As bagagens de Portugal

A escolha de um nome nunca é tarefa fácil, é preciso pesquisa, inspiração e principalmente identificação com ele. Esse foi o trajeto que percorri para escolher o nome desse blog “Cada viagem uma bagagem” e nesse post você vai ver que ele faz todo o sentido.

Te convido a embarcar comigo nessa viagem ao continente europeu e descobrir as belezas de Portugal. Prepare-se porque vamos ter muita bagagem para carregar…

Porto Rio Douro
Vista do Porto em Vila Nova de Gaia

Roteiro do Primeiro Dia – Parque das Nações (Oceanário de Lisboa e Teleférico) / Castelo de São Jorge/ Miradouro de Santa Luzia/ Sé de Lisboa e Igreja de Santo Antônio

Essa viagem foi em família, se aventuraram comigo meus pais (Pedro e Dalva) e a minha irmã Ane (que já é conhecida nesse blog). Fechamos o pacote com a CVC, que incluía aéreo, hospedagem e traslado entre Lisboa, Madri e Paris, passando por diversas cidades entre essas capitais (vou deixar a Espanha e a França para outras postagens para poder explorar com mais detalhes cada um desses lugares). Saímos do Estado de São Paulo (Aeroporto de Viracopos – Campinas) às 17h05, num voo direto da Azul, com destino ao Aeroporto de Lisboa. Chegamos lá por volta das 7h do dia seguinte (quando começa o nosso roteiro desse primeiro dia). A duração do voo é de aproximadamente 10h e a diferença de fuso horário em Lisboa é de quatro horas a mais que o horário de Brasília, por isso pareceu ter mais horas de voo.

O receptivo Special Tours (parceiro da CVC na Europa) nos buscou no aeroporto e levou até o hotel. Como a reunião com o guia para passar os detalhes da programação do dia seguinte seria só às 19h, teríamos o dia livre. Deixamos nossas bagagens no guarda-volumes do hotel porque os quartos ainda não estavam liberados e fomos turistar em Lisboa.

Ponte Vasco da Gama
Ponte Vasco da Gama e Rio Tejo no Parque das Nações

Começamos nosso roteiro pelo Parque das Nações, que foi construído em uma região de Lisboa à beira do Rio Tejo revitalizada para a Expo 98, a Exposição Mundial de 1998 que teve como tema “Os oceanos, um patrimônio para o futuro”. Esse parque na verdade é um grande complexo com restaurantes, prédios comerciais, centros de eventos, praças, oceanário, teleférico entre outras atrações. Nós fomos de táxi para lá, mas é possível ir de metrô (pegar a linha vermelha e descer na Estação do Oriente).

Jardins da Água
No Jardins da Água
Girafa Fernanda Fragateiro
Monumento “A Girafa”

Nossa primeira parada dentro do Parque das Nações foi nos Jardins da Água, um belo jardim com monumentos, entre eles “A Girafa” de Fernanda Fragateiro.

Jardins da Água
Aproveitando a sombrinha

Seguimos em direção ao Oceanário de Lisboa, um dos maiores aquários públicos da Europa, que foi inaugurado em 1998 com o propósito de conservação dos oceanos e de perpetuar a mensagem da Expo 98. O Oceanário é composto de dois prédios: “Edifício dos Oceanos” e “Edifício do Mar”.

Oceanário de Lisboa
Manta do Aquário Central

O primeiro abriga a exposição permanente com o enorme Aquário Central que representa o Oceano Global com mais de cem espécies dos quatro oceanos, como tubarões, raias, mantas, etc.

Oceanário de Lisboa
Olha o Tubarão!!!

E ao redor desse aquário ficam os quatro habitats: “O pacífico temperado” (onde estão as lontras e tenho certeza que será paixão à primeira vista como foi comigo, além da foto, você pode conferir o vídeo que está na página do blog no youtube:https://www.youtube.com/watch?v=_JqmMC-J_HY&feature=youtu.be ).

Lontras Ocenário de Lisboa
Que fofuras essas lontras!!!!
Oceanário de Lisboa
Pinguins do “Antártico”

“O Atlântico Norte”, com seus peixes e espécies característicos; “O Antártico” com as fofuras dos pinguins e o “Índico Tropical” com o peixe palhaço entre outros.

Oceanário de Lisboa
Florestas Submersas

Já o “Edifício do Mar” abriga as exposições temporárias (a que visitei foi “Florestas Submersas” de Takashi Amano), o restaurante, a bilheteria e o auditório.

Vasco Oceanário de Lisboa
Meu novo amigo Vasco

Vasco é o mascote do Oceanário e tem uma sala de exposição dedicada à preservação e conscientização para a proteção dos oceanos e melhor uso da água, evitando o desperdício.Oceanário de Lisboa                                                                                       Polvo feito de lixo do mar

O Oceanário é aberto diariamente e oferece visitas guiadas mediante agendamento. Para saber mais detalhes e valores atualizados (eu paguei 18€ para adulto e 12€ para sênior para as duas exposições) é só conferir o site: https://www.oceanario.pt/

Teleférico do Parque das Nações
Teleférico do Parque das Nações

Outro passeio bem bacana no Parque das Nações é o Teleférico (ou Telecabine como eles chamam), que fica atrás do Oceanário e permite uma visão privilegiada do Rio Tejo com a Ponte Vasco da Gama, bem como da Torre Vasco da Gama e de todo o complexo do Parque. Eles oferecem a opção de ida e volta ou só ida para que a pessoa possa voltar caminhando pelo parque. Como estávamos com o tempo contato, optamos pela ida e volta a 5,90€. Para saber mais informações referente a horários e preços atualizados é só conferir o site: https://www.telecabinelisboa.pt/

Telecabine de Lisboa
No Teleférico com a vista do Rio Tejo
Teleférico do Parque das Nações
Vista do Parque das Nações
Castelo de São Jorge
Portal do Castelo de São Jorge

De lá pegamos um táxi e fomos para o Castelo de São Jorge (também é possível ir de metrô, nesse caso tem que fazer baldeação para a linha verde, descer na Estação Martin Moniz, pegar o Elétrico 28 e pedir para descer no Castelo – esse Elétrico é um bondinho que às vezes demora para passar, mas é uma experiência diferente se você estiver com tempo).

Castelo de São Jorge
São Jorge

O Castelo de São Jorge é considerado um Monumento Nacional, foi construído pelos muçulmanos no século XI, depois passou a ser residência real do século XII ao XVI (com a conquista de Lisboa por D. Afonso Henriques – 1º rei de Portugal). Dos séculos XVII ao XVIII passou a ser quartel (com a integração de Portugal à Espanha), sofreu muito com o terremoto de 1755 e passou por grandes obras de restauração de 1938 a 1940.

Castelo de São Jorge
Miradouro do Castelo de São Jorge

Ao passar pela bilheteria, somos recepcionados pelo belo jardim romântico e nossos olhos são atraídos para o Miradouro que nos proporciona uma encantadora vista de Lisboa. Como o Castelo fica numa das colinas mais altas de Lisboa, a vista é realmente privilegiada.

Castelo de São Jorge
Cristo Rei e Ponte 25 de Abril vistos do Miradouro do Castelo
Castelo de São Jorge
Castelo de São Jorge

Continuando a caminhada, chegamos ao Castelo em si, com sua estrutura imponente é de encher os olhos!!! Também é possível subir nas torres para contemplar ainda mais a vista da cidade e ter a sensação de voltar no tempo, entrar num livro e explorar as muralhas do castelo….Castelo de São Jorge Castelo de São JorgeCastelo de São Jorge

O complexo do Castelo de São Jorge ainda conta com café, restaurante, lojinhas de souvenirs, um sítio arqueológico e uma exposição permanente com objetos encontrados nesse sítio. É um passeio maravilhoso e uma excelente boas-vindas da cidade!!! Visitar um castelo no primeiro dia é mágico!!!! Ah! Vale lembrar que “castelos” foram construídos para a defesa, como fortalezas, já os “palácios” foram feitos com o propósito de residência, mas nada impede que os castelos também sejam residências reais como aconteceu com esse castelo aqui. Os ingressos adultos custam 8,50 € e sênior (maiores de 65 anos) 7 €. Mais informações sobre o Castelo de São Jorge estão no site: http://castelodesaojorge.pt/pt/

 Castelo de São Jorge
Exposição Permanente do Castelo de São Jorge

Igreja de Santa Luzia e São Brás
Igreja de Santa Luzia e São Brás

Ali bem pertinho do Castelo de São Jorge fica a Igreja de Santa Luzia e São Brás e o Miradouro de Santa Luzia que também oferece uma vista belíssima de Lisboa. Vale muito a pena dar uma paradinha para apreciar, de forma gratuita, a imensidão do Rio Tejo!

Miradouro de Santa Luzia
Miradouro de Santa Luzia

Toda essa região é servida de vários restaurantes e lanchonetes. Paramos em um deles: a “Tendinha de Santa Luzia” para que minha família pudesse provar o tradicional bolinho de bacalhau (eles aprovaram!!!). Como sou vegetariana optei por uma salada com queijo, que também estava ótima! E já aproveitamos para experimentar também o pastel de nata (ou o famoso pastel de Belém, que só pode ser chamado assim na Fábrica de Pastéis Belém, que não conseguimos visitar, mas o sabor me garantiram que é o mesmo). Eu super aprovei (comi pastel de nata todo dia!!!).

