, o que cria um efeito fascinante.

No interior da Basílica de Notre Dame de Montreal
A Beleza do Altar

A Basílica de Notre Dame de Montreal já passou por diversas transformações, como a inclusão dos dois campanários entre 1841 e 1843, entre outras, fazendo com que se tornasse um dos templos religiosos mais importantes do país, recebendo a visita do Papa João Paulo II em 1982 e o título de lugar histórico do Canadá em 1989. Além de muitos eventos importantes como a apresentação de Luciano Pavarotti no Concerto de Natal de 1978 e o casamento da Celine Dion em 1984, entre outros.

As Torres dos Campanários
Detalhes da Basílica de Notre Dame de Montreal

Para entrar na Basílica de Notre Dame de Montreal é cobrado um valor (que eles chamam de taxa de admissão), que custa cerca de CAD$ 10 para adultos, com direito a um tour guiado de 20 min (também é possível fazer uma visita guiada maior “Le Grand Tour” de uma hora e que custa CAD$20, mas é preciso reservar antecipadamente). Vale muito a pena entrar porque a Basílica tem tanta riqueza de detalhes que enchem os olhos, como os vitrais, o órgão, os oratórios, além de transmitir muita paz!!! Para saber mais detalhes sobre a história e os eventos da Basílica é só acessar o site:  https://www.basiliquenotredame.ca/en.

A imponência do Órgão da Basílica de Notre Dame

Vale lembrar que a Basílica de Notre Dame fica na Place d’Armes (ou Praça das Armas),  que foi uma das primeiras praças da cidade e é cercada por prédios que, assim como a Basílica, retratam diversos períodos da história de Montreal, como a sede do primeiro banco (Bank of Montreal),  entre outros, e o Monumento Maisonneuve em memória de Paul de Chomedey (fundador de Montreal.

A Ane no Banco de Montreal
Monumento Maisonneuve

Ali pertinho fica o Bairro Chinês, que tem uma decoração e gastronomia dedicados à cultura chinesa e também a obra de Arte “Les Touristes” (1989) (ou “Os Turistas”) de Elisabeth Buffoli, que foi oferecida pela França em 2017 em comemoração aos 375 anos de Montreal. A obra representa a coabitação harmoniosa entre turistas e residentes da cidade!!! E para saber mais detalhes sobre a artista e a obra, é só conferir o site: https://artpublic.ville.montreal.qc.ca/en/oeuvre/les-touristes/

Interagindo com a Obra “Les Touristes”

Voltamos para o ônibus turístico com destino à próxima parada no Bonsecours Market / Marché Bonsecours (ou Mercado Bonsecours) que foi inaugurado em 1847 e construído em estilo neoclássico, que refletia o gosto da época e chama bastante atenção de quem passa pela região da Velha Montreal. O Mercado Bonsecours (que fica no nº 350, Rue Saint-Paul Est) foi utilizado como sede da Prefeitura até 1878 e atualmente é a sede do Conselho de Artesanato de Quebec e abriga diversas lojas dessa arte, como roupas, acessórios, lembrancinhas da cidade, entre outros produtos cheios de design, além de restaurantes e espaços para eventos. Para saber mais detalhes do que encontrar por lá, é só conferir o site: https://www.marchebonsecours.qc.ca/fr/index.html

Fachada do Bonsecours Market

Bem pertinho dali fica a Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours,  que foi construída em 1771 no local onde havia ruínas de uma capela anterior. A Capela foi feita em homenagem a Nossa Senhora da Boa Ajuda e é apelidada de “Capela dos Marinheiros”, por ser um local de peregrinação dos marinheiros que chegavam no antigo porto e vinham até a Capela agradecer por ter dado tudo certo na viagem.

O Altar da Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours
E o interior da Capela
Detalhe do Barco

A ideia da construção da Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours começou em 1655 por iniciativa da Santa Marguerite Bourgeoys que era uma freira francesa e fundadora da Congregação de Notre-Dame. Em 1673 ela trouxe da França uma imagem de Nossa Senhora da Boa Ajuda para a primeira igreja que foi construída em 1678 e pegou fogo em 1754, porém a estátua foi salva e encontra-se guardada na Capela atual, que também abriga o túmulo de Santa Marguerite Bourgeoys. Tivemos a oportunidade de contemplar a imagem dessa santa na Basílica de Notre-Dame.

Túmulo de Santa Marguerite Bourgeoys na Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours
Imagem de Santa Marguerite Bourgeoys na Basílica de Notre-Dame

Além da Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours que é muito bonita, também é possível visitar o Museu Marguerite Bourgeoys, dedicado à vida dessa Santa e ao início da história de Montreal, e também um sítio arqueológico embaixo da Capela. O endereço é 400, Rue Saint Paul Est e para saber mais informações e detalhes é só dar uma olhadinha no site: https://margueritebourgeoys.org/historique/

Parte de trás da Capela de Notre-Dame-de-Bon-Secours, com Nossa Senhora abençoando o Rio Saint-Laurent

Atravessando a rua, em frente ao Bonsecours Market, na Île Bonsecours, fica a Poderosíssima La Grande Roue de Montréal (ou Roda Gigante de Montreal), que proporciona uma experiência inesquecível a 60 metros de altura, com uma vista maravilhosa do Rio Saint-Laurent, da Ponte Jacques Cartier, da Velha Montreal, entre muitos outros pontos da cidade.

A Poderosíssima Roda Gigante de Montreal…
E sua vista incrível!!!

A Roda Gigante de Montreal foi inaugurada em 2017 em comemoração aos 375 anos da cidade e é a mais alta do país. Suas 42 cabines podem acomodar até oito pessoas e são climatizadas tanto pro inverno, quanto pro verão (permitindo que ela funcione o ano todo das 10h às 23h). O ingresso adulto custou CAD$ 25 e o passeio dura cerca de 20 minutos. Dá só uma olhadinha nesse vídeo que postei no nosso Canal do Youtube pra ter uma ideia da vista encantadora: https://youtu.be/MBXW1apEJ0A

Você também pode aproveitar o caminho para chegar até a Roda Gigante de Montreal para contemplar a paisagem e tirar belas fotos e ainda passar numa feirinha de artesanato. Para saber mais informações é só conferir o site: www.lagranderouedemontreal.com

Continuando o percurso no Bus Turístico, passamos pelo Centro de Ciências de Montreal (Montreal Science Centre), que é uma ótima opção para as crianças mergulharem nesse universo de ciência e tecnologia (www.centredessciencesdemontreal.com) e também pela Praça Jacques-Cartier (Place Jacques-Cartier), que foi criada no século XIX e é uma das mais movimentadas da cidade, tem bares, lojinhas, entre outros estabelecimentos e uma coluna “Nelson’s Column” (Coluna de Nelson), em homenagem ao almirante Horatio Nelson e é um dos monumentos mais antigos de Montreal.

