Caminhando pelo Centro Histórico de São Paulo

Você já teve ter ouvido falar que São Paulo é uma selva de pedra, só tem concreto, seus moradores trabalham feitos loucos e que não sobra tempo pra nada… Essas afirmações tem lá seu fundo de verdade, mas estou aqui hoje pra te mostrar que dá tempo pra se divertir sim e que tem muuuuuitas coisas legais pra fazer na minha querida Cidade de São Paulo, vou te levar pra conhecer os principais pontos turísticos do Centro Histórico. E o melhor é que muita coisa dá pra fazer a pé. E você pode desmembrar esse roteiro em vários dias, para poder aproveitar mais cada lugar.

Me acompanha nessa caminhada?

Catedral da Sé

Podemos começar nosso passeio descendo na Estação Sé do Metrô e indo visitar um dos principais cartões postais de São Paulo: a Catedral Metropolitana de São Paulo,  mais conhecida como Catedral da Sé, que fica na Praça da Sé s/n (onde está o marco zero para a contagem das distâncias da cidade) e é considerada a quinta maior catedral do mundo. Sua construção começou em 1913, com projeto do arquiteto alemão Maximilian Emil Henl, adotando o estilo neogótico, marcado pela terminação das colunas em ogivas (forma pontiaguda que lembra mãos em prece) e pela grande altura e imponência do templo (111m de comprimento por 46m de largura e as 2 torres principais com 92m de altura), também trazendo traços renascentistas como a cúpula, além dos lindos vitrais. Porém, só foi inaugurada ainda inacabada (sem as torres) em 25 de janeiro de 1954 (em comemoração aos 400 anos da cidade). As torres só ficaram prontas em 1969 e a Catedral ficou fechada para restauração entre 1999 e 2002, quando foi reaberta completando as 14 torres do projeto original. Mais detalhes estão no site: www.catedraldase.org.br.

A Imponente Catedral da Sé
Marco Zero de São Paulo

A Catedral da Sé é dedicada à Nossa Senhora da Assunção, mas recebe o título de Catedral por ser o lugar onde está a cadeira do Bispo. Vale lembrar que a primeira Catedral de São Paulo foi construída entre 1745 e 1764, era em estilo barroco e bem menor que a atual, ficava em frente à essa (na outra ponta da Praça da Sé) e foi demolida em 1912 para a construção da nova.

Quando visitar a Catedral da Sé, você pode aproveitar para fazer uma visita monitorada à Cripta, que fica bem abaixo do altar-mor e foi inaugurada em 1919 (antes mesmo da Catedral) para abrigar os restos mortais de bispos, arcebispos e personalidades históricas importantes, como o Cacique Tibiriça, entre outros. É nessa Cripta que está sepultado Dom Paulo Evaristo Arns, um importante arcebispo de São Paulo que faleceu em 2016. A Cripta foi construída em estilo gótico, em formato de cruz, e em cada túmulo há um símbolo relacionado à vida de Cristo, como o cálice, a cruz, a mão (onde os três dedos erguidos representam a Santíssima Trindade e os abaixados a vida espiritual e humana de Jesus, entre outros símbolos.

Cripta da Catedral da Sé

Na Cripta da Catedral da Sé também encontramos esculturas em mármore carrara representando a morte de Cristo que foram esculpidas por Carlos Leopoldo e Silva e que expressam de maneira bem real toda a dor desse momento.

Além da Primeira  (e única) Exposição Brasileira sobre o Santo Sudário, trazendo toda explicação sobre o lençol que envolveu o corpo de Cristo durante o sepultamento, bem como réplicas dos pregos, chicote e da Coroa de Espinhos, e uma cópia fotográfica em tamanho real do Santo Sudário. Vale lembrar que o original está em Turim na Itália e só é exposto em determinadas épocas.

Exposição sobre o Santo Sudário
Réplica da Coroa de Cristo
Foto em tamanho real do Santo Sudário

Os ingressos para a visitação à Cripta da Catedral da Sé custam R$ 7,00 e são adquiridos na própria secretaria. Mas se você for fazer o Brunch (que vou te explicar daqui a pouquinho, essa visita já está inclusa no pacote). Não poderia deixar de citar que quem me guiou na primeira visita à Cripta foi a querida Luciane, que foi super atenciosa, me passou várias informações importantes e me recomendou o Brunch. Se ela for sua monitora tenho certeza que vai concordar comigo!!!

Brunch na Catedral da Sé

Você já deve ter ouvido falar de “brunch”, aquela refeição que mistura café da manhã com almoço, sabe? Então, geralmente uma vez por mês, a Catedral da Sé realiza o “Brunch na Catedral da Sé”, um evento que une fé, gastronomia, cultura e cidadania (já que toda a renda é revertida para a conservação da Catedral), começando pela missa às 11h que é celebrada pelo Cardeal Arcebispo de São Paulo Dom Odilo Scherer, seguindo para o “brunch” no salão superior e depois para o tour guiado, onde é feita a visitação ao altar, cripta, cúpula, torres, chegando até os sinos. E quem me acompanhou nesse passeio super especial foi minha irmã Ane!

Missa na Catedral da Sé

A sala superior é lindíssima, dá pra ver de pertinho os vitrais e ter uma visão privilegiada do órgão e de toda a Catedral. Além de ser uma oportunidade abençoada de estar tão perto e receber as bençãos desse Mensageiro de Deus que é o Dom Odilo Scherer. Muita gratidão por esse momento!!!

Com o Bispo Dom Odilo Scherer

Como o Brunch na Catedral da Sé  é um momento de alegria, de confraternização, nada melhor que brindar e celebrar novas amizades como o casal Eric e Marta, seu casal de amigos, a Luíza, minha irmã e eu, tendo esse registro sido feito pelo Vidal.

Um Brinde ao Momento!!!