Estava na correria e tão ansiosa para provar que acabei esquecendo de tirar foto aqui. Mas não se preocupe que tirei mais pra frente e vou postar para você ver. Só para você ter uma ideia dos valores, os pastéis de bacalhau custaram 4,20 € cada (o mesmo valor da salada com queijo) e os pastéis de nata custaram 1,20 € cada, Ah! Essa dica de colocar os valores dos pratos foi da minha amiga Ana Flávia, que disse sentir falta dessa abordagem nos blogs que ela pesquisou. Então quando você for viajar e quiser compartilhar essas informações conosco nos comentários para manter o blog atualizado, eu ficarei muito grata!

Sé de Lisboa
Sé de Lisboa

Voltando ao passeio, continuamos a pé, descendo mais um pouco a rua chegamos à Sé de Lisboa, também conhecida como Igreja de Santa Maria Maior ou Catedral de Lisboa, que foi construída sobre uma mesquita muçulmana (como forma de imposição de poder) no século XII, quando D. Afonso Henriques tomou a cidade dos mouros. Sua arquitetura mescla o estilo românico, gótico e barroco.

A entrada à catedral é gratuita, mas é possível  a visitação (por 2,50 € ) ao “Tesouro da Sé”, que fica na parte superior da catedral e abriga um belo acervo de relíquias (objetos ou vestuários de santos e grandes membros do clero), além de objetos litúrgicos, mobiliário de época, biblioteca e um hall de onde se pode ter uma vista excepcional da Catedral e onde o rei e a nobreza poderiam assistir à missa sem serem observados.

Sé de Lisboa
Vista Privilegiada da Sé de Lisboa
Sé de Lisboa
Tesouros da Sé

Descendo mais um pouquinho e do outro lado da rua (lembra que falei que começamos pelo Castelo de São Jorge que é um dos pontos mais altos de Lisboa? Então temos que ir descendo, descendo até chegar nos outros lugares, mas são tantas coisas bonitas para se ver que a caminha é muito prazerosa). Ah! Mais uma dica: como as ruas são de pedra é bom ir com sapato confortável e que tenha solado antiderrapante bem reforçado (o meu não era assim, mas deu pra andar, só precisei ter mais cuidado para não escorregar).

Igreja de Santo Antônio
Altar da Igreja de Santo Antônio

Como estava dizendo, do outro lado da rua, um pouco mais pra baixo da Sé, fica a Igreja de Santo Antônio de Lisboa, onde Santo Antônio (o casamenteiro) nasceu. Nessa igreja é possível visitar a cripta onde era o quarto do santo. Ele também é conhecido como Santo Antônio de Pádua, porque foi em Pádua que ele faleceu, no dia 13 de junho de 1231 (dia consagrado a sua homenagem). Essa Igreja foi destruída pelo terremoto de 1755 (mas a cripta resistiu) e com muito empenho e doações dos fiéis foi reconstruída. A fachada da igreja está em reforma, por isso não tirei foto, mas deixo você se encantar com as imagens do altar e da cripta. Se quiser saber mais detalhes da igreja e até assistir a uma missa ao vivo, é só entrar no site: http://stoantoniolisboa.com/

Cripta de Santo Antônio
Cripta de Santo Antônio

Ao sair da Igreja de Santo Antônio, confesso que tivemos dificuldade para conseguir um táxi, os poucos que passavam estavam ocupados, tivemos que ir caminhando até bem perto da Rua Augusta e achamos um que estava passando (não encontramos o ponto de táxi).

Seguimos para o hotel para a reunião com o guia para passar as informações dos passeios do dia seguinte. Ficamos hospedados no Hotel Holiday Inn Express Lisbon Airport (R. Guiné 18 – 18B –  Prior Velho, Portugal). O hotel em si é muito bom, o que prejudicou foi a localização, que era afastada do centro (não tivemos a opção de escolher o hotel porque o pacote foi fechado com opção de hotéis entre 3 ou 4 estrelas a serem determinados pela CVC conforme a demanda). Mas se você puder escolher, recomendo que fique numa região mais centralizada, para que possa usufruir mais da cidade a pé (inclusive essa rede Holiday Inn tem opção no centro). De qualquer forma estamos aqui para curtir a viagem e agora relaxar numa caminha bem confortável (já que a noite passada foi na poltrona do avião) para repor as energias e amanhã começar com tudo!

Roteiro do Segundo Dia – City Tour em Lisboa/ Cascais/ Sintra/ Shopping Colombo e Noite no Sky Bar

Elevador Santa Justa
Elevador Santa Justa

Nosso dia começou cedo, depois do café da manhã já partimos para conhecer a cidade. O City Tour em Lisboa passou pela Avenida Liberdade (que é bem bonita e conhecida como a Champs Élysées de Lisboa), pela Praça do Rossio, onde fica o Teatro Nacional D. Maria II¸ que seria como nosso Teatro Municipal de São Paulo.Também passamos pelo Elevador Santa Justa ou Elevador do Carmo, que liga a Cidade Baixa à Cidade Alta e é um ponto turístico bem procurado por sua bela vista da cidade.

E fomos até a Praça do Comércio ou Praça Terreiro do Paço (um dos cartões postais de Lisboa) que já foi palácio do Rei D. Manuel I e foi destruída pelo terremoto de 1755. Sua reconstrução foi conduzida pelo Marquês de Pombal (grande nome português, responsável pela recuperação/ revitalização de uma vasta região próxima ao Rio Tejo: a Baixa de Lisboa, que ficou conhecida como Baixa Pombalina em homenagem a ele). Atualmente a Praça do Comércio abriga departamentos governamentais, ministérios portugueses, cafés, restaurantes e hotéis. Também se encontram nessa praça a Estátua Equestre de D. José I e o Arco da Rua Augusta (outro cartão postal da cidade).

Praça do Comércio
Praça do Comércio
Arco da Rua Augusta
Arco da Rua Augusta
Alfama
Passeando por Alfama

Seguimos caminho em direção ao Bairro de Alfama¸ um dos mais antigos de Lisboa, que foi construído pelos muçulmanos e de onde vem sua característica de ruas estreitas, parecendo um labirinto (para aproveitar a ventilação e dificultar o acesso aos desconhecidos) e suas paredes de azulejo (para proteger da umidade do rio). Hoje o bairro é frequentado por turistas e repleto de restaurantes e casas de fado.

Alfama
Encantada com esse azulejos
Torre de Belém
A Magnífica Torre de Belém

Nossa próxima parada foi na Torre de Belém, outro belíssimo cartão postal de Lisboa, que foi construída entre 1514 e 1520 com a função de proteção. Sua arquitetura é repleta de detalhes, tendo como estruturas principais a torre e o baluarte. Foi considerada como Patrimônio Cultural de toda a Humanidade pela Unesco em 1983. É possível visitar o interior da torre e para saber mais detalhes é só conferir no site: http://www.torrebelem.gov.pt/pt/index.php?s=white&pid=168&identificador

E para fazer um tour virtual à torre é só entrar no site: http://lisboa.360portugal.com/Concelho/Lisboa/TorreBelem/

Outro cartão postal visitado no city tour foi o Mosteiro do Jerónimos, construído no século XVI e também classificado como Patrimônio Mundial pela Unesco em 1983.

Mosteiro dos Jerônimos
Mosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos Jerónimos
Igreja do Mosteiro dos Jerónimos

Ao lado do mosteiro fica a Igreja Santa Maria Belém, também conhecida como Igreja do Mosteiro dos Jerónimos, que conta com uma arquitetura que impressiona e onde estão os túmulos de Vasco da Gama (grande navegador português) e Luís de Camões (autor de Os Lusíadas). Mais detalhes do mosteiro e da igreja estão no site: http://www.mosteirojeronimos.gov.pt/pt/index.php?s=white&pid=168&identificador=

Mosteiro dos Jerónimos
Detalhe da Coluna Trabalhada da Igreja
Mosteiro dos Jerónimos
Túmulo do Mosteiro
Praça do Império
Praça do Império

Em frente ao Mosteiro dos Jerónimos, fica a Praça do Império com um belíssimo jardim e mais à frente (atravessando a avenida) está o Padrão dos Descobrimentos, que foi construído em 1940 pelo arquiteto Cottinelli Telmo e pelo escultor Leopoldo de Almeida para a Exposição do Mundo Português em homenagem ao Infante D. Henrique e seus navegadores.

Padrão dos Descobrimentos
Padrão dos Descobrimentos

Por ter sido construído com materiais perecíveis, foi desmontado em 1960 e reconstruído em betão e pedra rosal. E em 1985 seu interior foi reformado, ganhando um miradouro, auditório e salas de exposições. Para saber mais detalhes desse monumento às grandes navegações, é só dar uma olhadinha no site: http://www.padraodosdescobrimentos.pt/pt/monumento/

Vale lembrar que tem muitos vendedores ambulantes tanto na Torre de Belém, quanto no Mosteiro dos Jerónimos e que são muito insistentes na abordagem (já se prepare com uma dose extra de paciência para não se aborrecer com a insistência, porque vão te acompanhando desde que você desce do ônibus e não param nem no momento que você está tirando fotos…).