Praça Jacques-Cartier com a Coluna de Nelson ao fundo
Centro de Ciências de Montreal

Nossa próxima parada foi no Museu de Belas Artes de Montreal (ou Montreal Museum of Fine Arts – sigla MMFA), que é dividido em cinco pavilhões, sendo considerado o maior do Canadá em espaço de galeria e tendo um acervo permanente de mais de 40.000 obras. Começou como a Associação de Arte de Montreal em 1860 e recebeu a nomenclatura atual em 1949.

O lindo complexo do Museu de Belas Artes de Montreal

Além de todo o acervo interno, o Museu de Belas Artes de Montreal conta com um lindo Jardim de Esculturas na parte exterior, com obras lindíssimas como “The Sun” (“O Sol”) de Dale Chihulye e a estátua “Shadows II” (“Sombras II”) de Jaume Plensa – o mesmo artista da obra “Sanna” que vimos em Bordeaux (não está lembrando ou quer rever essa obra é só dar uma olhadinha na postagem:  https://cadaviagemumabagagem.com/os-encantos-da-franca/).

Com a obra “The Sun”
E a obra “Shadows II”

O Museu de Belas Artes de Montreal fica na 1380 Sherbrooke Street West e funciona de terça a domingo das 10h às 17h. Para saber maiores informações é só olhar o site: https://www.mbam.qc.ca/en/ Entre as exposições temporárias do Museu, tem essa sobre as Múmias Egípcias, com fotos e detalhes no site: https://www.mbam.qc.ca/en/exhibitions/8810/

Seguindo nosso passeio, vamos agora para um lugar encantador, prepare as perninhas para subir alguns degraus e chegar até o Oratoire Saint-Joseph du Mont-Royal (ou Oratório de São José do Monte Royal), que começou a ser construído em 1904, como uma pequena capela, que foi ampliada em 1917 e inaugurada como basílica em 1924, sendo concluída somente em 1967. Além da paz interior proporcionada pela Igreja, a vista também é um convite à visitação.

Oratório de São José
Vista da Escadaria do Oratório de São José

O Oratório de São José foi feito em homenagem à São José de Nazaré, pai de Jesus e protetor dos trabalhadores. A ideia de sua construção partiu do Frei André (também chamado de Beato ou Irmão André), que ficou conhecido por operar milagres de cura, mas sempre dando os créditos à intercessão de São José. Frei André faleceu em 1937 com 91 anos de idade e sua beatificação se deu em 1982 pelo Papa João Paulo II. Ao lado do Oratório, tem a Capela de Frei André, que também reproduz como era seu quarto.

O Altar do Oratório e São José na Lateral
Capela de Frei André

Vale lembrar que o Oratório de São José possui seis andares (ou níveis como eles costumam chamar), mas tem escada rolante e elevadores entre eles, garantindo acessibilidade a todos. A parte da Basílica fica no 6º andar e é lindíssima, conseguindo ser imponente e acolhedora ao mesmo tempo.

Interior da Basílica do Oratório de São José
Na Basílica do Oratório de São José

Nos outros andares do Oratório de São José tem Museu, lojinha de lembrancinhas religiosas, Capela das Velas, a Cripta (onde é mais um espaço para celebração de missas), entre outros ambientes. O Oratório fica no nº 3800, Queen Mary Road e para saber mais informações é só conferir o site: https://www.saint-joseph.org/fr/  . E que São José abençoe a todos!!!

São José na Capela das Velas
Igreja da Cripta

Voltamos para o ônibus turístico e seguimos para a próxima parada no Parc Mont-Royal (ou Parque Monte Royal), que foi inaugurado em 1876 para preservação da montanha e da natureza em meio ao crescimento industrial e comercial de Montreal. O parque tornou-se um refúgio verde na cidade para lazer, prática de esportes, trilhas, mirantes com vistas encantadoras da cidade, como o  Belvédère Camillien Houde, entre outros espaços e atividades ao redor dos 200 hectares de área do parque.

Olha só a vista do Parc Mont-Royal

Uma curiosidade sobre o Parc Mont-Royal é que seu projeto foi feito pelo arquiteto e paisagista Frederick Law Olmsted, o mesmo que projetou o Central Park de Nova York e que está de parabéns pelo primor de seu trabalho!!! Vale lembrar que o parque fica em 1260 Remembrance Road e para saber mais informações é só conferir o site: https://www.lemontroyal.qc.ca/en .

Voltamos com o ônibus turístico para o ponto inicial e de lá seguimos a pé passeando pela cidade até chegar no Observatoire Place Ville Marie (ou  Observatório Place Ville Marie). E você que me acompanha no blog já sabe como sou apaixonada por altura e mirante, então não podia perder a oportunidade de conhecer esse observatório que proporciona uma vista de 360º de Montreal a uma altura de 185 metros.

Prédio do Observatório Place Ville Marie
E sua linda vista!!!

O Observatório Place Ville Marie fica no nº 1, Place Ville Marie (Boulevard René-Lévesque / Boulevard Robert-Bourassa) e o mirante de observação fica no 46º andar do edifício. Também tem um terraço com um mirante e restaurante no 44º andar. O ingresso adulto para o observatório custou CAD$ 19 (mas tem desconto para crianças e idosos) e o horário de funcionamento varia conforme as estações do ano, então para saber certinho é só olhar o site: https://www.observatoire360.com/ . Aproveita e dá uma olhadinha no vídeo que postei no nosso canal do youtube dessa visita: https://youtu.be/6bmNCCwPAZA . A vista é realmente encantadora e vale muito a pena esse passeio!!!

A Irmãs com essa vista encantadora
O Restaurante do 44º andar

Tantos lugares para conhecer, com certeza você deve estar se perguntando se não vamos parar para comer, não é mesmo? Então calma, que chegou a hora de experimentar um prato bem tradicional de Montreal, o Schwartz’s Smoked Meat, que é um sanduíche de carne defumada da Lanchonete Schwartz’s, que fica na 3895 Boulevard Saint-Laurent.

O Schwartz’s é bem famoso na cidade e tem mais de 90 anos de história, o que explica a fila na porta para entrar no estabelecimento, que manteve o layout original da época de sua inauguração. Como sou vegetariana, optei pelo poutine (outra comida tradicional canadense à base de batata) e a minha irmã e degustadora oficial do blog ficou com a missão de provar o Smoked Meat que lembra bastante o famoso sanduíche de mortadela do Mercadão Municipal de São Paulo. Também provamos o refrigerante de cereja preta (black cherry) que é bem típico na região. Para conhecer mais detalhes sobre a lanchonete e outros itens do cardápio é só conferir o site: https://www.schwartzsdeli.com/

Pausa pro Lanche no Schwartz’s
Destacando o Refrigerante de Cereja Preta e para o Smoked Meat da Ane

Para fechar com chave de ouro esse dia tão especial, nada melhor que curtir a noite de sábado em um pub… Então fomos conhecer o Sir Winston Churchill Pub, que possui ótimos drinks e vários ambientes desde mesas externas para um bate-papo no happy hour até pista de dança para os mais animados. O pub fica em 1455 Crescent Street, rua que é bastante agitada, repleta de bares e restaurantes!!! Mais informações estão no site: https://www.swcpc.com/SirWinston/

Sir Winston Churchill Pub
Um brinde à noite de Montreal!!!!