Sei que está querendo saber quem é o responsável pela gastronomia e quais as delícias, não é mesmo? Então vou te contar, dessa vez o “Brunch na Catedral da Sé” ficou por conta da Chef Elzinha Nunes, que é uma simpatia e trouxe todo o sabor da Comida Mineira para esse evento, com um cardápio bem variado, incluindo várias opções vegetarianas, além das sobremesas maravilhosas. E esse evento foi mais que especial, pois foi em homenagem à Dona Lucinha (mãe da Elzinha) que faleceu recentemente. Se você ficou com vontade de provar, não se desespere, você pode conhecer o Restaurante Dona Lucinha que fica em Moema (Av. Chibarás, 399) e mais detalhes e horário de funcionamento estão no site: http://donalucinha.com.br/. Com certeza, irei fazer uma visita à Elzinha em breve…

Os sabores do Brunch na Catedral

O almoço foi maravilhoso, a comida estava deliciosa e o atendimento foi impecável, toda a equipe muito atenciosa e solícita. O que nos encheu de energia para continuar a parte final do Brunch na Catedral da Sé, que é o  Tour Guiado. Quem nos conduziu nessa visita monitorada foi o Padre Luiz Eduardo Baronto, uma pessoa realmente iluminada, que nos transmite tanta paz e conhecimento ao mesmo tempo.

Começamos nosso Tour Guiado,  conhecendo um pouco mais sobre Órgão da Catedral, que é o maior do Brasil, com 10.827 tubos e é considerado o maior instrumento musical de São Paulo. Também visitamos o Altar-Mor, construído em verde e amarelo para fortalecer a nacionalidade brasileira (lembrando que o mármore verde veio de Madagascar) e sobre ele está o  Baldaquino, com cenas da Assunção de Nossa Senhora. O Novo Altar também é em mármore, só que em mármore branco e abaixo dele contém relíquias, como de Santa Paulina.

Explicações do Padre Baronto

O Padre também nos explicou sobre a arquitetura da Catedral, sobre os Mosaicos de Santa Ana e de São Paulo,  que ficam nas laterais, nos levou até a Capela do Santíssimo, que fica ao lado do altar e nos guiou até a Cripta (que já comentei acima como foi a visita)

Capela do Santíssimo

Continuando nosso Tour Guiado, chegou a hora de explorar os andares superiores da  Catedral da Sé, ver de perto sua Rosácea, apreciar do alto a  Vista da Praça da Sé e subir nas Torres. Dá só uma olhadinha nesse vídeo que postei no nosso canal do youtube pra você ter a sensação de estar caminhando junto comigo entre as Torres da Catedral: https://www.youtube.com/watch?v=EaoUlA7NiUE&feature=youtu.be.

Vista da Praça da Sé
Vista do Altar por quem está no Coro

E para fechar com chave de ouro nosso Tour Guiado, é chegado o momento de subir até o Carrilhão da Torre Direita, composto pelo teclado e pelos 61 Sinos, de vários tamanhos, que são controlados por um mecanismo, sendo que só os cinco maiores é que tocam normalmente. São vários degraus para se chegar até os sinos, mas vale muito a pena!!!! Quem nos conduziu nessa parte final do passeio foi o Wagner, que é muito gentil e atencioso!!!! Se você ficou com vontade de viver toda essa experiência, dá uma olhadinha no site para saber mais detalhes e se programar para o próximo Brunch na Catedral da Sé: https://www.brunchnacatedral.org.br/.

Entre os Sinos…
Contemplando a paisagem…

Tive a oportunidade de participar do Programa “Qual Viagem” do Querido Tony Auad, no qual conversamos bastante sobre esse passeio. Já postei a entrevista no nosso canal no youtube, dá uma olhadinha lá pra ver como foi: https://youtu.be/MfKfxIEgVkI

Pateo do Collegio

Vamos continuar nosso passeio pelo Centro Histórico  indo visitar o marco inicial da fundação da cidade de São Paulo, que é o Pateo do Collegio ou (Pátio do Colégio), onde em 25 de janeiro de 1554 foi realizada a primeira missa que marcou o nascimento da cidade e também do colégio jesuíta, que era um núcleo para catequização indígena. O prédio também já serviu como sede do Governo, Academia Paulista de Letras, sede dos Correios, passou por várias reformas, até ser demolido em 1953 (restando somente uma parede de taipa de pilão da primeira construção, por volta de 1585). Sua reconstrução começou em 1954 e durou até 1979 e foi baseada na construção inicial do século XVI. Atualmente o Complexo do Pateo do Collegio abriga o Museu José de Anchieta, a Igreja São José de Anchieta, uma Criptae o Café do Pateo.

No Pateo do Collegio

O Museu de Anchieta foi criado em 1979 com o propósito de contar como foi a fundação da cidade de São Paulo e como os jesuítas contribuíram para isso. Seu acervo conta com mobiliário e peças de época, arte sacra, relíquias, entre outras peças, e até uma maquete de como era São Paulo quando de seu nascimento. Não é permitido fotografar o museu, por isso, não vou conseguir te mostrar como é, mas vale a pena a visita. Seu funcionamento é de terça a sexta das 9h às 16h45 e aos sábados e domingos das 9h às 16h30. Os ingressos para adultos custam R$ 8,00 e além da meia entrada, tem desconto para idosos, aposentados e estudantes de escola pública, que pagam R$ 2,00. Antes de entrar no Museu é possível desfrutar de bons momentos na Praça Ilhas Canárias (que fica entre o café e o museu) e é permitido fotografar.

Na Fonte do Pateo

Saindo do Museu, vale a pena visitar a Cripta, que é uma galeria subterrânea abaixo da Igreja que foi construída em 1757 para abrigar os restos mortais dos jesuítas, visto que na época era costume sepultar os membros do clero ou pessoas importantes no interior das igrejas. Porém foi fechada em 1761 quando os jesuítas foram expulsos, servindo apenas como depósito, e sendo reaberta com a reconstrução do Pateo em 1979. Vale lembrar que os restos mortais que estavam ali foram retirados e atualmente ela serve como espaço para exposições temporárias, como essa que estava em cartaz quando visitei “Amar e Viver São Paulo” de Nilda Luz. Também não é permitido fotografar na Cripta, mas algumas obras dessa exposição na Cripta estavam reproduzidas em escala bem maior no Praça do Pateo e dá pra você ter uma ideia desse lindo trabalho da artista.