Nosso city tour terminou por aqui, mas fechamos o passeio opcional a Cascais e Sintra (também é possível ir de metrô a Cascais – na estação Cais do Sodré tem que pegar o metrô com destino a Cascais e descer no final – tem saída prevista a cada 15 minutos e demora cerca de 35 minutos para chegar à estação final).

Farol do Bugio
Farol do Bugio

No caminho para Cascais, foi possível avistar o Farol do Bugio que é o marco do encontro do Rio Tejo com o Oceano. O farol tem o formato de um bolo com vela e bougie significa vela em francês,    por isso o nome de Farol do Bugio.

Cascais
Calçadão de Cascais

Também passamos pelo Estoril (que tem um cassino bem famoso), por várias praias e finalmente chegamos em Cascais, que fica a cerca de 30 km de Lisboa e é considerada uma vila da área metropolitana de Lisboa. Passeamos pelo seu centro histórico, suas lojinhas, almoçamos e fomos até a Praia da Rainha (que fica ali no centrinho mesmo). A água estava um pouquinho fria, mas não podia perder a oportunidade de entrar no mar em Portugal. Super valeu o mergulho!!! Se você tiver mais tempo e for passar o dia todo ou se hospedar em Cascais, vale a pena conhecer outras praias que ficam próximas como a Praia da Ribeira, da Conceição, da Duquesa, entre outras.

Praia da Rainha
Praia da Rainha em Cascais
Praia da Rainha
Não resisti e entrei na água….

Continuamos nosso passeio passando pela Marina, pelo Farol, pela Praia de Santa Marta e pela Boca do Inferno, que é uma formação rochosa que é golpeada pelas águas e devido ao barulho desse embate é que surgiu o nome “boca do inferno”. Também avistamos o Cabo da Roca que é o ponto mais ocidental do Continente Europeu. Se você estiver com tempo vale a pena visitar mais de perto.

Boca do Inferno
Paredão da Boca do Inferno
Cabo da Roca
Cabo da Roca
Palácio Nacional de Sintra
Palácio Nacional de Sintra

Subimos a Serra de Sintra, que era conhecida como Serra/Monte de Sintia (que significa “Da Lua” – por isso ficou o nome de Serra de Sintra). Nessa serra fomos visitar o Palácio Nacional de Sintra (classificado como Patrimônio da Humanidade pela Unesco desde 1995).

Palácio Nacional de Sintra
Pátio Central

Sua construção começou no século XIII e foi se estendendo ao longo dos anos, misturando vários estilos arquitetônicos, desde góticos, medievais, manuelinos até os românticos. Serviu como residência para a Família Real Portuguesa até o início do século XX. Vale lembrar que D. Manuel I estava nesse palácio quando ficou sabendo da descoberta do Brasil e da chegada às Índias.

O Palácio Nacional de Sintra já chama a atenção pelo seu exterior, mas é no interior que está sua beleza maior, seja nas paredes revestidas de azulejos, no acervo de suas salas ou na riqueza de detalhes dos tetos. As salas que mais me encantaram foram a Sala dos Cisnes (cujo o teto é todo desenhado com esses animais e foi restaurada depois do terremoto de 1755) e a Sala dos Brasões  (que tem a parede revestida de pinturas em azulejos e o teto todo trabalhado em brasões, sendo que o brasão central é o do Rei D. Manuel e fica a 13,5m do chão, os brasões imediatamente abaixo representam os oito filhos do seu segundo casamento e na sequencia estão 72 brasões das famílias nobres da época). O vídeo que fiz da Sala dos Brasões já está disponível na nossa página no youtube, se quiser ver com mais detalhes é só clicar no link: https://www.youtube.com/watch?v=Hb9BgH6v87k

Sala dos Cisnes Palácio Nacional de Sintra
Sala dos Cisnes
Sala dos Brasões Palácio Nacional de Sintra
Toda a perfeição da Sala dos Brasões
Palácio Nacional de Sintra
Que preciosidade esses azulejos!!!

Mas toda a visita é encantadora (o trabalho em alto-relevo dos azulejos do Quarto de D. Sebastião é impressionante). Para conhecer mais desse palácio é só conferir o site https://www.parquesdesintra.pt/parques-jardins-e-monumentos/palacio-nacional-de-sintra/ que também fornece informações de outros palácios em Sintra, como o  Palácio da Pena que era a casa de veraneio do rei e se você tiver um tempinho, será muito bom conhecer.

Sintra
Ruas de Sintra

Saindo do palácio, passeamos pela Vila de Sintra, conhecemos suas lojinhas e fomos provar os tradicionais “Travesseiros de Sintra”, na Pastelaria Vila Velha.

 Travesseiros de Sintra
Me acabando nos Travesseiros

É um doce de massa folhada com recheio à base de gema de ovo (como a maioria dos doces em Portugal, e segundo contam o uso da gema em doces surgiu porque as freiras usavam as claras para engomar as roupas e para não desperdiçar as gemas, foram aproveitando essas na cozinha e inventando os doces. Excelente ideia!!!). Vale a pena se render a esses travesseiros que custam 1,50 € cada…

Voltando para o hotel em Lisboa, só deixamos as compras, tomamos um banho e fomos para o  Shopping Colombo (www.colombo.pt), que fica na Av. Lusíada, 1500, bem próximo ao Estádio da Luz do Benfica. É um complexo comercial bem grande, bonito e aconchegante! Funciona das 9h à meia-noite e oferece muitas opções de lojas, cinemas e restaurantes. Aproveitei para comer mais pastel de nata e agora lembrei de tirar foto para te mostrar!

Pastel de Belém
O famoso Pastel de Nata
Shopping Colombo
Lay out da Exposição

O shopping também cede espaço para exposições, a que está nesse momento é “Roy Lichtenstein e a Pop Art”. Fiquei bem feliz porque adoro a Pop Art norte-americana. A exposição é composta por 41 obras que ilustram muito bem as várias etapas de sua carreira. Queria te mostrar todas, mas separei só algumas (espero que goste!)

Crying Girl
Crying Girl
Save Our Planet, Save Our Water
Save Our Planet, Save Our Water

E para fechar a noite com chave de ouro nada melhor que um barzinho com uma vista encantadora de Lisboa. Essa é a proposta do  Sky Bar Lisboa (http://www.skybarrooftop.com/lisboa-pt/ – que fica na Avenida de Liberdade, 185 – no terraço do Hotel Tivoli).

Sky Bar
Viva Lisboa!!!

O lugar é lindo, o ambiente é super agradável com direito a DJ e excelentes drinks!!! Foi uma excelente despedida de Lisboa, porque amanhã já partiremos para Fátima… Saúde e Viva Lisboa!!!

Sky Bar
Vista deslumbrante do Sky Bar

Roteiro do Terceiro Dia – Óbidos/ Alcobaça/ Nazaré e Fátima

Óbidos
Bem-vindos a Óbidos!!!

Saímos bem cedo do hotel e cerca de uma hora depois chegamos em Óbidos – uma vila medieval com menos de 100 moradores que fica dentro de uma muralha, com direito a um Castelo, casinhas brancas com detalhes coloridos e flores nas janelas e várias igrejas nesse pequeno perímetro. No século XII, o Rei D. Afonso Henriques (o mesmo que mandou construir a Sé de Lisboa, lembra?) tomou essa vila dos árabes e os expulsou do local. Uma curiosidade sobre as cores das casinhas: antigamente as que tinham detalhes em bordô pertenciam às classes mais altas, as em azul à classe média e os detalhes em amarelo eram da classe mais pobre. Hoje em dia não se usa mais esse critério, mas achei interessante e quis comentar com você.

 Muralhas de Óbidos
As Muralhas de Óbidos
Óbidos
A encantadora Vila de Óbidos
guia Guillermo
Com o guia Guillermo

Fiquei encantada pela cidade, o Castelo, as pedras da muralha, enfim, tudo tão perfeito que parecia estar num filme da Idade Média… Quem já havia nos acompanhado desde Lisboa e vai conosco até Madri é o Guia Guillermo e eu não tinha tirado foto com ele ainda, mas com certeza esse foi um cenário muito especial pra te apresentar essa pessoa tão querida e atenciosa com todos!

Ginjinha Ginja
Aceita uma Ginjinha?

Além dessa arquitetura peculiar, algo bem típico de Óbidos é a ginja ou ginjinha, que é um licor com sabor parecido com cereja para ser tomado num copo de chocolate e come-se o copo também. Vale a pena provar! E por ser uma bebida digestiva, ela costuma ser consumida depois do almoço e jantar.

Como comentei anteriormente, Óbidos tem várias igrejas, entre elas a Igreja de Santa Maria que é a Igreja Matriz da cidade e a Igreja de São Pedro.  Ambas muito bonitas e acolhedoras!!!