Roteiro do Segundo dia: Parque Olímpico, Torre Inclinada, Planetário, Jardim Botânico, Praças das Artes, RESO, Basílica Maria Rainha do Mundo

Para começar bem o dia, vamos tomar o café da manhã em outra cafeteria que também é bem tradicional na cidade, o Café Van Houtte, que começou como uma loja de produtos importados em 1919 e se transformou no primeiro “Café” (estilo bistrô como conhecemos atualmente) da América do Norte em 1975. Nós fomos na unidade do 1515 Rue Sainte-Catherine Ouest  mas existem muitas outras espalhadas por Montreal e também por outros lugares  do Canadá. Para saber mais detalhes é só conferir o site: https://cafevanhoutte.com/en/

Depois do café, já estamos animadas para começar a jornada de hoje, que será bem longa. Mas Montreal tem um bom sistema de transporte público, tanto de ônibus quanto de metrô, que permite explorar muito bem a cidade. Para chegar até o Parque Olímpico que é nosso primeiro destino de hoje, fomos até a estação “Guy-Concordia”, que era a mais próxima da cafeteria, e pegamos a linha verde do metrô (sentido: “Honoré-Beaugrand”) para descer na “Pie-IX”.  Para calcular o melhor itinerário conforme sua localização e saber mais informações é só acessar o site: https://m.stm.info/en

Vamos conhecer agora o Parc Olympique (ou Parque Olímpico / Complexo Olímpico), que foi construído em 1976 para sediar os Jogos Olímpicos de Verão e em toda sua trajetória já recebeu mais de 67 milhões de visitantes, dentre eles muitas celebridades como a Rainha Elizabeth II, que estava presente na inauguração.

Parque Olímpico

O Parque Olímpico é composto pelo Estádio (que tem capacidade para comportar 56 mil pessoas e além de atividades esportivas, recebe shows e muitos outros eventos), pela Esplanade,” ou Esplanada (que é uma grande área externa ao redor do Estádio que recebe vários eventos também), pelo Centro Esportivo (que é referência no treinamento tanto de atletas profissionais como o público em geral) e também pelo Biodôme, Planetário, Insectário e pela Torre Inclinada que vou falar mais adiante. Para saber maiores informações sobre tudo o que esse complexo tem a oferecer, é só dar uma olhada no site: https://parcolympique.qc.ca

Eu sou uma vencedora!!!!
PS: Ninguém pode dizer que não subi no pódio….rsrs
A Esplanada

Com certeza, um dos lugares que mais chama a atenção no Parque Olímpico é “La Tour de Montréal” ou The Montreal Tower”, a lindíssima Torre Inclinada de Montreal, que com sua altura de 165 metros e sua inclinação de 45°graus é considerada a torre inclinada mais alta do mundo.

A Torre Inclinada de Montreal foi projetada pelo arquiteto Roger Tailibert com uma estrutura que realmente impressiona: o topo da torre pesa 8000 toneladas e é conectado permanentemente à estrutura e a base de concreto de 145.000 toneladas  está enterrada cerca de dez metros abaixo do nível do solo. A Torre foi aberta ao público em 1987 e tem um observatório no seu topo que permite uma vista panorâmica incrível da cidade.

A Torre Inclinada de Montreal….
E sua linda vista!!!

O acesso ao Observatório da Torre Inclinada, é feito através de um Funicular que pode transportar até 50 passageiros por vez e leva apenas dois minutos para chegar ao topo da Torre.

A vista de 360° do Observatório da Torre é realmente encantadora. É possível ter uma visão privilegiada de todo o Complexo Olímpico, do Jardim Botânico, do Biodôme e se estende a mais de 80 km em dias claros. Os ingressos adultos para o Observatório custam CAD$24,25 (mas tem desconto para idosos, crianças e alguns combos com outras atrações do Parque).

Admirando essa vista encantadora….
Do Complexo Olímpico, do Biodôme…
E do Jardim Botânico vistos da Torre Inclinada

No térreo  da Torre Inclinada é possível visitar a Exposição Depuis 1976” (Desde 1976), que conta toda a história do Parque Olímpico desde a construção até a atualidade. E o ingresso da Exposição está incluso no do Observatório. Para maiores informações, é só acessar o site: https://parcolympique.qc.ca/quoi-faire/la-tour/

Depois de contemplar a vista deslumbrante do Parque Olímpico através da Torre Inclinada, vamos continuar a explorá-lo, conhecendo agora o “Planétarium Rio Tinto Alcan”, o Novo Planetário, que foi inaugurado em 2013 em substituição ao Planetário de Montreal (ou “Dow Planetarium”), que funcionou entre 1966 e 2011. O Novo Planetário veio como uma abordagem inovadora da astronomia, repleto de tecnologia e sustentabilidade, proporcionando experiências fascinantes em seus dois teatros. Não é permitido fotografar ou filmar as apresentações, mas só pelo layout da sala, já dá pra ter uma ideia do que te espera…

“Planétarium Rio Tinto Alcan”

Além das projeções, o Planetário Rio Tinto Alcan também conta com exposições sobre o espaço e astronomia, buscando sempre a interatividade para atrair e encantar o público. A visitação às exposições é gratuita, somente o acesso ao teatro é que precisa de ingresso, que custou CAD$ 20,50 para dois filmes, entre eles o da Aurora Boreal, que é maravilhoso. Para saber mais detalhes, basta conferir o site: www.espacepourlavie.ca/planetarium .

Com um meteoro nas mãos….

Como já mencionei anteriormente, também fazem parte do Parque Olímpico: o Biodôme (https://espacepourlavie.ca/biodome – o antigo velódromo, que foi transformado em um espaço que reproduz quatro ecossistemas encontrados na América, com suas respectivas fauna e flora) e o Insectário (https://espacepourlavie.ca/insectarium – que é um museu especializado em mostrar a vida dos insetos, com o objetivo de educar e sensibilizar as pessoas para a importância destes na natureza). Porém quando eu fui, os dois estavam fechados para reforma, se quando você for estiver aberto, compartilha nos comentários como foi sua experiência por lá.

Biodôme visto da Torre…
E sua entrada

Bem pertinho do Parque Olímpico fica o deslumbrante “Jardin Botanique” ou Jardim Botânico, que foi fundado em 1931 e renovado com o passar do anos, sendo considerado um dos maiores do mundo, tanto em extensão (75 hectares) quanto em diversidade botânica (mais de 22 mil espécies de plantas).

Jardim Botânico

Desde sua criação, o Jardim Botânico tem um importante papel na preservação de espécies da flora nativa que estavam em extinção, bem como para estudo e conscientização. Ele possui uma imensa área verde, 10 estufas de exposição, 20 jardins temáticos e três jardins culturais como o JardimJaponês, O Jardim das Primeiras Nações e o Jardim Chinês (que sua beleza pode até ser contemplada da Torre Inclinada), entre outros espaços. Os ingressos adultos para a visita ao Jardim, custam CAD$ 21 (tem descontos para idosos, crianças e família) e com certeza é um lugar que você pode passar o dia explorando, mas se você estiver com o tempo corrido, confira o mapa no site e já escolha as áreas que deseja visitar para otimizar o tempo: https://espacepourlavie.ca/jardin-botanique. E desfrute ao máximo das cores e belezas desse paraíso!!!