Agora para animar um pouco, vale dar uma paradinha no Café do Pateo, que fica no jardim, num ambiente super gostoso e oferece um cardápio que é uma tentação ao pecado da gula, já pensando na sobremesa: um Milk Shake, pedi só uma saladinha pra compensar…

Momento gordice no Café do Pateo

Aproveite para conhecer também a Igreja São José de Anchieta (ou Igreja do Colégio) que começou como uma cabana em 1554, passou por reforma, demolição e voltou a ser reconstruída e inaugurada em 1979. Em 2014 recebeu a denominação atual em homenagem ao seu padroeiro “José de Anchieta” que foi canonizado nesse mesmo ano.

Vale lembrar que o Complexo Pateo do Collegio fica na Praça Pateo do Collegio n° 02 no centro de São Paulo. Você pode desembarcar na Estação de Metrô Sé e caminhar um pouquinho que já está no Pateo. Mais detalhes sobre o Complexo estão no site: www.pateodocollegio.com.br. Ah! Na frente do Pateo tem o Marco da Paz e o Monumento “Glória Imortal aos Fundadores de São Paulo”

Marco da Paz

Solar da Marquesa de Santos

Ali pertinho do Pateo do Collegio (na Rua Roberto Simonsen, 136) fica o Solar da Marquesa de Santos, que pertenceu à  Marquesa Domitila de Castro Canto e Mello (conhecida como “Amante de D. Pedro I”) entre 1834 e 1867 e é uma típica residência urbana do século XVIII. Depois foi vendido, passou por várias modificações para finalmente ser restaurado em 1991. A arquitetura de sua fachada em estilo neoclássico é realmente um charme.

Atualmente o Solar da Marquesa de Santos é a sede do Museu da Cidade de São Paulo e abriga exposições temporárias. O Solar é aberto de terça a domingo das 9h às 17h com entrada gratuita. Mais detalhes estão no site: www.museudacidade.prefeitura.sp.gov.br/quem-somos/solar-da-marquesa-de-santos.

Centro Cultural Banco do Brasil

Outro lugar que vale uma visita e fica próximo dali é o Centro Cultural Banco do Brasil (CCBBSP) que fica na Rua Álvares Penteado, 112 e foi inaugurado em 2001. O prédio que ocupa é do início do século XX, mais precisamente de 1927, quando foi construído para abrigar a primeira agência do Banco do Brasil em São Paulo e é considerado um patrimônio histórico.

Apesar ter sido totalmente reformado para abrigar o Centro Cultural Banco do Brasil, o prédio ainda mantém elementos arquitetônicos de quando foi construído, como a porta do cofre, que pesa 4 toneladas e veio de navio de Paris até o porto que ficava próximo à Ladeira Porto Geral. O cofre, nessa época, ocupava todo o subsolo (hoje o espaço abriga exposições). Outros detalhes da arquitetura do prédio também merecem destaque e são muito belos, como o teto, as luminárias, etc.

Porta do Cofre do Centro Cultural Banco do Brasil
Destaques da Arquitetura do CCBB

O Centro Cultural Banco do Brasil sempre traz exposições marcantes como a da Patrícia Piccinini e a do Kandinsky (que você pode ver nas fotos), entre outras. Inclusive a mais recente que é a Exposição “Vaivém” de curadoria de Raphael Fonseca, que trata da influênca das redes (de dormir, de pescar, entre outras finalidades desse objeto) na identidade dos brasileiros. O CCBB também tem cinema, apresentações de teatro e música e diversas outras atividades artísticas. Para saber a programação atualizada é só conferir o site: www.culturabancodobrasil.com.br/programacao/sao-paulo. O CCBBSP funciona de quarta a segunda das 9h às 21h e tem um café e uma lojinha de souvenirs.

E do Kandinsky
As várias redes da Exposição “Vaivém”
As redes e eu…

Mercado Municipal de São Paulo

Sei que depois de tanto andar e se alimentar de cultura, está batendo aquela fominha e o corpo está pedindo mais energia. Então sugiro uma visita e pausa para o almoço no Mercado Municipal de São Paulo (também conhecido como Mercadão de São Paulo), que foi inaugurado em 25 de janeiro de 1933 em comemoração ao aniversário da cidade. Seu projeto arquitetônico foi do engenheiro Felisberto Ranzini (do escritório de Ramos de Azevedo) e os vitrais foram feitos pelo russo Conrado Sorgenicht Filho.

Mercado Municipal de São Paulo
Detalhe dos Vitrais do Mercadão

Além da beleza do seu prédio, o Mercadão de São Paulo é famoso pela sua gastronomia. Com certeza você já ouviu falar do sanduíche de mortadela e do pastel de bacalhau que são super tradicionais e quem visita o Mercadão sempre quer provar. Mas tem vários restaurantes com outras opções de pratos, inclusive vegetarianos. Vale lembrar que o Mercadão também é conhecido por vender frutas, legumes, verduras, entre outros produtos de alta qualidade e grande variedade. Ele fica na Rua Cantareira, 306 e funciona de segunda a sábado das 6h às 18h e aos domingos das 6h às 16h. Para saber mais detalhes, é só dar uma olhadinha no site: www.mercadomunicipalsp.com. Vale muito a pena a visita!!!