Igreja de Santa Maria de Óbidos
Igreja de Santa Maria
Igreja de Santa Maria de Óbidos
Altar da Igreja de Santa Maria
Igreja de São Pedro Óbidos
Igreja de São Pedro
Igreja de São Pedro Óbidos
Interior da Igreja de São Pedro

A principal rua da cidade é a Rua Direita, onde ficam as lojinhas de souvenirs e as que vendem a ginjinha. Seguindo essa rua até o final você chega ao imponente Castelo de Óbidos, que foi construído pelos árabes entre os séculos VIII e XII e desde a década de 50 virou pousada. Já pensou que sonho a hospedagem nesse hotel? E se você quiser tornar esse sonho realidade, é só acessar o site para saber mais detalhes e quem sabe fazer sua reserva 😉 : https://www.pestana.com/br/hotel/pousada-obidos/fotos?gf=home

De qualquer forma a vista de fora do castelo impressiona. E se sua visita for no Natal, você poderá ver a vila e o Castelo todo enfeitados para as festividades de “Óbidos Vila Natal” (http://obidosvilanatal.pt/).

Castelo de Óbidos
O Castelo de Óbidos

Depois desse mergulho medieval, continuamos nosso passeio com destino a Alcobaça  para visitar o  Mosteiro de Alcobaça e a Igreja,  que abriga os túmulos de  D. Pedro I (antecessor do D. Pedro I que foi imperador e proclamou a independência do Brasil e em Portugal é conhecido como D. Pedro IV)  e de D. Inês de Castro, colocados um de frente para o outro para, segundo dizem, se encontrarem quando se levantarem para o juízo final.

Mosteiro de Alcobaça
Mosteiro de Alcobaça
Túmulo de D. Inês de Castro
Túmulo de D. Inês de Castro
Túmulo de D. Pedro I
Túmulo de D. Pedro I

A história de amor deles foi mencionada em “Os Lusíadas” de Luís de Camões e deu origem ao ditado: “Inês é morta”. Vou contar rapidinho caso você não conheça: o príncipe D. Pedro I se apaixonou por Inês de Castro que era dama de companhia de sua esposa D. Constança. Viveram esse romance proibido e quando a esposa morreu, ele quis assumir pro mundo o amor por Inês, mas seu pai, o rei D. Afonso IV, não permitiu e mandou matar Inês. Alguns anos depois, quando D. Pedro I se tornou rei mandou matar os assassinos de Inês e exumou o corpo dela, fazendo com que Inês fosse coroada rainha (para garantir a legitimidade de seus três filhos, ao todo tiveram quatro, mas um faleceu) e que todos os nobres participassem da cerimônia do “beija-mão”, beijando a mão dela. Em seguida, mandou que fossem construídos os túmulos para ela e para ele no Mosteiro de Alcobaça. Como de fato foi feito e são verdadeiras obras de arte, como você pode ver nas fotos acima.

Mosteiro de Alcobaça
Colunas da Igreja de Alcobaça

Os túmulos estão na Igreja e a visitação é gratuita. Para visitar o Mosteiro de Alcobaça, o ingresso custa 6 € e vale muito a pena, sua arquitetura é de encher os olhos! E se quiser saber mais informações do mosteiro, é só conferir o site: http://www.mosteiroalcobaca.gov.pt/pt/index.php?s=white&pid=197&identificador=at132_pt. doc

Mosteiro de Alcobaça
Sala dos Monges
Mosteiro de Alcobaça
Mosteiro de Alcobaça
Santuário Nossa Senhora de Nazaré
Santuário Nossa Senhora de Nazaré

Nossa parada seguinte foi em Nazaré, onde visitamos o  Santuário de Nossa Senhora de Nazaré, a igreja é lindíssima e é possível visitar a sacristia e a parte de trás do altar (por 1,50 € ou 2 € – não me recordo ao certo), passando por salas belíssimas, todas decoradas com azulejos até no teto e chegar até a imagem de Nossa Senhora de Nazaré, feita de madeira e trazida de Mérida em 711. Também são atribuídos a essa imagem muitos milagres, inclusive o de ter salvo em 1182 D. Fuas Roupinho que estava caçando um veado, e no meio do nevoeiro não se deu conta que estava no topo de uma falésia e à beira do precipício ao lado de uma gruta que tinha uma imagem de Nossa Senhora com o menino Jesus,

Nossa Senhora de Nazaré
Nossa Senhora de Nazaré

Ele pediu socorro, o cavalo parou como se os pés desse estivessem colados no chão e tanto o cavalo quanto ele conseguiram se salvar. Então D. Fuas foi até a gruta agradecer o milagre e depois mandou construir uma capela sobre a gruta. E quando os operários estavam construindo, acharam um pergaminho num cofre, que dizia que essa imagem era Nossa Senhora de Nazaré que foi levada para esse local por volta de 711 por um monge Frei Romano (esse estava fugindo de Mérida que estava sendo atacada pelos muçulmanos). Devido à grande quantidade de peregrinos à capela, no século XIV, o Rei D. Fernando mandou construir a Igreja onde a imagem está hoje. Mais detalhes sobre o santuário estão no site: http://www.cm-nazare.pt/pt/santuario-de-nossa-senhora-da-nazare

Nossa Senhora de Nazaré
Caminho até o altar de Nossa Senhora de Nazaré
Santuário de Nossa Senhora de Nazaré
Altar do Santuário de Nossa Senhora de Nazaré
Miradouro do Suberco
Miradouro do Suberco

Bem pertinho do santuário fica o Miradouro do Suberco, onde se tem uma vista belíssima da praia e da cidade de Nazaré. Mesmo com a neblina, ainda conseguimos admirar a paisagem!

Miradouro do Suberco
O detalhe da Ave!!! Que presente da natureza!!
Santuário de Nossa Senhora de Fátima
Santuário de Nossa Senhora de Fátima

Agora chegamos num dos momentos mais especiais da viagem e o principal motivo de estarmos aqui! Minha família e eu viemos ao Santuário de Nossa Senhora de Fátima pagar uma promessa em agradecimento pela saúde do meu pai. Realmente foram momentos de muita emoção, o Santuário é maravilhoso e tem uma energia tão boa que foi impossível conter as lágrimas.

Santuário de Nossa Senhora de Fátima
Família no Santuário

Estar nesse lugar santo, em frente à imagem de Nossa Senhora de Fátima com meus pais e minha irmã, foi um presente de Deus, um grande milagre em nossas vidas!!!! Por isso, nesse instante (independentemente de sua religião e com todo respeito a ela), peço a Deus e a Nossa Senhora de Fátima que te abençoe e te permita sentir toda essa plenitude de amor, graça e benção em que fomos envolvidos lá! É uma sensação inexplicável, mas posso te dizer que é única e enche nosso coração de alegria e paz!!!

No santuário, encontram-se a Basílica de Nossa Senhora do Rosário (essa das fotos acima), onde fica a imagem de Nossa Senhora de Fátima e os túmulos dos três pastorinhos (de um lado do altar o do Beato Francisco – falecido em 04/04/1919 –  e do outro lado o da Beata Jacinta – falecida em 20/02/1920 – e da Irmã Lúcia – falecida em 13/02/2005). A basílica é tão linda e transmite tanta paz… Assistimos a missa em português, mas dependendo do horário há celebrações em outros idiomas.

Santuário Nossa Senhora de Fátima
Altar da Basílica de Nossa Senhora do Rosário
Túmulo de Francisco
Túmulo de Francisco
Túmulos de Jacinta e Lúcia
Túmulos de Jacinta e Lúcia
Colunata
Colunata

Nas laterais de ambos os lados da Basílica de Nossa Senhora do Rosário está a Colunata, que é um conjunto arquitetônico com 200 colunas e 14 altares onde a Via-Sacra está representada em painéis de cerâmica.

E em frente a essa basílica (do outro lado da esplanada do recinto de oração) está a Basílica da Santíssima Trindade, que foi construída para acolher mais peregrinos (a outra basílica não estava dando conta de tantos fiéis). Essa Igreja nova ficou pronta em 2007 e se tornou basílica em 2012. Tem forma circular com um total de 8633 lugares e dentro desse complexo fica a Capela do Santíssimo Sacramento e o Monumento Coração de Maria (modelado com um espelho no centro para refletir seu rosto no coração da Mãe).

Coração de Maria
No Coração de Maria

Além de outras capelas e da Cruz Alta com 34 metros de altura e 17 de largura, feita em aço.

 Basílica da Santíssima Trindade
Basílica da Santíssima Trindade

O pátio central é conhecido como  Recinto de Orações (onde acontece a Procissão das Velas que participamos à noite) e do lado fica a  Capela das Aparições, que foi construída no local chamado de Cova da Iria, onde Nossa Senhora de Fátima apareceu para os pastorinhos e pediu para que nesse local fosse construída uma capela para orações. As aparições aconteceram em maio, junho, julho, setembro e outubro, sempre nos dias 13 no ano de 1917. Só a aparição do mês de agosto que foi no dia 19 e em outro lugar (Valinhos), porque os pastorinhos estavam presos por serem considerados mentirosos ao contar das aparições e só foram soltos no dia 18. Por conta dessa desconfiança, na aparição de setembro, Nossa Senhora falou que em outubro faria um milagre para que todos acreditassem. Como de fato o fez: apareceu para uma multidão e a luz de suas mãos se refletia no sol e este parecia estar se movendo, também apareceram com

Procissão das Velas
Preparada para a Procissão

Nossa Senhora, São José e o Menino Jesus. Assim todos passaram a acreditar nos pastorinhos!