Jardim Chinês visto da Torre Inclinada

Toda essa maratona de passeios, já está dando uma fominha, não é verdade? Então vamos fazer nossa pausa para o lanche no St. Viateur Bagel & Café Mont-Royal (1127, Av. Mont-Royal Est.) e experimentar os famosos bagels! Existem outras unidades do St. Viateur Bagel por Montreal, mas optamos por essa por ter a parte do café (em outras é só a padaria e para viagem) e também por ficar mais fácil para ir de metrô do Jardim Botânico pra lá (pegamos a linha verde na estação Pie-IX, descemos na estação Berri-UQAM e fizemos baldeação para a linha laranja para descer na estação Mont-Royal, que é a mais próxima do nosso destino).

St. Viateur Bagel & Café
Hora de provar as bagels

O  St. Viateur Bagel & Café Mont-Royal possui várias opções de lanches com Bagels (que é um tipo de pão deles), minha irmã escolheu o  Bagel Sandwich Traditional com salmão defumado e eu escolhi  Bagel Sandwich Veggie Deluxe (que é vegetariano), nós super aprovamos as opções, além dos smoothies que estavam deliciosos, como o Very Berry, que combina todos os “berrys” que conhecemos: blueberry, strawberry, raspberry, blackberry, cranberrycom o suco de maçã! E o Ooh La La que mistura manga com morango e suco de maçã!!! Para conhecer mais opções do cardápio e mais informações é só acessar o site: http://www.stviateurbagel.com/

 Meu Bagel Sandwich Veggie Deluxe
E o Bagel Sandwich Traditional com salmão defumado da Ane

Agora que já repomos a energia, vamos continuar nosso passeio para conhecer a “Place des Arts” ou  Praça das Artes que é um complexo cultural que abriga os principais centros artísticos de Montreal, com atrações para todos os gostos, incluindo shows, festivais, teatro, exposições, entre outros eventos.

Conhecendo a Praça das Artes….

A Place des Arts foi criada por iniciativa do Prefeito Jean Drapeau e inaugurada em 1963, com a intenção ter uma sala de espetáculos à altura dos complexos culturais das grandes metrópoles. E assim foi feito e vem crescendo com o passar do tempo. Nesse complexo cultural fica a Ópera de Montreal, a sede da companhia de balé da cidade “Les Grands Ballets Canadiens de Montréal”, grandes teatros, além de centros comerciais e do Museu de Arte Contemporânea (MAC).

Ópera de Montreal
Museu de Arte Contemporânea (MAC) de Montreal

Para ir da St. Viateur Bagel para a Praça da Artes, fomos até a Estação Mont-Royal e pegamos a linha laranja até a estação Berri-UQAM, onde fizemos baldeação para a linha verde até a Estação Place des Arts. Lembrando que para consultar qualquer itinerário é só acessar o site: http://www.stm.info/en . Então se você está procurando diversão e arte, inclua a Place des Arts em seu roteiro por Montreal e para conferir a programação de tudo que acontece por lá é só acessar o site: https://placedesarts.com/

Continuando nosso passeio, vamos conhecer agora algo que é bem tradicional de Montreal o “RESO” ou “Underground City” que é a Cidade Subterrânea de Montreal, assim como vimos o Path em Toronto (se você não está lembrando ou ainda não viu, é só dar uma olhadinha na nossa postagem sobre o TOP 10 de Toronto: https://cadaviagemumabagagem.com/top-10-de-toronto/).

RESO

O RESO recebeu esse nome por ser um homófono (mesmo som) da palavra francesa “réseau”, que significa rede, e realmente é uma verdadeira rede de túneis de mais de 30km que interligam a parte subterrânea de prédios, com centros comerciais, shoppings centers, estações de trem e metrô, entre outros empreendimentos, que facilitam muito a vida dos moradores e turistas durante o inverno, chegando ao número de 500.000 pessoas circulando diariamente pelo RESO durante essa estação. Entre os diversos shoppings subterrâneos, visitamos o Place Montreal Trust, que é muito bonito e bem parecido com os shoppings que estamos acostumados, para conhecer mais sobre ele é só acessar o site: https://www.placemontrealtrust.com/en/.

Existem vários acessos para o RESO, o que nós usamos foi o 977, rue Sainte-Catherine Ouest, onde fica o Cinéma Banque Scotia Montréal, mas existem muitos outros. É só conferir no site qual fica mais próximo de onde você está e também tudo o que você pode encontrar por lá: https://montrealundergroundcity.com/

Nosso tour por Montreal vai chegando ao fim, mas para completar a viagem, nada melhor que receber as bençãos de Nossa Senhora naBasilique-Cathédrale Marie-Reine-du-Monde” ou  Basílica-Catedral Maria Rainha do Mundo, que foi inaugurada em 1894, tendo passado por duas etapas de construção (de 1870 a 1878 e de 1885 a 1894), sendo inspirada na Basílica de São Pedro (em Roma), e primeiramente consagrada à São Tiago Maior (com o nome de Catedral São Tiago) e em 1955 consagrada à Maria Rainha do Mundo pelo Papa Pio XII.

Fachada da Basílica-Catedral Maria Rainha do Mundo

A Basílica-Catedral Maria Rainha do Mundo tem uma arquitetura belíssima, mesclando os estilos renascentista e barroco, que realmente impressiona, são 101m de comprimento, 46m de largura, chegando a 77m de altura na cúpula, que tem um diâmetro de 23 m. Uma curiosidade bem interessante é que as estátuas na fachada da Catedral representam os santos padroeiros das treze paróquias de Montreal e não os doze apóstolos como na fachada da Basílica de São Pedro.

Interior da Basílica-Catedral Maria Rainha do Mundo
Detalhe das Estátuas na Fachada

Também chamam a atenção na Basílica-Catedral Maria Rainha do Mundo, o Baldaquino do altar, com suas colunas torcidas,  totalmente feito à mão com cobre vermelho e folhas de ouro, reproduzindo o famoso baldaquino da Basílica de São Pedro. E o Órgão, que foi inaugurado em 1893 e reformado posteriormente, aumentando sua imponência. Vale muito a pena visitar a Basílica e contemplar toda sua beleza. Para saber mais detalhes e horário de funcionamento, é só conferir o site: http://microsites.diocesemontreal.org/microsites/cathedralecatholiquedemontreal/

A preciosidade do Baldaquino
Detalhe do Órgão

Que Nossa Mãe Maria, Rainha do Mundo abençoe a todos nós!!! Muita Gratidão a Deus por ter conhecido essa cidade e passado esse final de semana incrível em Montreal!!!! E se você gostou desse post, compartilhe com seus amigos para que possam se divertir também, e siga nossas redes sociais para saber em primeira mão as novidades: Instagram (@cadaviagemumabagagem) e Facebook (https://www.facebook.com/cadaviagemumabagagem/)  e se inscreva no nosso canal do Youtube (Cada Viagem uma Bagagem): https://www.youtube.com/channel/UC5Q29-MYuWjvPH__wWhF42A

Com as bençãos de Nossa Mãe Maria, Rainha do Mundo nos despedimos de Montreal

***** Bônus – Super Dicas de Onde Beber e Comer em Toronto

Agradeço de coração sua companhia nesse tour por Montreal!!! Espero que tenha aproveitado os passeios!!! E conto com você para me acompanhar na próxima postagem, onde vou passar dicas muito interessantes de onde comer e beber em Toronto, desde um café no Tim Hortons, passando para provar os tipos mais diferentes de poutine no Smoke’s Poutinerie, até curtir uma baladinha no The Raq Bar & Lounge, entre muitos outros lugares entre eles!! Te  espero lá!!!