Na Praça de Alimentação do Mercadão

Rua 25 de Março

Aproveitando que você está nessa região, se quiser vale dar uma passadinha na Rua 25 de Março, famosa rua de comércio popular de São Paulo, que oferece uma variedade enorme de produtos a preços bem convidativos. Minha dica é que você já leve uma ecobag caso se empolgue com as comprinhas…

Mosteiro de São Bento

Da Rua 25 de Março, você pode subir a Ladeira Porto Geral ou a Ladeira da Constituição e chegar até o  Largo São Bento, onde está o  Mosteiro de São Bento, que foi fundado ainda no século XVI para abrigar os monges beneditinos, mas cuja construção só começou em 1650. Em meados de 1900 iniciou-se a construção do Colégio e da  Faculdade São Bento, que juntamente com a  Igreja, formam o Complexo do Mosteiro de São Bento.  Sendo que o Mosteiro e a Igreja foram reconstruídos entre 1910 e 1922, com projeto do alemão Richard Bernl e estilo neorromânico.

Mosteiro de São Bento

Vale lembrar que o terreno onde está o Mosteiro de São Bento era a Taba do Cacique Tibiriçá (que se converteu ao Catolicismo e foi importantíssimo na formação da cidade). Além de se encantar com a beleza arquitetônica, você poder aproveitar para assistir a uma missa com canto gregoriano (segunda à sexta às 7h, sábado às 6h e domingo às 10h). Mas tem missas tradicionais em outros horários também. No site do Mosteiro tem uma visita virtual para que você tenha uma ideia de como é belíssimo: http://mosteiro.org.br/visita-virtual/. Ah! Durante o período natalino, o Mosteiro fica lindo com as projeções!!!

Igreja do Mosteiro de São Bento (ou Basílica Abacial de Nossa Senhora da Assunção)

Brunch na Mosteiro de São Bento

Tenho certeza que você se encantou como “Brunch na Catedral da Sé”, não é verdade? Então, tenho mais uma novidade pra você: O Mosteiro de São Bento também  realiza o “Brunch no Mosteiro”,  que acontece geralmente no último domingo do mês e começa com a Missa das 10h em canto gregoriano (emocionante), segue para o “Brunch” no refeitório e depois para um Tour Guiado, visitando a Igreja, algumas dependências do Mosteiro e a Capela.

Missa com Canto Gregoriano

Após a missa, seguimos para o refeitório que é bem amplo e fomos recepcionados com um coquetel! O responsável pelas delícias do Brunch no Mosteiro foi o Buffet Rixô Gastronomia (www.rixogastronomia.com.br) e a organização do evento ficou por conta da Múltipla Eventos e Comunicação. O cardápio era bem variado e tinha muitas opções vegetarianas também! E como sou uma “formiguinha”, adorei as sobremesas…

Um Brinde aos Presentes da Vida!!!
Brunch no Mosteiro

O Brunch no Mosteiro de São Bento  é um evento abençoado em todos os sentidos, inclusive nos dando a possibilidade de fazer novas amizades, colocando pessoas muito especiais em nosso caminho que parece que já nos conhecíamos há tempos, como a Maria Alice e a Valéria!!!

Almoço entre Amigas!!!

Depois desse almoço maravilhoso, seguimos para o Tour Guiado no Mosteiro de São Bento! O anfitrião que nos conduziu nessa visita foi o monge Dom João Baptista (@djoaobaptista), uma pessoa maravilhosa e de uma sabedoria, carisma e uma luz que cativa a todos!

No nosso Tour Guiado, passamos pelo Teatro do Mosteiro, que foi fundado em 1903, seguimos pela Loja/ Padaria, que tem as deliciosas iguarias preparadas pelos monges como: pães, bolos, doces, etc e também os souvenirs e livros. Até chegarmos na Igreja,  que na verdade é uma Basílica e se chama Basílica Abacial de Nossa Senhora da Assunção. Não é a Igreja de São Bento como muitos pensam, embora ele seja homenageado com sua vida retratada no teto, vitrais e imagens. A devoção à São Bento se deve por ele ter sido um monge beneditino e servir de inspiração e modelo de vida para os monges do Mosteiro. E em uma das pinturas do teto estão São Bento e sua Irmã Santa Escolástica, que foi a primeira monja. Assim como ela, muitas mulheres são homenageadas por toda a Basílica.

Teto retratando a Vida de São Bento

Dom João Baptista também nos contou detalhes sobre o Altar, que é feito de pedra vulcânica, o Baldaquino, que é de mármore carrara, a presença da Umbela e do  Tintinábulo simbolizando que trata-se de uma Basílica, as Seis Velas representando a humanidade e a Cruz, o Cristo entre o povo.Falou também sobre a Imagem do Cristo que pesa mais de 7 toneladas e está acompanhado de Nossa Senhora e São João, além de Adão e Eva ajoelhados pedindo perdão.

Altar da Basílica (Igreja do Mosteiro)
Cristo no Altar

Outros detalhes apontados foram sobre a presença dos Apóstolos nas Colunas,  de São Pedro e São Paulo no Altar, o significado dos pisos e o Órgão, que é alemão, do ano de 1954, tem mais de seis mil tubos e está em pleno funcionamento, tocando nas missas das 10h de domingo e também em festividades. Além de ressaltar que a Basílica é um óasis de paz no Centro tão agitado de São Paulo e no deserto da vida (e as palmeiras nas pinturas reforçam essa ideia).

Apóstolos nas Colunas
Órgão da Basílica

Depois de toda essa aula na Basílica, nosso  Tour Guiado seguiu para conhecermos as outras dependências do Mosteiro, como o  Parlatório (local onde os monges recebem as visitas quando necessário), a Entrada da Clausura (onde estão os monges que vivem reclusos), o Hall, repleto de simbologia (como as figuras representando o zodíaco, o verde representando a água, o tempo e a humanidade, o Teto representando Deus e o Lustre figurando como Jesus, que é a luz que une a humanidade à Deus). Fiquei realmente impressionada com a quantidade e qualidade das informações que recebemos nesse passeio.