Procissão das Velas
Procissão das Velas

Ao redor do Santuário, se encontram as árvores da espécie “sobreiro” e da casca dessas árvores é extraída a cortiça (material muito utilizado em Portugal não só para rolhas de vinho, mas para brincos, carteiras, bonés, etc.). E quem me passou a dica para prestar atenção nessas árvores foi o ortopedista do meu pai, Dr. Marcelo Terra. Uma super dica, não é? Adorei!!!

 Sobreiro
Árvore do Sobreiro

Mais detalhes do Santuário e de toda a história das aparições estão no site: https://www.fatima.pt/pt/

 Sobreiro
Casca da Cortiça

Na cidade de Fátima, praticamente tudo gira em torno de Nossa Senhora de Fátima e dos Pastorinhos, tem a Rotatória com Monumento Dedicado aos Pastorinhos, tem a via-sacra no Caminho dos Pastorinhos, tem o Museu Interativo, que conta a história das aparições com muita tecnologia (http://www.omilagredefatima.com/). Tem o  Museu das Aparições 1917 – Fátima¸ o Museu de Cera (http://www.mucefa.pt/), o  Museu do Santuário de Fátima (https://www.fatima.pt/pt/pages/museu-do-santuario-de-fatima) . Outro lugar bastante visitado é a  “Casa dos Videntes”,  onde nasceram os irmãos pastorinhos Francisco e Jacinta e a casa da prima deles: a pastorinha Lúcia (https://www.fatima.pt/pt/pages/museu-do-santuario-de-fatima).

Monumento aos Pastorinhos
Monumento aos Pastorinhos
Nossa Senhora de Fátima
Nossa Senhora de Fátima

Não poderia deixar de falar das lojinhas de lembrancinhas religiosas, tem muitas ao redor do Santuário e até um centro comercial especializado nesses souvenirs: Centro Comercial Fátima (http://www.fatimashoppingcenter.com/). Passamos nesse shopping antes de ir para o santuário, foi ótimo porque já compramos as lembrancinhas e já levamos para serem abençoadas na missa. Nos hospedamos no Hotel Santa Maria Fátima, que é excelente, muito bonito e confortável e fica colado no santuário (2 minutos a pé), com certeza foi o de melhor localização de todos (https://www.hotelstmaria.com/pt/). Depois desse dia e noite abençoados fomos descansar porque amanhã a viagem continua…

Santuário de Nossa Senhora de Fátima
Santuário de Nossa Senhora de Fátima ao entardecer

Roteiro do Quarto Dia – Fátima e Coimbra

Grutas da Moeda
Jardim das Grutas da Moeda

Se você está pensando que Fátima é só turismo religioso, eu tenho uma surpresa para você: bem perto do Santuário (cerca de 6 km – fomos de táxi e já combinamos com o taxista para nos buscar na volta porque não tem ponto de táxi perto) estão as  Grutas da Moeda – uma grande gruta calcária composta por 12 galerias naturais com formações incríveis devido à infiltração da água das chuvas nas rochas. É um lugar encantador!!! Ver a perfeição da natureza em construir tudo aquilo é fantástico!!!

Grutas da Moeda
Mapa da Gruta
Grutas da Moeda
Fonte das Lágrimas

A Gruta recebeu esse nome devido à lenda de um homem que estava com uma bolsa de moedas e caiu nessa gruta ao fugir de ladrões. As moedas se espalharam pela gruta, mas não foram levadas pelos bandidos e o local foi chamado de Algar da Moeda. Mas a gruta só foi descoberta muito tempo depois em 1971, quando dois caçadores estavam perseguindo uma raposa e ela caiu na gruta, nesse Algar/ Gruta da Moeda.

Gruta das Moedas
Cascata da Gruta das Moedas

A partir daí o local passou a ser preparado para a visitação, contando com uma excelente estrutura, os caminhos entre as galerias são iluminados e o piso é de cimento para que as pessoas possam caminhar tranquilamente. As visitas são guiadas, custam 7 €, e duram de 30 a 40 minutos. Mais informações estão no site: https://www.grutasmoeda.com/ e é um passeio que eu super recomendo!!!

Gruta das Moedas
Lago da Felicidade
Solar do Bacalhau
Na escadaria do Solar do Bacalhau

Às 11h deixamos o hotel em Fátima e partimos para Coimbra (onde vamos pernoitar). Nosso passeio por essa cidade começou no tradicional Solar do Bacalhau (http://www.solardobacalhau.pt/), um restaurante bem típico da região, minha família quis provar do bacalhau e eu fiquei na saladinha com as batatas. Mas é um excelente restaurante, com preços razoáveis pela estrutura, atendimento e qualidade que oferecem (60 € para os quatro, incluindo os pratos principais, bebidas e sobremesas – lembrando que eles não cobram taxa de serviço, fica a critério do cliente, então nesse valor incluímos as gorjetas).

Solar do Bacalhau
Almoço em Família
Solar do Bacalhau
Pastel de Tentúgal com Queijadinha e Sorvete
Largo da Portagem Coimbra
Largo da Portagem
Rua Ferreira Borges Coimbra
Caminhando na Rua Ferreira Borges

Depois do almoço é hora de queimar as calorias, então fomos caminhar ali pelo Centro de Coimbra, passeamos na Praça do Comércio, no Largo da Portagem, andamos pelas lojinhas da Rua Ferreira Borges.

Visitamos a Igreja de Santiago, com sua fachada toda em pedra é encantadora, e a Igreja de São Bartolomeu, que é bem aconchegante.

Igreja de Santiago
Igreja de Santiago
Igreja de Santiago
Interior da Igreja de Santiago
Igreja de São Bartolomeu
Igreja de São Bartolomeu
Igreja de São Bartolomeu
Altar da Igreja de São Bartolomeu
Ponte de Santa Clara Coimbra
Ponte de Santa Clara

Fomos caminhando até a Ponte Santa Clara para apreciar a vista do Rio Mondego.  Se você estiver com tempo disponível vale a pena cruzar essa ponte e visitar “Portugal dos Pequenitos”, que é um parque temático com réplicas dos principais pontos turísticos de Portugal e de países de língua portuguesa, com uma riqueza de detalhes que impressiona. Apesar de ser direcionado ao público infantil, vale muito a pena os adultos conhecerem. Mais detalhes estão no site: http://www.portugaldospequenitos.pt/

Rio Mondego
Rio Mondego

Bem perto desse parque está o Mosteiro de Santa Clara-a-Velha, feito em estilo gótico, já sofreu muito em razão das enchentes do Rio Mondego, fazendo com que as freiras fossem para um novo convento: Mosteiro de Santa Clara-a-Nova em 1677. Após ser abandonado e ficar em ruínas, passou por um processo de recuperação e foi reaberto para visitação ao público em 2009. E foi no Paço desse mosteiro que Inês de Castro foi assassinada a mando do Rei D. Afonso IV (aquela que está enterrada no Mosteiro de Alcobaça, lembra?). Mais detalhes do mosteiro estão no site: https://www.culturacentro.gov.pt/mosteiro-santa-clara-a-velha/

E atrás desse mosteiro fica a Quinta das Lágrimas (hoje é um hotel, mas permite visita ao jardim), local em que D. Pedro e Inês de Castro se encontravam no jardim e onde está a Fonte das Lágrimas, que segundo a lenda teria sido criada pelas lágrimas derramadas por Inês quando morreu. E as manchas avermelhadas dessa fonte seriam o sangue derramado de Inês. Mais detalhes podem ser conferidos no site: http://www.centerofportugal.com/pt/quinta-das-lagrimas/

Pastel de Santa Clara
Pastel de Santa Clara

Agora voltando para a realidade, não deixe de provar o Pastel de Santa Clara, ali mesmo no Largo da Portagem tem várias pastelarias. Eu fui na Pastelaria Briosa.  Esse pastel é em forma de meia lua com recheio de doce de ovos e amêndoas e polvilhado com açúcar. Para conhecer mais opções de doces é só dar uma olhadinha no site: http://www.pastelariabriosa.com/produtos.htm

Universidade de Coimbra
Paço das Escolas da Universidade de Coimbra

Nossa parada seguinte foi para conhecer a Universidade de Coimbra, realmente é um complexo que impressiona, é considerada Patrimônio Mundial da Unesco desde 2013 e uma das mais antigas e respeitadas do mundo. Nossa visita começa no Paço das Escolas,  que é o conjunto arquitetônico histórico da Universidade, formado pela Porta Férrea ou Portal (que dá acesso à campus da universidade), a  Via Latina (que é a grande varanda do antigo Paço Real), a Torre (de 33,5 m de altura, onde fica o tradicional relógio)  e o  Portal Manuelino (porta da Capela de São Miguel). A Universidade possui vários mirantes, com vistas belíssimas do Rio Mondego e da Cidade de Coimbra.