No Tim Hortons

A Weekend in Montreal

Today I want to invite you to spend a weekend in a beautiful city, which is about 335 miles from Toronto, which has a charming French accent and is full of attractions !!! Will you accompany me on this Montreal tour?

View of the Montreal Observation Wheel

There are several ways to travel from Toronto to Montreal, you can rent a car and go on your own, take the bus or train, or choose the air way, which was our option to optimize the time (the flight to the airport) Montreal – Pierre Elliott Trudeau International Airport – acronym YUL – lasts about 1h10min). We took the flight on Friday night and also returned by air on Sunday night.

We took a taxi from the airport to the hotel, but it is also possible to take the 747 Aéroport P.-E.-Trudeau Shuttle bus, which makes the journey between the airport and the city center, passing through several hotels and tourist attractions. On the way back to the airport we went with this bus.

We stayed at the Novotel Montreal Centre, which is in the central area of ​​the city (1180, Rue de la Montagne) and very close to Rue Sainte-Catherine, which is famous in the city and full of shops (if you like kicking and can’t resist doing some shopping will love this street). We really like the structure of the Hotel and the location! To find out more information and details about reservations, just access the website: https://www.novotelmontreal.com/

Novotel Montreal Centre

My sister Ane accompanied me on this journey more and now that we are already well accommodated, we will rest for tomorrow to start our , I will separate for days to tell you exactly how we did it, it was busy, but we got to know several places and if you have the opportunity to stay longer, you can dismember the itinerary and enjoy the walks more calmly…

First Day Itinerary: Tourist Bus / Notre Dame Cathedral / Montreal Observation Wheel / Saint Joseph Oratory / Mont Royal Park / Place Ville Marie Observatory / Schwartz’s – Smoked Meat / Sir Winston Churchill Pub

To start the day well, nothing like a good coffee to wake up, so we went to taste the coffee from Second Cup Coffee, which is one of the very traditional chain stores in Canada. The one we visited was Rue Sainte Catherine, 1166, but it has other units in the city and if you like it, you can also go to the Toronto franchise. To find out more details and see the delights of the cafeteria, just check the website: https://secondcup.com

Breakfast in the Second Cup Coffee …

To better enjoy the time and get to know the main sights of Montreal, my tip is the tour on the Hop-On Hop-Off Gray Line Montreal Tourist Bus. I love the ride on these buses because you get to know a little bit of each place with the audio information during the route and you can disembark at the attractions that interest you most and board the bus again as many times as you want during the validity period of the ticket, which in this itinerary here is for two consecutive days, from 10 am to 4 pm. The full bus ride takes about two hours to go through the nine stops and the adult ticket cost CAD $ 57 when I went.

Gray Line Montreal Tourist Bus

We started the tour at the starting point at 1255, Peel Street, in front of the tourist information office (where we bought the ticket for this tour and the ticket for local public transport). It is also possible to take the Gray Line Montreal Tourist Bus at any of the stops if you already have a ticket. More information is available at: http://www.grayline.com/things-to-do/canada/montreal/. Shall we board this bus?

Our first stop was Old Montreal (also called  Vieux Montréal), where the beautiful Notre Dame Basilica is located. Remembering that both English and French are official languages ​​of Montreal, but the predominance spoken, as in Quebec, is French, so enjoy the sound of this beautiful language, but don’t worry that in places it has English indication and they too understand if you choose this language instead of French.

Notre Dame Basilica

Now, let’s talk again about the imposing Notre Dame Montreal Basilica, built between 1823 and 1829, in neo-Gothic style, designed by James O’Donnell to accommodate about three thousand people, because the first parish in honor of Our Lady (built around 1672) was not enough to welcome everyone. It is not only the size that impresses, but also the beauty! The altar features biblical passages carved in wood, in addition to being all in blue and gold, which creates a fascinating effect.

Inside the Notre Dame Montreal Basilica
Detail of the Altar sculptures

The Notre Dame de Montreal Basilica has undergone several transformations, such as the inclusion of the two bell towers between 1841 and 1843, among others, making it one of the most important religious temples in the country, receiving the visit of Pope John Paul II in 1982 and the title of Canada’s historic place in 1989. In addition to many important events such as Luciano Pavarotti’s performance at the 1978 Christmas Concert and Celine Dion’s wedding in 1984, among others.

Details of Basilica
And two bell towers

To enter the Notre Dame de Montreal Basilica, a admission fee is charged, which costs about CAD $ 10 for adults, with the right to a 20 min guided tour (it is also possible to take a guided tour largest “Le Grand Tour” of one hour and which costs CAD $ 20, but it is necessary to book in advance). It is very worth to enter because the Basilica has so much detail that it fills the eyes, such as the stained glass, the organ, the oratories, in addition to transmitting a lot of peace !!! To find out more details about the history and events of the Basilica just visit the website: https://www.basiliquenotredame.ca/en.

The grandeur of the Organ of Notre Dame Basilica

It is worth remembering that the Notre Dame Basilica is located in Place d’Armes, which was one of the first squares in the city and is surrounded by buildings that, like the Basilica, portray various periods in Montreal’s history, such as the headquarters of the first bank (Bank of Montreal), among others, and the Maisonneuve Monument in memory of Paul de Chomedey, founder of Montreal.

My Sister Ane at Bank of Montreal…
And I at Maisonneuve Monument

Nearby is the Chinatown, which has a decoration and gastronomy dedicated to Chinese culture and also the artwork “Les Touristes” (1989) (or “The Tourists”) by Elisabeth Buffoli, which was offered by France in 2017 in celebration of Montreal’s 375 years. The work represents the harmonious cohabitation between tourists and residents of the city !!! And to know more details about the artist and the work, just check the website: https://artpublic.ville.montreal.qc.ca/en/oeuvre/les-touristes/

Interecting with the artwork “Les Touristes”

We return to the tourist bus to the next stop at the Bonsecours Market / Marché Bonsecours  which was opened in 1847 and built in a neoclassical style, which reflected the taste of the time and draws a lot of attention from those who pass through the Old Montreal region . The Bonsecours Market (located at 350, Rue Saint-Paul Est) was used as the seat of the City Hall until 1878 and is currently the seat of the Quebec Crafts Council and houses several shops of this art, such as clothes, accessories, souvenirs of the city , among other products full of design, in addition to restaurants and spaces for events. To find out more details of what to find there, just check out the website: https://www.marchebonsecours.qc.ca/fr/index.html

Bonsecours Market

Very close by is the Chapel of Notre-Dame-de-Bon-Secours, which was built in 1771 on the site where there were ruins of an earlier chapel. The Chapel was made in honor of Nossa Senhora da Boa Ajuda and is nicknamed “Chapel of the Sailors”, as it is a place of pilgrimage for sailors who arrived at the old port and came to the Chapel to thank them for having done everything right on the trip.