Outro lugar muito interessante que visitamos foi a  Sala de Reunião, onde o Abade atual Dom Mathias Tolentino Braga (que é o “pai espiritual”, o gestor do Mosteiro) realiza os atendimentos e foi na sacada dessa sala que o Papa Bento XVI aparecia para os fiéis quando da sua visita ao Brasil. Também merecem destaque o Trono que o papa usou e a foto de Dom Miguel Kruse, que realizou importantes obras no Mosteiro e na cidade, como a fundação do Hospital Santa Catarina na Avenida Paulista, entre outros.

Varanda onde o Papa apareceu
Trono do Papa e Dom Miguel Kruse

Voltando a falar de símbolos, no teto da  Sala de Reunião temos a Torre representando a firmeza,o Sol: a luz dos monges para o Ocidente e o Leão: Cristo que é também conhecido como o Leão da Tribo de Judá.

Continuando nosso  Tour Guiado pelo  Mosteiro de São Bento, passamos pelo Colégio e pela Faculdade de São Bento, e seguimos até o terceiro andar que tem uma Pintura lindíssima de Nossa Senhora entregando as Regras a São Bento, tendo ao lado São José de Anchieta e abaixo o Mosteiro do Monte de Cassino, o Mosteiro de São Bento quando da sua primeira construção e a Catedral da Sé.

Nossa Senhora entregando as Regras para São Bento
Com a Pintura e os Detalhes

E pra fechar com chave de ouro nosso Tour Guiado,  fomos visitar a  Capela Privada  do terceiro andar, dedicada aos Patriarcas,  que é belíssima, tem vitrais dedicados à Nossa Senhora, a Jesus Cristo, ao Anjo, à Medalha de São Bento (que de um lado tem a imagem do Santo e do outro a Cruz, e essa traz as iniciais da Oração de São Bento em Latim e deve ser usada com essa parte para fora, para exorcizar todo o mal). Também imagens de santos, Pinturas que representam a história do  Filho Pródigo, além do Teto representando o céu.

Realmente foi um passeio abençoado!!! Muita gratidão a Deus por momentos tão únicos vividos aqui.!!!! Se você gostou e quer saber mais detalhes para participar do próximo “Brunch no Mosteiro”, é só dar uma conferida no site: http://mosteiro.org.br/brunch/.

Basílica de Nossa Senhora da Assunção

Edifício Martinelli

Saindo da Igreja do Mosteiro, você pode pegar a Rua São Bento, caminhar até o número 405 (esquina com a Avenida São João) e visitar o Edifício Martinelli (a entrada para a visita é pela porta da Avenida São João), que foi o primeiro arranha-céu da cidade de São Paulo e cuja construção começou em 1924 por iniciativa do imigrante italiano Giuseppe Martinelli, que queria construir o prédio mais alto da América Latina. Começando com 12 andares e aumentando gradativamente até chegar ao 32° andar (onde ficava sua casa).

Durante a construção do Edifício Martinelli houve muita polêmica, medo que desabasse, troca de arquitetos (primeiro foi William Fillinger, que desistiu do projeto, passando a assumir o sobrinho do Giuseppe: Ítalo Martinelli – essa troca é perceptível pelo design diferenciado a partir do 24°andar), entre outros entraves, mas o importante é que o prédio foi construído e teve sua ascensão até a década de 1950 (mesmo depois de ter passado por outras administrações com a falência de Giuseppe). Começou a entrar em decadência na década de 60, cogitando-se até sua demolição nos anos 70. Mas felizmente o prefeito da época não deixou e o prédio foi totalmente restaurado em 1979. Atualmente, 70% do imóvel pertence à prefeitura e o restante é área comercial. A arquitetura do Martinelli é belíssima, tanto na parte externa, quanto na interna, começando pelos lustres da entrada, passando pelas escadas em mármore, até o piso em ladrilho italiano do terraço, entre vários outros detalhes.

É possível fazer visitas guiadas ao Mirante do 26° andar do Edifício Martinelli que fica a 105m de altura e permite uma vista linda da cidade, inclusive do prédio do Santander (que vou falar daqui a pouco). Vale lembrar que esse terraço do 26° andar pode ser locado para festas, casamentos, entre outros eventos, e até serviu de cenário para gravações de algumas cenas do restaurante nos primeiros capítulos da novela das 6 “Órfãos da Terra”. As visitas são gratuitas, duram cerca de 40 minutos e acontecem diariamente às 11h, 12h, 13h, 14h30, 15h30, 16h30, 17h30 e 18h30 e precisa chegar com 30 minutos de antecedência. Para saber mais informações é só dar uma conferida no site: www.prediomartinelli.com.br. Ah! Quem me acompanhou nessa visita e tirou fotos lindas foi meu amigo Lucas (@lucascardosoph), que também se encantou com esse passeio! Tenho certeza que você também vai gostar!!!

Um lugar mais lindo que o outro!!!

Farol Santander

Falando em vista linda, outro lugar que super recomendo que você conheça é o Farol Santander, também chamado de Edifício Altino Arantes e conhecido como Banespão (antigo prédio do Banespa), que é um dos cartões postais de São Paulo. Sua construção iniciou em 1939, mas a inauguração só aconteceu em 1947 por Ademar de Barros, e ele foi inspirado no Empire State Building de Nova York. E por mais de 10 anos foi o prédio mais alto de São Paulo (perdendo o posto somente em 1960 para o Mirante do Vale), contando com 35 andares e mais de 160m de altura e em 2014 foi tombado pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico (Condephaat). No ano 2000 passou para o Grupo Santander, que o reformou em 2017 e o reinaugurou em 2018 com o nome atual de Farol Santander.

O prédio tem um Mirante lindo no 26° andar (que é por onde recomendo que você comece a visita e depois vá descendo). Postei esse vídeo no nosso canal do youtube pra você ter uma ideia da beleza dessa vista: https://www.youtube.com/watch?v=FUGdr8d6iyg. E olha só que lindo o Edifício Martinelli visto do Farol Santander. Ah! Aproveite também para dar uma paradinha no Café Suplicy que fica nesse andar e deguste a bebida apreciando a paisagem.

Pausa pro café….