Universidade de Coimbra
Portal da Universidade de Coimbra
Universidade de Coimbra
Vista do Pátio da Universidade
Torre da Universidade de Coimbra
Torre da Universidade de Coimbra

Dentre as partes visitáveis no interior da universidade estão o Paço Real, onde ficavam os aposentos dos rei, a Sala dos Archeiros ou das Armas (que abriga as armas da antiga Guarda Real) e a Sala dos Grandes Atos ou Sala dos Capelos (uma das mais lindas na minha opinião), esse nome faz referência à capa usada pelos Doutores na Universidade e é nessa sala que são defendidas as teses de Doutorado. Também é possível visitar a Torre que é um dos marcos da universidade.

Sala dos Archeiros
Sala dos Archeiros
Sala dos Capelos
Sala dos Capelos

O complexo da Universidade de Coimbra também abriga a Capela Real de São Miguel, que foi construída no século XII e depois reformulada no século XVI, usando o estilo manuelino. A Capela é revestida de azulejos e o órgão é em estilo barroco com decoração em dourado.

Capela de São Miguel
Capela de São Miguel
Capela de São Miguel
O belíssimo Órgão da Capela
Prisão Acadêmica
Prisão Acadêmica
Prisão Acadêmica
Prisão Acadêmica – Solitária

Outro local imperdível é a Biblioteca Joanina, uma das mais ricas de toda a Europa. A visita começa no subsolo onde ficava a “prisão acadêmica”, para onde iam os alunos que desrespeitavam as normas da universidade.

Depois fomos ao Piso Intermediário, que possui vários livros e em seguida fomos para o Piso Nobre (aqui é proibido fotografar), que é belíssimo, estima-se que seu acervo seja de 40.000 volumes. Vale lembrar que existem morcegos na biblioteca e eles são muito úteis para proteger os livros dos insetos. E para que eles não sujem as mesas, todas as noites essas são cobertas com lonas.

Biblioteca Joanina
Piso Intermediário da Biblioteca Joanina
Universidade de Coimbra
Estudantes da Universidade de Coimbra

O complexo da Universidade de Coimbra também tem uma ala mais moderna com grande espaço físico para abrigar todos os cursos oferecidos por ela. Para saber mais detalhes é só acessar o site: https://www.uc.pt/ . Outra curiosidade da universidade é o uso de uniformes por parte dos alunos, apesar de não ser obrigatório, se for usado precisa estar completo e é composto de sapatos pretos, calça para os homens e saia para as mulheres – ambos na cor preta, meia-calça preta para as mulheres, camisa branca, gravata, colete, casaco e capa preta para ambos.

Universidade de Coimbra
O Famoso Uniforme (Foto cedida pelo grupo “Amigos de Portugal”)

Esse mesmo uniforme é usado tanto no inverno quanto no verão (e dizem que a autora do Harry Potter – J.K. Rowling se inspirou neles para seus livros). Apesar de ser uma instituição pública, os alunos pagam uma espécie de mensalidade/ anuidade para frequentar os cursos e se forem de Portugal ou da União Europeia, o governo português subsidia uma parte, mas se for de outros países, o pagamento total é por conta do aluno.

Encerrada essa visita, fomos para o hotel. Nos hospedamos no Tryp Coimbra, o hotel é muito bom e melhor localizado que o de Lisboa, também não ficava na região central, mas dava para ir de táxi mais rapidamente. Aproveitamos a noite para descansar e já deixar tudo arrumado porque amanhã iremos dormir em Porto.

Roteiro do Quinto Dia – Aveiro, Vila Nova de Gaia e Porto

Ria de Aveiro Moliceiro
Ria de Aveiro

Saímos cedo de Coimbra em direção à Aveiro, uma bela cidade, conhecida como “Veneza Portuguesa”, por conta de seus canais que “abraçam” a cidade. Fizemos o passeio de Moliceiro, uma pequena embarcação que vai percorrendo a Ria de Aveiro (que é o estuário do Rio Vouga). O passeio custa 10 € por pessoa e te permite apreciar a cidade de uma forma diferente: navegando… Vale muito a pena!!!! Quer saber mais sobre Aveiro? É só dar uma olhadinha no site: http://www.centerofportugal.com/pt/aveiro/

Moliceiro
Delicioso Passeio de Moliceiro!!!!
Ovos Moles
Degustando os Ovos Moles de Aveiro

Além desse passeio, o que você não pode deixar de fazer em Aveiro é provar os “ovos moles” (não se assuste com o nome), trata-se de um docinho com recheio de gema de ovo, envolto numa massa feita de hóstia. Você vai encontra-lo em vários cafés, nós fomos no “A Barrica – A Casa dos Ovos Moles”, o ambiente é bem aconchegante, adorei a decoração e cada docinho custou 0,90 €.

Aveiro
Praça Dr. Joaquim de Melo Freitas

Também passeamos pelo centrinho de Aveiro, fomos na Praça Dr. Joaquim de Melo Freitas, atravessamos a ponte para ver a reação das pessoas no passeio de moliceiro.

Moliceiro
Moliceiro

Se você estiver com tempo, pode visitar o Museu de Arte Nova (http://mca.cm-aveiro.pt/rede-de-museus/museu-arte-nova/) e o  Museu da Cidade de Aveiro (http://mca.cm-aveiro.pt/), ambos com arquiteturas belíssimas e tem desconto ao comprar ingresso para visitar os dois. E falando em arquitetura bonita, o que chama bastante atenção é o  Forum Aveiro (http://forumaveiro.com/) que é o shopping center da cidade e que tem um lindo jardim suspenso. Vale a pena dar uma passeadinha por lá!

Museu de Arte Nova
Museu de Arte Nova
Museu da Cidade de Aveiro
Museu da Cidade de Aveiro
Vila Nova de Gaia
Vila Nova de Gaia

Partimos agora em direção a cidade do Porto, mas antes paramos do outro lado do Rio Douro, na Vila Nova de Gaia, que é considerada irmã gêmea do Porto (um não vive sem o outro) e onde ficam as caves das principais vinícolas do tradicional “Vinho do Porto”. Porém, antes de ir para essa parte, que sei que você está impaciente para conhecer, vamos parar para almoçar (para aguentar a degustação dos vinhos mais tarde). Nosso almoço foi no Restaurante Beira Douro (https://www.facebook.com/pages/Beira-Douro/221259824568350), o atendimento foi maravilhoso, os preços são bons (gastamos em torno de 50 € para os quatro, incluindo a taxa de serviço que eles não cobram, mas fizemos questão de dar pela atenção que tiveram conosco).

Sangria Porto
Provando a Sangria!!!

E lá foi a melhor Sangria (uma bebida à base de vinho e frutas) que experimentamos e minha irmã gostou bastante da “Francesinha” que é um prato típico do Porto.

 Restaurante Beira Douro
Família no Restaurante Beira Douro
Guia Guillermo
Família com o Guia Guillermo

Depois do almoço, passeamos pelo calçadão com nosso guia Guillermo, observamos a Ponte D. Luis I, que é um dos cartões-postais do Porto e muito bem planejada (foi projetada por um dos estagiários de Gustave Eiffel – criador da Torre Eiffel de Paris). Essa ponte faz a ligação entre o Porto e Vila Nova de Gaia e serve para vários meios de transportes (metrô na parte superior e automóveis na parte inferior) e para os pedestres nos dois pisos.

Ponte D. Luis I
Ponte D. Luis I

 Teleférico de Gaia
Teleférico de Gaia

Quer apreciar a Ponte D. Luis I e o Rio Douro de uma forma diferente? Te convido a me acompanhar no Teleférico de Gaia (o passeio de ida e volta mais uma degustação de vinho custa 9 €). Mais detalhes desse passeio estão no site: http://www.gaiacablecar.com/. A vista é maravilhosa!!!! Você pode descer do teleférico, apreciar a vista da ponte, visitar o Mosteiro da Serra do Pilar (http://www.culturanorte.pt/pt/patrimonio/mosteiro-da-serra-do-pilar/) e pegar o teleférico de volta quando quiser. Quer se encantar ainda mais com a vista? Dá uma olhadinha no vídeo que fiz no nosso canal no youtube e depois me conta o que achou: https://www.youtube.com/watch?v=svRdtAidWL8

Mosteiro da Serra do Pilar
Mosteiro da Serra do Pilar
Rio Douro
Encantada com a Vista do Porto!!!
 Porto e do Rio Douro
Vista do Porto e do Rio Douro
Quinta Santa Eufêmia
Degustação na Quinta Santa Eufêmia

Fizemos a degustação do vinho na Quinta Santa Eufêmia¸ só na volta para ter um motivo para voltar, já que a vista estava tão encantadora lá em cima. Continuando a parte das bebidas, nossa próxima parada foi a visita à Vinícola Sandeman, onde fomos recepcionados pelo guia vestido como o fundador da vinícola, para entrar no clima.