Altar of Chapel of Notre-Dame-de-Bon-Secours
Detail of Organ

The idea of ​​building the Chapel of Notre-Dame-de-Bon-Secours started in 1655 on the initiative of ​​Santa Marguerite Bourgeoys who was a French nun and founder of the Congregation of Notre-Dame. In 1673 she brought an image of Our Lady of Good Help from France to the first church that was built in 1678 and caught fire in 1754, but the statue was saved and is kept in the current Chapel, which also houses the tomb of Saint Marguerite Bourgeoys. We had the opportunity to contemplate the image of this saint in the Notre-Dame Basilica.

The tomb of Saint Marguerite Bourgeoys in Chapel of Notre-Dame-de-Bon-Secours
Saint Marguerite Bourgeoys in the Notre-Dame Basilica

In addition to the beautiful Notre-Dame-de-Bon-Secours Chapel, it is also possible to visit the Marguerite Bourgeoys Museum, dedicated to the life of this Saint and the beginning of Montreal’s history, and also an archaeological site under the Chapel. The address is 400, Rue Saint Paul Est and to find out more information and details just take a look at the website: https://margueritebourgeoys.org/historique/

Back of Notre-Dame-de-Bon-Secours Chapel, with Our Mother blessing the Saint-Laurent River

Crossing the street, in front of the Bonsecours Market, on the Île Bonsecours, is the Powerful La Grande Roue de Montréal (or Montreal Observation Wheel), which provides an unforgettable experience at 60 meters high, with a wonderful view of the Saint-Laurent River , the Jacques Cartier Bridge, Old Montreal, among many other points in the city.

The Powerful Montreal Observation Wheel…
And its incredible view!!!

Montreal Observation Wheel opened in 2017 to celebrate the city’s 375th anniversary and is the tallest in the country. Its 42 cabins can accommodate up to eight people and are air conditioned for both winter and summer (allowing it to operate all year from 10 am to 11 pm). The adult ticket cost CAD $ 25 and the tour lasts about 20 minutes. Just take a look at this video that I posted on our Youtube Channel to get an idea of ​​the enchanting view: https://youtu.be/MBXW1apEJ0A

Enchanting view by Montreal Observation Wheel!!!

You can also take the route to reach the Montreal Observation Wheel to contemplate the landscape and take beautiful photos and still stop by a craft fair. To find out more information just check the website: www.lagranderouedemontreal.com

Continuing the route on the Tourist Bus, we pass the Montreal Science Center, which is a great option for children to immerse themselves in this universe of science and technology (www.centredessciencesdemontreal.com ) and also by Jacques-Cartier Square (Place Jacques-Cartier), which was created in the 19th century and is one of the busiest in the city, has bars, shops, among other establishments and a “Nelson’s Column”, in honor of Admiral Horatio Nelson and is one of Montreal’s oldest monuments.

Montreal Science Center
Jacques-Cartier Square

Our next stop was at the Montreal Museum of Fine Arts (MMFA), which is divided into five pavilions, being considered the largest in Canada in gallery space and having a permanent collection of over 40,000 works . It started as the Montreal Art Association in 1860 and received its current nomenclature in 1949.

The beautiful Montreal Museum of Fine Arts Complex

In addition to the entire internal collection, the Montreal Museum of Fine Arts has a beautiful Sculpture Garden on the outside, with beautiful works such as Dale Chihuly’s “The Sun” and the “Shadows II” statue of Jaume Plensa – the same artist from the work “Sanna” that we saw in Bordeaux (you don’t remember or want to review this work, just take a look at the post: https://cadaviagemumabagagem.com/os-encantos-da-franca/).

The Montreal Museum of Fine Arts is located at 1380 Sherbrooke Street West and is open from Tuesday to Sunday from 10 am to 5 pm. To find out more information just look at the website: https://www.mbam.qc.ca/en/ Among the Museum’s temporary exhibitions, there is this one about the Egyptian Mummies, with photos and details on the website: https://www.mbam.qc.ca/en/exhibitions/8810/

Following our tour, we will now go to a charming place, prepare the legs to climb some steps and reach the Oratoire Saint-Joseph du Mont-Royal (or Oratory of Saint Joseph of Mount Royal), which began to be built in 1904, as a small chapel, which was enlarged in 1917 and opened as a basilica in 1924, being completed only in 1967. In addition to the interior peace provided by the Church, the view is also an invitation to visitation.

Oratory of Saint Joseph of Mount Royal

Saint Joseph’s Oratory was held in honor of Saint Joseph of Nazaré, father of Jesus and protector of workers. The idea of ​​its construction came from Brother André, who became known for performing miracles of healing, but always giving credit to the intercession of Saint Joseph. Brother André died in 1937 at the age of 91 and his beatification occurred in 1982 by Pope John Paul II. Next to the oratory is the Chapel of Brother André, which also reproduces what his room was like.

Saint Joseph of Nazaré
Inside Chapel of Brother André

It is worth remembering that the Saint Joseph’s Oratory has six levels,  but has escalators and elevators between them, ensuring accessibility for everyone. The part of the Basilica is on the 6th floor and is beautiful, managing to be imposing and welcoming at the same time.

Inside the Basilica of St. Joseph’s Oratory
Basilica of St. Joseph’s Oratory

On the other floors of the Saint Joseph’s Oratory there is a Museum, a shop with religious souvenirs, Chapel of Candles,  the Crypt (where it is another space for mass celebration), among other environments. The Oratory is at 3800, Queen Meary Road and to find out more information just check the website: https://www.saint-joseph.org/fr/. And may Saint Joseph bless you all!!!

Chapel of Candles

We return to the tourist bus and continue to the next stop at Parc Mont-Royal (or Mont Royal Park), which opened in 1876 to preserve the mountain and nature amidst Montreal’s industrial and commercial growth. The park has become a green haven in the city for leisure, sports, trails and points with lovely views of the city, such as the Belvédère Camillien Houde, among other spaces and activities around the park’s 200 hectares.

Look at the view of Monte Royal Park…

A curiosity about the Mont Royal Park is that its project was made by the architect and landscape architect Frederick Law Olmsted, the same one who designed the Central Park of New York and that is to be congratulated for the excellence of his work !!! Remember that the park is at 1260 Remembrance Road and to find out more information just check the website: https://www.lemontroyal.qc.ca/en.