O Farol Santander também abriga uma Pista de Skate no 21° andar, o Bar do Cofre no seu subsolo, um loft para quem quiser se hospedar lá, exposições fixas com mobiliário do banco, sala de reuniões (que você já deve conhecer do reality show “O Aprendiz”) e quadros de todos presidentes do banco, além de exposições temporárias no 22° e 23° andar, como a exposição da Hebe, do Adoniran Barbosa, Infinito, entre outras. O Farol fica na Rua João Bricola, 24 e funciona de terça a domingo das 9h às 20h. Os ingressos custam R$25 (inteira), R$12,50 (meia) e R$22,50 (para Clientes Santander). Mais informações estão no site: www.farolsantander.com.br.

Exposição “Hebe Eterna”
E a famosa “Sala de Reuniões”

E o Farol Santander está com uma exposição maravilhosa: “Riscos e Rabiscos: Lendo a Cidade”, que traz uma abordagem da cidade através das letras e algarismos espalhados por ela… Fiz uma postagem especial para te mostrar mais detalhes, é só clicar no link e dar uma olhadinha lá e depois voltar pra cá, para continuarmos nossa caminhada: https://cadaviagemumabagagem.com/no-universo-das-letras-da-exposicao-riscos-e-rabiscos-lendo-a-cidade/

Outra coisa que também chama atenção no Farol Santander é o seu lustre, que foi instalado em 1988, mede 3m de altura, pesa 1,5 tonelada e conta com 150 lâmpadas e 10 mil acessórios de cristal.

Ah! Uma última dica sobre o Farol Santander: se você puder ir do meio da tarde para o final é legal porque você pega a vista durante o dia e durante a noite (comece sua visita pelo mirante e passe por ele novamente antes de ir embora). Depois me conte nos comentários como foi essa experiência.

Mosteiro de São Bento visto do Farol Santander
Comparativos das vistas durante o dia e a noite…
Do Edifício Martinelli

Prédio da Prefeitura

Outro passeio bem legal de se fazer pelo Centro é ao Jardim da Cobertura do Prédio da Prefeitura. A sede da Prefeitura de São Paulo fica no Edifício Matarazzo (Viaduto do Chá, 15), que foi projetado por Severo e Vilares, sob a supervisão de Marcelo Piacentini (“arquiteto do Mussolini”), em estilo neoclássico (muito utilizado nas construções italianas da década de 1930), com uma altura de 46m e com 14 andares. Foi sede das indústrias da Família Matarazzo até 1972, quando passou a pertencer ao grupo Audi, até se tornar sede da Prefeitura em 2004.

A visita  ao  Prédio da Prefeitura é gratuita, guiada (com duração de aproximadamente uma hora) e acontece de segunda à sábado às 10h30, 14h30 e 16h30, devendo chegar com uma hora de antecedência). O tour começa na parte externa com explanações sobre o prédio, depois seguimos para o hall de entrada, com destaque para o Mapa do Brasil de 1939 e para o revestimento das paredes em mármore travertino.

Hall da Prefeitura de São Paulo

Então nos dirigimos para a cobertura para conhecer o lindo Jardim da Prefeitura (ou Jardim Walter Galera) que conta com mais de 400 espécies de fauna de várias partes do mundo e três Mirantes que nos proporcionam vistas maravilhosas de vários cartões-postais da cidade. Mais detalhes sobre essa visita estão no site: www.capital.sp.gov.br/noticia/conheca-a-sede-da-prefeitura-de-sao-paulo. Ter a oportunidade de apreciar todo esse verde bem no centro de São Paulo é um presente para todos nós!!!

O Lindo Jardim da Cobertura da Prefeitura
Mirante da Prefeitura
Detalhe da Catedral da Sé entre Flores vista da Prefeitura

Shopping Light

Nessa mesma calçada, na outra ponta do Viaduto do Chá (esquina com a Rua Coronel Xavier de Toledo, 23) fica o Shopping Light (com funcionamento de segunda à sábado das 10h às 22h e aos domingos e feriados das 12h às 18h), que ocupa o edifício histórico Alexandre Mackenzie, inaugurado em 1929 para sediar a Empresa Light e depois de reformado se tornou shopping em 1999.

Shopping Light

Além de poder contemplar a beleza arquitetônica do Shopping Light, você pode aproveitar toda a comodidade de lojas e serviços que um shopping tem a oferecer e ainda dar uma paradinha para fazer uma massagem nessas cadeiras para relaxar e continuar nossa caminhada pelo centro. Para saber mais sobre o shopping e suas lojas é só dar uma olhadinha no site: www.shoppinglight.com.br.

Shopping Light

Theatro Municipal de São Paulo

Do outro lado da rua, na Praça Ramos de Azevedo s/n°, fica um dos mais belos cartões-postais da cidade: o Theatro Municipal de São Paulo, que foi inaugurado em 12 de setembro de 1911 como Casa de Ópera, para atender aos anseios da elite cafeeira. Sua construção em estilo eclético (combinando Renascentista, Barroco e Art Noveau) foi inspirada na Ópera de Paris, demorou oito anos para ser concluída e foi feita em conjunto por dois italianos: Claudio Rossi e Domiziano Rossi e pelo brasileiro Ramos de Azevedo. Sua inauguração foi tão fervorosa que gerou o primeiro congestionamento de São Paulo porque todos queriam estar ali nesse momento. O prédio foi tombado como Patrimônio Histórico do Estado em 1981 pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio, Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico).

A Bela Arquitetura do Theatro Municipal de São Paulo
Theatro Municipal de São Paulo

O Theatro Municipal de São Paulo já foi palco de importantes obras líricas e teatrais, além de sediar a Semana de Arte Moderna de 1922, entre outros eventos. Sua arquitetura realmente impressiona!!! Sua fachada é belíssima, com destaque para os Atlantis ou Atlas que seguram o peso do mundo nas costas. Uma curiosidade é que eles também estão presentes em esculturas de mármore na Pinacoteca do Estado – que também foi projetada por Ramos de Azevedo. Vou mostrar a foto de ambos pra você ver.