Vinícola Sandeman
Vinícola Sandeman

Visitamos as caves (adegas), aprendemos que o Vinho do Porto só pode ser produzido na Região do Douro por questões climáticas e que as caves ficam em Vila Nova de Gaia e não na cidade do Porto também por questões ambientais. Tudo para garantir melhor qualidade e sabor ao Vinho do Porto. Também aprendemos sobre os três tipos de Vinhos do Porto:  Ruby (mais frutado), Tawny (mais amadeirado) e o Branco (produzido com uvas brancas, é mais jovem que os anteriores e tem sabor frutado). E dentre os vinhos Ruby, tem-se o Vintage (que é feito com uvas de safras especiais, continua envelhecendo na garrafa, costuma ser caríssimo e assim que aberto tem que ser consumido em no máximo em 48h para não perder suas características).

Vinícola Sandeman
Guia da Vinícola Sandeman
Vinícola Sandeman
Caves da Vinícola Sandeman
Vinícola Sandeman
Hora da Degustação!!!

Depois de toda essa aula, fomos para a parte que você estava esperando:  Degustação dos Vinhos do Porto. Essa visitação estava inclusa no pacote da viagem, por isso não coloquei os valores, mas a Vila Nova de Gaia é repleta de vinícolas como a Ferreira, a Calem, a Taylor, entre outras, é só escolher a que mais te agrada e partir pra alegria!!! Para saber mais detalhes da Sandeman é só conferir no site: http://www.sandeman.com/

Essa degustação até animou para o próximo passeio que foi de Barco Rabelo pelo Rio Douro, esse tipo de embarcação é que fazia o transporte do Vinho do Porto do local de sua produção até as caves de Vila Nova de Gaia. Esse passeio (que também estava incluso no pacote da viagem, mas é possível comprar ingresso lá na hora) é muito interessante!! Se tem a visão de Vila Nova de Gaia e do Porto de um ângulo diferente, se conhece várias pontes do rio e se encanta cada vez mais com a perfeição da natureza!

Barco Rabelo Rio Douro
Barco Rabelo
Rio Douro
Passeio pelo Rio Douro

Terminando o passeio de barco, seguimos agora para a cidade do Porto.

 Igreja da Lapa
Igreja da Lapa

Nossa primeira parada foi na Igreja da Lapa, sua arquitetura é muito bonita, mas o que verdadeiramente chama a atenção nessa igreja é que junto ao altar está sepultado o Coração do Rei D. Pedro IV de Portugal (nosso D. Pedro I do Brasil). Não é em sentido figurado, lá está o órgão, o músculo cardíaco. E para se tirar o coração dali para eventuais estudos é uma tarefa bem complexa: são cinco chaves para se chegar ao recipiente de vidro com formol onde está o coração e essas chaves estão sob a tutela da Prefeitura do Porto. Embora cientistas brasileiros estejam reivindicando o órgão para estudo não se sabe se vão conseguir… Mas se você quiser mesmo ver o coração de D. Pedro, aguarde o documentário “O Sentido da Vida” do diretor Miguel Gonçalves Mendes que conseguiu autorização para usar o Coração de D. Pedro em uma cena na abertura do filme. Mais detalhes sobre o filme estão no site: http://www.osentidodavida.com/ e tem previsão de estreia para 2019. Fiquei curiosa para assistir, e você?

 Igreja da Lapa
Altar da Igreja da Lapa
Coração de D. Pedro I
Onde está o Coração de D. Pedro I
Torre dos Clérigos
Torre dos Clérigos

A próxima parada foi na Torre dos Clérigos (http://www.torredosclerigos.pt/pt/), um dos cartões-postais do Porto. Sua arquitetura em estilo barroco por si só já é um encanto, sua altura é de 75m e se você estiver com disposição pode subir seus 225 degraus para ter uma vista privilegiada da cidade.

Bem pertinho da Torre fica a  Livraria Lello (www.livrarialello.pt), que já virou tradição na cidade por ter sido sua escada que inspirou a Escada da Biblioteca dos filmes e livros do Harry Potter (a autora J. K. Rowling morou um tempo em Porto e frequentava essa livraria).

Livraria Lello
Fachada da Livraria Lello

Os ingressos para visitar a livraria são adquiridos na lojinha da livraria que fica na esquina custam 5 €, valor que pode ser abatido se você comprar algum livro. Tem vários do Fernando Pessoa, importante autor português, e acaba sendo uma ótima opção de presente e de souvenir da viagem (minha irmã comprou o “Mensagem” do Fernando Pessoa que custava 13 € e com o desconto da entrada ficou por 8 € e eu escolhi “O Esoterismo de Fernando Pessoa” da autora Dalila L. Pereira da Costa para entender um pouco mais sobre ele e seus pseudônimos – que ficou por 7 € com o desconto). Depois me conta nos comentários qual você escolheu e nos recomenda.

Livraria Lello
Famosa Escadaria da Livraria Lello

A escadaria realmente impressiona como toda a arquitetura da livraria. Mesmo que tenha filinha para entrar vale a pena enfrenta-la. Também tem concorrência para tirar foto na escada, vai ser difícil conseguir uma só sua, sempre vai ter alguém atrás, mas o que importa é encher seus olhos com essa beleza. E vou te contar uma curiosidade: o que parece madeira e ouro na decoração da escada é gesso com pintura dourada para reduzir o peso, mas de qualquer forma é belíssimo!!!

Livraria Lello
Livraria Lello
Livraria Lello
Escadaria vista de Baixo

Seguimos agora para o hotel: Holiday Inn Express Porto Exponor (mesma situação de hotel: muito bom, porém bem afastado – a única vantagem em relação ao de Lisboa é que tinha um ponto de ônibus em frente com uma linha que levava para o centro e no painel tinha os horários que ele passava por ali – e era bem pontual). E não muito longe dali (mas precisava ir de ônibus ou táxi) ficava o Mar Shopping Matosinhos (https://www.marshopping.com/pt-pt/matosinhos) , um shopping bem legal e com ótimas lojas. Vale a pena conhecer. Agora vamos aproveitar para descansar para acordar bem cedo amanhã e curtir o Porto!

Roteiro do Sexto Dia – Porto: Igreja dos Clérigos, Igreja de São Francisco, Palácio da Bolsa, Estação São Bento, Sé do Porto, Avenida dos Aliados, Igreja do Carmo e dos Carmelitas, Praça da Cordoária, Shopping Mar e Jantar com Show de Fado

Calma! Sei que você cansou só de ler o roteiro, mas te garanto que vai dar tempo de fazer tudo isso porque é tudo pertinho e você não vai se arrepender porque tem tanta coisa linda pra se ver que vale muito a pena!!! Hoje era dia livre no pacote da viagem, nossos pais aproveitaram para ficar no hotel descansando para à noite aproveitar melhor o Show de Fado e minha irmã e eu fomos desbravar a cidade do Porto.

Casa da Música
Casa da Música

Em frente ao hotel, pegamos o ônibus (valor da passagem: 1,95 €) das 8h50 com destino à Praça da Cordoária. Nesse percurso passamos pela Casa da Música, pelo Palácio de Cristal e descemos no ponto final que fica ao lado da Torre dos Clérigos.

Torre dos Clérigos
Torre dos Clérigos

Aproveitamos para visitar a Igreja dos Clérigos (http://www.torredosclerigos.pt/pt/)  que fica junto com a Torre dos Clérigos, é belíssima e tem formato arredondado. Ao lado da Igreja tem várias lojinhas e passa o elétrico.

Igreja dos Clérigos
Igreja dos Clérigos
Ruas do Porto
Ruas do Porto

Fomos passeando pelas ruas do Porto, passamos pelo Mercado Ferreira Borges, pela Praça D. Henrique (em frente ao Palácio da Bolsa) e que é muito limpa e bem cuidada.

Mercado Ferreira Borges
Mercado Ferreira Borges
Praça D. Henrique
Praça D. Henrique
Igreja de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis

Nossa próxima parada foi na  Igreja de São Francisco de Assis (http://ordemsaofrancisco.pt/igrejamuseu/), que é do lado dessa praça acima.  O ingresso para toda a visitação (museu e igrejas) custa 7 € por pessoa, na parte do Museu e da Igreja do Convento de São Francisco é permitido fotografar, mas na parte da Igreja dos Terceiros de São Francisco (conhecida como a Igreja de São Francisco de Assis) não são permitidas fotografias.

Igreja de São Francisco de Assis
Lateral da Igreja de São Francisco de Assis

Uma pena porque eu queria muito registrar essa beleza e te mostrar. É uma das igrejas mais lindas que já vi na vida: toda revestida em ouro!!! Um trabalho magnífico!!! Se você tiver que escolher só uma igreja para visitar em Porto, recomendo essa. Mas se você tiver mais tempo, pode visitar as que vou te mostrar adiante que também têm sua beleza peculiar.

Igreja de São Francisco de Assis
Visita ao Museu do Complexo de São Francisco de Assis
Igreja de São Francisco de Assis
Mirante da Igreja de São Francisco de Assis

Completamente encantadas por essa Igreja, fomos visitar sua vizinha:  A Associação Comercial do Porto, onde fica o Palácio da Bolsa (https://palaciodabolsa.com/), compramos os ingressos por 9 € por pessoa para a próxima visita guiada que seria em inglês (mas também tem em português e espanhol – você pode escolher o horário do idioma que prefere, já comprar os ingressos e fazer algum passeio ali por perto e só voltar na hora do seu tour).

Palácio da Bolsa
Palácio da Bolsa
Palácio da Bolsa
Salão Árabe do Palácio da Bolsa

Posso te dizer que a visita ao Palácio da Bolsa é outro passeio imperdível do Porto. Uma sala mais linda que a outra, mas as que mais gostei foram o Salão Árabe, a Escadaria Nobre e o Pátio das Nações, mas tem outras salas belíssimas, em uma até o piso é feito para dar a impressão de 3ª dimensão. E a Sala das Assembleias Gerais também usa a técnica do gesso (ou plaster em inglês) para substituir a madeira (como te contei que acontece na escada da Livraria Lello). O trabalho é tão perfeito que você nem percebe a diferença.

Escadaria Nobre Palácio da Bolsa
Escadaria Nobre do Palácio da Bolsa
Palácio da Bolsa
Detalhe do Piso em 3D
Pátio das Nações Palácio da Bolsa
Pátio das Nações
Sala das Assembleias Gerais Palácio da Bolsa
Sala das Assembleias Gerais

Terminando a visita, passamos na lojinha do Palácio da Bolsa para comprar algumas lembrancinhas, entre elas um postal com uma das possíveis histórias do Galo (ou Galinho) de Barcelos, um dos símbolos de Portugal. Segundo a lenda, estava acontecendo uma festa e um dos convidados foi acusado de ter roubado a prataria da casa. Ele foi levado ao tribunal e condenado à forca, mas ele jurou inocência, então o juiz lhe concedeu uma última oportunidade para apresentar sua defesa. Ele disse que se fosse realmente inocente aquele galo que estava morto ali na frente cantaria. O que de fato aconteceu: o galo cantou e ele foi libertado. A partir daí o galo virou símbolo de Barcelos, cidade onde aconteceu o fato e também símbolo de Portugal e que está presente em vários souvenirs.

Continuamos a caminhar pelo Porto e fomos visitar a Estação de Trem São Bento (https://www.cp.pt/passageiros/pt/consultar-horarios/estacoes/porto-sao-bento), que tem uma arquitetura externa de inspiração francesa encantadora, porém é mais conhecida pelos seus belíssimos painéis de azulejo do hall principal que retratam importantes momentos da história de Portugal. São cerca de 20 mil azulejos em 551 metros quadrados que levaram o artista Jorge Colaço a conseguir completar a obra em 11 anos.

 Estação São Bento
Estação de Trem São Bento
 Estação São Bento
Interior da Estação São Bento
Sé do Porto
Mirante da Sé do Porto com vista da Torre dos Clérigos

Bem perto dessa Estação, fica a  Sé do Porto  (http://www.diocese-porto.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=877:igreja-da-se-catedral-do-porto) passamos por seu mirante, que oferece uma vista formidável (preste atenção no destaque da Torre dos Clérigos- sempre ela: linda, poderosa e absoluta!!!). Falando em poderosa, a Sé do Porto pode ser considerada assim também, seu estilo gótico-românico e a imponência de suas pilastras impressionam! Vale a pena conhecer!

Sé do Porto
Sé do Porto
Sé do Porto
Sé do Porto em seu interior
Avenida dos Aliados
Avenida dos Aliados

Nossa próxima parada foi na Avenida dos Aliados, umas das principais avenidas do Porto. Realmente é muito bonita, cercada de vários e belíssimos prédios.

Mc Donald’s Imperial
Mc Donald’s Imperial

Entre eles, o do antigo Café Imperial, que agora é o Mc Donald’s Imperial e que manteve seu estilo arquitetônico imperial e é considerado um dos Mc Donald’s mais lindos do mundo. Vale a pena dar uma passadinha para conhecer e experimentar o Grand Parfait (é parecido com sundae, mas não tem aqui), o Iced Frappé Mocha e o Milk Shake de morando (que é bem parecido com o nosso). Para conhecer mais sobremesas é só conferir no site: https://www.mcdonalds.pt/ementa/categorias/sobremesas/

Mc Donald’s Imperial
Interior do Mc Donald’s Imperial
Mc Donald's Imperial
As delícias geladas!!!!
Porto
Meu novo amigo do Porto

Ali na Avenida dos Aliados, vi uma prática que é muito comum também em Coimbra: artistas de rua (principalmente músicos de acordeon/ sanfona) tocando seu instrumento e tendo ao lado um ajudante muito especial: seu cãozinho de estimação. É muito difícil resistir a tanta fofurice e não colaborar com o trabalho do artista.

Lojinha da LIvraria Lello
Decoração da Lojinha

Fomos passear agora pela região da Galeria Paris, que é uma rua próxima à Livraria Lello e que tem barzinho à noite e durante o dia tem feirinha de artesanato (não sei você, mas eu não resisti a essas feirinhas….). Depois fomos visitar com calma a Lojinha da Livraria Lello, porque ontem estava muito corrido. Essa lojinha tem uma decoração bem legal e é impossível não tirar foto com a bagagem e a Edwiges (a coruja) do Harry Potter.

Livraria Lello Lojinha
Pronta para Hogwarts

Outro lugar bem bacana de visitar é a Praça Gomes de Teixeira, onde fica a Universidade do Porto e tem a Fonte dos Leões.

Praça Gomes de Teixeira
Universidade do Porto na Praça Gomes de Teixeira
Fonte dos leões Praça Gomes de Teixeira
Fonte dos leões
Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas
Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas

E do outro lado da rua fica a Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas (uma grudada na outra) e a Igreja dos Carmelitas tem um museu. O ingresso que custa 2,50 € por pessoa dá direito a visitar os três espaços. As igrejas são lindas por dentro e a Igreja do Carmo (https://www.ordemdocarmo.pt/) tem um belíssimo painel de azulejo na sua parede exterior! Vale a pena a visita!

Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas
Fachada da Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas
Igreja do Carmo e Igreja dos Carmelitas
Museu da Igreja dos Carmelitas
Igreja dos Carmelitas
Interior da Igreja dos Carmelitas
Igreja do Carmo
Altar da Igreja do Carmo

Ainda passamos pela Praça da Cordoária (ou Jardim de João Chagas) que foi fundada em 1865 pelo Visconde De Vilar d’Allen, com o projeto do paisagista Émile David, sofreu com o ciclone de 1941, mas em 2001 foi remodelada pelo arquiteto Camilo Cortesão. A praça é muito bem cuidada e tem um grande acervo de esculturas. Se tiver um tempinho, vale a pena passear por ela.

 Praça da Cordoária
Praça da Cordoária

Ali mesmo na Praça da Cordoária, pegamos o ônibus (com destino ao Mar Shopping) para voltar ao hotel. Mas antes demos uma passadinha no  Mar Shopping https://www.marshopping.com/pt-pt/matosinhos) – paulistana não resiste a um shopping…

Mar Shopping
Show dos Ursinhos Carinhosos

Como já comentei ontem, esse shopping é muito legal, tem ótimas lojas, uma boa praça de alimentação e ainda estava tendo apresentação dos “Ursinhos Carinhosos” em comemoração aos 10 anos do shopping. Não resisti e parei para assistir, sou apaixonada pelos Ursinhos Carinhosos, lembrou minha infância. Detalhe que tinha muito mais adultos assistindo ao show do que crianças. Acho que não sou a única apaixonada por eles…rsrs

Herança Magna
Um Brinde ao Fado

Depois de ficar quase duas horas no shopping (era pra ser só uma passadinha…), pegamos um táxi e fomos para o hotel para nos arrumar para o evento da noite: Jantar com Show de Fado e Folclórico no Herança Magna (http://www.herancamagna.pt/pt). Fomos com a CVC (contratamos esse passeio opcional por 60 € por pessoa). O evento começou com uma apresentação sobre a cidade do Porto e seus pontos turísticos.

Herança Magna
Show de Fado no Herança Magna

Seguimos para outra sala onde foi servido o Jantar (onde foi possível confraternizar com os grandes amigos que fizemos nessa viagem) e depois retornamos para a primeira para assistir ao Show de Fado (para os portugueses é um desrespeito assistir ao show comendo, porque não se presta atenção no artista, por isso a refeição é servida antes). E a finalização foi com um Show Folclórico muito bonito por sinal e para animar a turma, depois de tanta melancolia e “sofrência” do fado.

Herança Magna
Jantar dos Amigos: Meus pais com Sérgio e Bella do lado esquerdo e a Ambrosina, a Néy, a Seule e seu esposo do lado direito
Herança Magna
Jantar dos Amigos: Eu e Minha Irmã com a Miriam, a Geanini e a Aninha com seus respectivos maridos
Herança Magna
Show Folclórico encerrando a festa

Essa foi uma excelente forma de me despedir do Porto e de Portugal, brindando com um show para celebrar essa linda viagem! O roteiro de Portugal termina por aqui, espero que tenha gostado dos passeios! E aproveito para te convidar a me acompanhar na Espanha e na França nas próximas postagens!!!