We return with the tourist bus to the starting point and from there we walk on foot through the city until arriving at the Observatoire Place Ville Marie (or  Place Ville Marie Observatory). And you who follow me on the blog already know how passionate I am about height and lookout, so I couldn’t miss the opportunity to visit this observatory that offers a 360º view of Montreal at a height of 185 meters.

 Place Ville Marie Observatory
And its beautiful View….

Place Ville Marie Observatory is located at n. 1, Place Ville Marie (Boulevard René-Lévesque / Boulevard Robert-Bourassa) and the observation deck is on the 46th floor of the building. It also has a terrace with a viewpoint and a restaurant on the 44th floor. The adult ticket for the observatory cost CAD $ 19 (but has a discount for children and the elderly) and the opening hours vary according to the seasons, so to know exactly, just look at the website: https://www.observatoire360.com/ . Take the chance and take a look at the video I posted on our youtube channel for this visit:https://youtu.be/6bmNCCwPAZA . The view is really charming and it is very worth this tour!!!

Enjoying the view
Restaurant on the 44th floor

So many places to visit, surely you must be wondering if we are not going to stop to eat, right? So calm down, it’s time to try a very traditional Montreal dish:  Schwartz’s Smoked Meat, which is a smoked meat sandwich from Schwartz’s Snack Bar, which is located at 3895 Boulevard Saint-Laurent.

Schwartz’s is very famous in the city and has more than 90 years of history, which explains the line at the door to enter the establishment, which maintained the original layout at the time of its inauguration. As I am a vegetarian, I opted for the poutine (another traditional potato-based Canadian food) and my sister and the blog’s official taster tasted the Smoked Meat that resembles the famous mortadella sandwich at Municipal Market of São Paulo. We also tried the black cherry soft drink, which is very typical in the region. To know more details about the cafeteria and other menu items, just check the website: https://www.schwartzsdeli.com/

Snack break at Schwartz’s
Highlighting the Black Cherry Soft Drink and Ane’s Smoked Meat

To close this special day with a golden key, nothing better than enjoying Saturday night in a pub … Then we went to meet Sir Winston Churchill Pub, which has great drinks and various environments from outdoor tables for a chat in the happy hour to the dance floor for the liveliest. The pub is at 1455 Crescent Street, a street that is very busy, full of bars and restaurants !!! More information is on the website: https://www.swcpc.com/SirWinston/

Sir Winston Churchill Pub
Cheers!!!!

Second day itinerary: Olympic Park, The Montreal Tower, Planetarium, Botanical Garden, Arts Square, RESO, Mary, Queen of the World Cathedral

To start the day well, we will have breakfast in another coffee shop that is also very traditional in the city, Café Van Houtte, which started as a store of imported products in 1919 and became the first “Café” (bistro style as we currently know) from North America in 1975. We went to the 1515 Rue Sainte-Catherine Ouest unit but there are many others scattered around Montreal and also elsewhere in Canada. To know more details just check the website: https://cafevanhoutte.com/en/

After breakfast, we are already excited to start today’s journey, which will be quite long. But Montreal has a good public transport system, both by bus and subway, which allows you to explore the city very well. To get to the Olympic Park, which is our first destination today, we went to the “Guy-Concordia” station, which was the closest to the coffe shop, and took the green metro line (direction: “Honoré-Beaugrand”) to get off in “Pie-IX”. To calculate the best itinerary according to your location and find out more information just access the website: https://m.stm.info/en

We will now visit the Parc Olympique (or Olympic Park / Olympic Complex), which was built in 1976 to host the Summer Olympics and in its entire history has already received more than 67 million visitors, among them many celebrities such as Queen Elizabeth II , which was present at the inauguration.

Olympic Park

Olympic Park consists of the Stadium (which has a capacity for 56,000 people and in addition to sports activities, hosts concerts and many other events), the Esplanade (which is a large outdoor area around the Stadium that receives several events as well), by the Sports Center (which is a reference in training both professional athletes and the general public) and also by the Biodôme, Planetário, Insectário and the Leaning Tower that I will talk about later. To find out more about all that this complex has to offer, just take a look at the website: https://parcolympique.qc.ca

Esplanade
I’m a Winner!!!

Certainly, one of the places that draws the most attention in the Olympic Park is “La Tour de Montréal” or The Montreal Tower,  which with its height of 165 meters and its inclination of 45 ° degrees is considered the tallest leaning tower in the world.

The Montreal Tower was designed by architect Roger Tailibert with a structure that really impresses: the top of the tower weighs 8000 tonnes and is permanently connected to the structure and the 145,000 tonne concrete base is buried about ten meters below ground level . The Tower was opened to the public in 1987 and has an observatory at the top that allows an incredible panoramic view of the city.

The Montreal Tower…
And its amazing view

Access to the Observatory of The Montreal Tower is by a glass-encased funicular that can carry up to 50 passengers at a time and takes just two minutes to reach the top of the Tower.

At Funicular…

The 360 ​​° view of the Tower Observatory is really charming. It is possible to have a privileged view of the entire Olympic Complex, the Botanical Garden, the Biodôme and extends over 80 km on clear days. Adult tickets for the Observatory cost CAD $ 24.25 (but have discounts for the elderly, children and some combos with other attractions in the Park).

Admiring the charming view…
And Botanical Garden seen from The Montreal Tower

On the ground floor of The Montreal Tower, it is possible to visit the “Depuis 1976Exhibition (Since 1976), which tells the entire history of the Olympic Park from its construction to the present day. And the entrance to the Exhibition is included in that of the Observatory. For more information, just access the website: https://parcolympique.qc.ca/quoi-faire/la-tour/

After contemplating the stunning view of the Olympic Park through the Leaning Tower, we will continue to explore it, now knowing the “Planétarium Rio Tinto Alcan”, the New Planetarium, which was opened in 2013 to replace the Montreal Planetarium (or “Dow Planetarium”), which operated between 1966 and 2011. The New Planetarium came as an innovative approach to astronomy, full of technology and sustainability, providing fascinating experiences in its two theaters. It is not allowed to photograph or film the presentations, but just by the layout of the room, you can already have an idea of ​​what awaits you…

New Planetarium

In addition to the projections, the Rio Tinto Alcan Planetarium also has exhibitions on space and astronomy, always seeking interactivity to attract and delight the public. Visiting the exhibitions is free, only access to the theater requires admission, which cost CAD $ 20.50 for two films, including the Aurora Borealis film, which is wonderful. For more details, just check the website: www.espacepourlavie.ca/planetarium

Making experiences….

As I mentioned earlier, also part of the Olympic Park: the Biodôme (https://espacepourlavie.ca/biodome – the old velodrome, which has been transformed into a space that reproduces four ecosystems found in America, with their respective fauna and flora) and Insectário (https://espacepourlavie.ca/insectarium – which is a museum specialized in showing the life of insects, with the aim of educating and sensitizing people to their importance in nature). But when I went, the two were closed for renovation, if when you are open, share in the comments how was your experience there.