O Hall de Entrada, é outro encanto! A Escadaria Nobre é feita em mármore italiano e já veio pronta, os Mosaicos  (Mar Reno e As Valquírias)são em pedra murano e entre eles fica a porta do Salão Nobre (por onde as pessoas que estavam nesse salão apareciam para serem vistas) e as Estátuas tem uma beleza ímpar.

Na Escadaria do Theatro Municipal
Mosaicos e Porta do Salão Nobre
Mar Reno e As Valquírias
Detalhe das Estátuas do Hall

A visita continua agora para conhecermos a Sala de Espetáculos do Theatro Municipal, que é lindíssima!!! Ao lado do palco fica um Órgão de 1969, com 5.000 tubos, mas que não é tocado desde 2007, e acima do palco tem a imagem de Carlos Gomes, autor da ópera “O Guarani” e patrono do teatro.

Sala de Espetáculos do Theatro Municipal

Além da plateia e dos camarotes, também chama a atenção na Sala de Espetáculos do Theatro Municipal, o Lustre alemão que pesa 1 tonelada e a Pintura no teto que representa o fio da vida! Se você tiver a oportunidade de assistir a um espetáculo aqui, venha porque vale muito a pena!!

Frisas da Sala de Espetáculo
Lustre e Teto da Sala de Espetáculos do Municipal

Visitamos também o Salão Nobre do Theatro Municipal, que foi inspirado na Sala de Espelhos do Palácio de Versalhes (falei sobre essa sala na minha postagem sobre a França, se você ainda não viu, dê uma olhadinha lá e veja como realmente são parecidas: https://cadaviagemumabagagem.com/os-encantos-da-franca/.

Salão Nobre do Theatro Municipal

As Pinturas do Salão Nobre foram feitas diretamente no teto pelo artista Oscar Pereira, representando o Teatro Grego no centro e as Musas nas laterais. Os Espelhos são de cristais belga, por isso não apresentam manchas apesar do tempo e o Mármore colorido das paredes vem do interior de São Paulo, da cidade de Ituparanga. Realmente essa sala faz juz ao nome de “Salão Nobre”.

Pinturas do Teto do Salão Nobre
Detalhes do Teto e Paredes do Salão Nobre

Essas visitas guiadas são gratuitas e acontecem de terça a sexta às 11h, 13h, 15h, 16h e 17h, duram aproximadamente 1h30 e tem que chegar com uma hora de antecedência para se inscrever na bilheteria do teatro. E para saber mais informações e detalhes da programação é só olhar o site: www.theatromunicipal.org.br. É uma visita que vale muito a pena!!! Ah! Lembrando que o Theatro Municipal também tem o Restaurante Santinho no térreo e o Bar dos Arcos  que fica no espaço subterrâneo do prédio, no Salão dos Arcos.

Theatro Municipal visto do Mirante da Prefeitura

A visita guiada ao Theatro Municipal também inclui o passeio até a Praça das Artes, que foi inaugurada em 2012 e é uma extensão das atividades do teatro, sediando a Escola de Dança e a Escola Municipal de Música de São Paulo e os grupos artísticos da Fundação Theatro Municipal, proporcionando aos artistas um espaço adequado para ensaios. Além disso, a Praça recebe exposições temporárias como “O Mundo Segundo Mafalda”, que foi um sucesso em 2015 (eu tive a oportunidade de ir e adorei).

Jardim da Praça das Artes

Sesc 24 de Maio

Saindo dali, em frente à lateral direita do Theatro Municipal, tem a Rua 24 de Maio, que em seu número 109 abriga o Sesc 24 de Maio, que foi inaugurado em 2017 como mais uma forma de ajudar a revitalização do Centro de São Paulo, trazendo arte, cultura e lazer. O projeto foi de Paulo Mendes da Rocha, que reaproveitou o antigo prédio da Mesbla (famosa loja de departamento) e o modernizou, chamando a atenção de quem passa na rua.

O prédio conta com os serviços do Sesc e salas de exposição. Quando visitei a exposição que estava em cartaz era a de Lasar Segall e estava impecável. Para saber informações atualizadas sobre as exposições e toda a programação do Sesc 24 de Maio é só dar uma olhadinha no site: www.sescsp.org.br/unidades/36_24+dE+MAIO/+/uba=prpgramacao#/hdata=id%3D36

Exposição Lasar Segall

Além disso, o Sesc 24 de Maio tem teatro, piscina na cobertura (com mirante), café, restaurante e um espelho d’água no 11° andar. O funcionamento é de terça a sábado das 9h às 21h e aos domingos das 9h às 18h e é fechado às segundas feiras. A entrada ao complexo é gratuita, mas é necessário comprar ingressos para o teatro e para os shows. Aproveite para dar uma passadinha por lá, tomar um café e apreciar a vista com o lindo espelho d’água do 11° andar!

No Mirante e Piscina da Cobertura do Sesc 24 de Maio

Praça da República

Continuando caminhando pela Rua 24 de Maio, chegamos até a Avenida Ipiranga e já avistamos a Praça da República, que é um refúgio verde no centro da cidade. É conhecida por sua tradicional Feirinha de Artesanato aos domingos, mas durante a semana também é possível encontrar algumas barraquinhas de artesanato para levar de lembrança da cidade.

Edifício Copan

Seguindo pela Avenida Ipiranga (no sentido da Avenida Consolação), do lado esquerdo, no número 200, está o icônico Edifício Copan, um marco da arquitetura moderna brasileira, que com seu design curvilíneo chama a atenção de quem passa pela rua. Ah! Sua fachada está em reforma, mas dá pra perceber como é bonito e diferente.

Edifício Copan

O Copan foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer na década de 50, com a execução de Carlos Alberto Cerqueira Lemos. Numa época em que São Paulo estava em expansão e crescimento econômico e a obra foi encomendada para a comemoração do 4° Centenário da Cidade (1954), passou por alguns contratempos e a inauguração só se deu em 1966, unindo centros comerciais, residências e lazer no mesmo espaço. O prédio de 115m de altura conta com 32 andares, 1160 apartamentos divididos em seis blocos e mais de 70 estabelecimentos comerciais, entre eles o Bar da Dona Onça (que vou falar  mais sobre ele daqui a pouco). E o mais legal é que agora tem visita guiada e gratuita para apreciar a vista do seu terraço no 32° andar. Essas visitas acontecem de segunda a sexta às 10h30 e às 15h30 e duram aproximadamente 20 minutos e precisa chegar de mais hora a quinze minutos de antecedência. A vista é belíssima!!!

Igreja e Avenida da Consolação vistas do Copan

Além das fotos, postei um vídeo no nosso canal do youtube pra te mostrar como é a sensação de estar no alto do Copan: https://www.youtube.com/watch?v=2OYpTPk6DG0&feature=youtu.be . Ele passou por uma fase de decadência na década de 1970, mas conseguiu se reerguer em meados da década de 80 e atualmente é moradia de pessoas de várias classes sociais e diversas profissões. Mais detalhes sobre o Copan estão no site: www.copansp.com.br.

Farol Santander, Catedral da Sé e Edifício Itália vistos do Copan

Depois dessa vista linda, chegou a hora de repor as energias, seja com um café, um lanche ou uma refeição. Não importa o que tenha em mente, mas com certeza você vai encontrar algo que te agrade nas diversas opções gastronômicas do térreo do Copan.

Térreo do Copan

Entre as opções gastrônomica do Copan, está o Bar da Dona Onça (como mencionei acima), que se destaca pela sua decoração temática animal print, com a famosa “Onça” por várias partes do mundo e também pelo cardápio comandado pela Chef Janaína Rueda.

Fachada do Bar da Dona Onça
A Onça pelo Mundo

O Bar da Dona Onça é restaurante também e funciona de segunda a quarta das 12h às 23h30, de quinta a sábado das 12h às 0h30 e aos domingos das 12h às 17h. Vale a pena dar uma passadinha para conhecer! Eu não perdi a oportunidade  e fui a caráter para combinar com o ambiente…rsrs

Rua Avanhandava

Voltando pela Avenida Ipiranga (sentido Praça da República), virado à direita na Avenida São Luís e depois virando à direita na Rua Martins Fontes, seguindo uns 400m por essa rua, à esquerda vai estar a famosa Rua Avanhandava, que foi revitalizada em 2007 com um paisagismo sustentável e acessível.

A Rua Avanhandava é um charme com suas luzinhas, canteiros e vasos de plantas espalhados por toda sua extensão, suas fontes inspiradas na Traditional Fontana Italiana, o Mural do Kobra com a imagem de Ray Charles e o Piccolo Teatro, que apresenta vários espetáculos gratuitos.

A Rua Avanhandava também é conhecida pelos vários restaurantes da Família Mancini espalhados por ela, como o Famiglia Mancini, o Madrepeola, entre outros e o Migalhas Sabores da Boca da Rua, que tem um lanche vegetariano maravilhoso!

Hora do Lanchinho no Migalhas

Outro atrativo da Rua Avanhandava é a Vaca Dourada “Generosidade”, que na verdade é um cofre, cujos donativos vão para a Fraternidade Irmã Clara que cuida de crianças com paralisia cerebral. E quem teve a ideia desse gesto tão bonito foi o Valter Mancini, que é o proprietário dos restaurantes! Com certeza vale a pena dar uma passadinha e se encantar por essa rua. Mais detalhes estão no site: www.famigliamancini.com.br/rua-avanhandava/

A Vaca Generosidade

Edifício Itália

Fazendo o caminho de volta, pela Rua Martins Fontes e pela Rua São Luís, na esquina dessa com a Avenida Ipiranga n° 344, vamos fechar com chave do ouro esse roteiro pelo Centro Histórico de São Paulo, vamos visitar o Edifício Itália, que foi inaugurado em 1965 e  é considerado o segundo maior prédio de São Paulo, com 165m de altura, dividido em 46 andares.

O Edifício Itália abriga o Teatro Itália (no subsolo), a sede do Clube “Circolo Italiano” (nos dois primeiros andares), o Restaurante Circolo (no 1° andar) e vários outros estabelecimentos comerciais ao longo de seus andares. Para saber mais detalhes de tudo que tem no prédio é só dar uma olhadinha no site: http://www.edificioitalia.com.br/ .

Teatro Itália e seu hall

Também se encontra no Edifício Itália, o famoso Terraço Itália, que fica no 41° andar e nos proporciona uma vista encantadora da cidade, que à noite tem um charme todo especial.

As Luzes de São Paulo vistas do Terraço Itália
No Terraço Itália

Você pode optar por ficar no bar ou no restaurante do Terraço Itália . Os valores dos pratos não são baratos, mas vale pela experiência (a entrada para visitar o Terraço custa R$ 35 e o restante você paga pelo que consumir). Além de ser um lugar super especial para um jantar romântico ou para uma comemoração. O Bar do Terraço tem música ao vivo todos os dias, fomos numa sexta-feira e quem estava nos presenteando com seu show era On Jazz Trio. Para saber mais informações sobre o Terraço e a programação musical é só dar uma conferida no site: http://www.terracoitalia.com.br/ .

Vista do Bar do Terraço Itália
Drinks no Terraço

E com essa foto linda da cidade vista do Terraço Itália, terminamos nosso passeio. Vale lembrar que é sempre bom ficar atento aos seus pertences durante o passeio, porque como todo centro urbano, o de São Paulo também oferece seus riscos. Mas tomando cuidado, dá pra aproveitar bastante. Espero que tenha gostado da nossa caminhada!!! E te espero na próxima postagem!!! Até lá!!!

A Linda Noite de São Paulo