Biodôme

Very close to the Olympic Park is the stunning “Jardin Botanique” or Botanical Garden, which was founded in 1931 and renovated over the years, being considered one of the largest in the world, both in extension (75 hectares) and in botanical diversity (more 22 thousand species of plants).

Botanical Garden

Since its creation, the Botanical Garden has played an important role in the preservation of species of native flora that were endangered, as well as for study and awareness. It has an immense green area, 10 exhibition greenhouses, 20 thematic gardens and three cultural gardens such as the Japanese Garden, The Garden of the First Nations and the Chinese Garden (whose beauty can even be seen from The Montreal Tower), among other spaces. Adult tickets for the visit to the Garden, cost CAD $ 21 (have discounts for the elderly, children and family) and it is certainly a place that you can spend the day exploring, but if you are running out of time, check the map at website and already choose the areas you want to visit to optimize the time: https://espacepourlavie.ca/jardin-botanique. And make the most of the colors and beauty of this paradise!!!

Chinese Garden seen from The Montreal Tower

This whole touring marathon is already giving a boost, isn’t it? Then let’s take our lunch break at St. Viateur Bagel & Café Mont-Royal (1127, Av. Mont-Royal Est.) and try the famous bagels! There are other units of the St. Viateur Bagel in Montreal, but we opted for this one because it has the coffee part (in others it is just the bakery and for travel) and also because it is easier to go by subway from the Botanical Garden to there (we took the green line at Pie-IX station, we got off at Berri-UQAM station and changed to the orange line to get off at Mont-Royal station, which is the closest to our destination).

St. Viateur Bagel & Café Mont-Royal
Tasting the bagels

St. Viateur Bagel & Café Mont-Royal has several snack options with Bagels (which is a type of bread for them), my sister chose the Bagel Sandwich Traditional with smoked salmon and I chose Bagel Sandwich Veggie Deluxe (which is vegetarian), we super approved the options, in addition to the smoothies that were delicious, such as Very Berry, which combines all the “berrys” we know: blueberry, strawberry, raspberry, blackberry, cranberry with apple juice! And Ooh La La that mixes mango with strawberry and apple juice !!! To know more menu options and more information just access the website: http://www.stviateurbagel.com/

My sister tasting Very Berry
And Bagel Sandwich Traditional

Now that we have recovered the energy, we will continue our tour to visit the “Place des Arts” or Arts Square which is a cultural complex containing the main artistic centers of Montreal, with attractions for all tastes, including shows, festivals, theater , exhibitions, among other events.

Place des Arts

Place des Arts was created on the initiative of Mayor Jean Drapeau and opened in 1963, with the intention of having a show room at the height of the cultural complexes of the big cities. And so it was done and has been growing over time. In this cultural complex is the Montreal Opera, the headquarters of the city’s ballet company “Les Grands Ballets Canadiens de Montréal”, major theaters, as well as shopping centers and the Museum of Contemporary Art (MAC).

Museum of Contemporary Art (MAC)
Montreal Opera

To get from St. Viateur Bagel to Place des Arts, we went to Mont-Royal Station and took the orange line to Berri-UQAM station, where we changed to the green line to Place des Arts Station. Remembering that to consult any itinerary just access the website: http://www.stm.info/en . So if you are looking for fun and art, include Place des Arts in your Montreal tour and to check the schedule of everything that happens there, just access the website: https://placedesarts.com/

Continuing our tour, we will now know something that is very traditional from Montreal the “RESO” or Underground City which is the Underground City of Montreal, just as we saw the Path in Toronto (if you are not remembering or have not seen it, it is just take a look at our post about Toronto’s TOP 10: https://cadaviagemumabagagem.com/top-10-de-toronto/).

RESO

RESO received this name because it is a homophone (same sound) of the French word “réseau”, which means network, and it really is a true network of tunnels of more than 30km that interconnect the underground part of buildings, with shopping centers, malls , train and subway stations, among other developments, which makes the lives of tourists and residents easier during the winter, reaching the number of 500,000 people circulating daily through RESO during this season. Among the several underground malls, we visited the Place Montreal Trust, which is very beautiful and very similar to the malls we are used to, to learn more about it, just access the website: https://www.placemontrealtrust.com/en/.

There are several accesses to RESO, the one we used was 977, rue Sainte-Catherine Ouest, where Cinéma Banque Scotia Montréal is located, but there are many others. Just check the website which is closest to where you are and also everything you can find there: https://montrealundergroundcity.com/

Our Montreal tour is coming to an end, but to complete the trip, nothing better than receiving the blessings of Our Mother at the “Basilique-Cathédrale Marie-Reine-du-Monde” or Basilica-Cathedral Mary, Queen of the World, which opened in 1894, having gone through two stages of construction (from 1870 to 1878 and from 1885 to 1894), being inspired by St. Peter’s Basilica (in Rome), and primarily dedicated to St. James Major (with the name St. James Cathedral) and in 1955 consecrated to Mary Queen of the World by Pope Pius XII.

Basilica-Cathedral Mary, Queen of the World

Mary, Queen of the World Basilica-Cathedral has a beautiful architecture, mixing Renaissance and Baroque styles, which really impresses, are 101m long, 46m wide, reaching 77m high at the dome, which has a diameter of 23m. A very interesting curiosity is that the statues on the facade of the Cathedral represent the patron saints of the thirteen parishes in Montreal and not the twelve apostles as on the facade of St. Peter’s Basilica.

Inside the Mary, Queen of the World Basilica-Cathedral
Detail of the Statues on the facade of the Cathedral

Also draws attention in the Basilica-Cathedral Mary, Queen of the World, the Baldachin of the altar, with its twisted columns, entirely handmade with red copper and gold leaves, reproducing the famous baldachin of St. Peter’s Basilica. And the Organ, which was inaugurated in 1893 and later reformed, increasing its importance. It is very worthwhile to visit the Basilica and contemplate all its beauty. For more details and opening hours, just check the website: http://microsites.diocesemontreal.org/microsites/cathedralecatholiquedemontreal/

The Precious Baldachin
Detail of Organ

May Our Mother Mary, Queen of the World bless us all !!! Many thanks to God for having known this city and spent this incredible weekend in Montreal!!!! And if you liked this post, share it with your friends so they can have fun too, and follow our social media to know firsthand what’s new: Instagram (@cadaviagemumabagagem) and Facebook (https://www.facebook.com/cadaviagemumabagagem /) and subscribe to our Youtube channel (“Cada Viagem uma Bagagem“): https://www.youtube.com/channel/UC5Q29-MYuWjvPH__wWhF42A

With the blessings of Our Mother Mary, Queen of the World, we say goodbye to Montreal

******* Bonus – Super Tips on Where to Drink and Eat in Toronto

I sincerely thank you for your company on this Montreal tour!!! I hope you enjoyed the tours!!! And I count on you to accompany me in the next post, where I will give you very interesting tips on where to eat and drink in Toronto, from a coffee at Tim Hortons, to taste the most different types of poutine at Smoke’s Poutinerie, to enjoy a night at The Raq Bar & Lounge, among many other places!! I wait you there!!!

Tim Hortons

Um pensamento em “Um Final de Semana em Montreal”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *