Trilhando o Caminho das Hortas e Capelas

Você já chegou bem pertinho de uma colmeia de abelha sem medo de ser picado? Ou então já parou para pensar como é cultivada a salada ou o tomate que chega a sua mesa e se eles tem agrotóxicos ou não? Já imaginou colher uma laranja no pé e tomar seu suco bem fresquinho logo em seguida?
Para responder a todas essas perguntas e curiosidades, te convido a trilhar comigo o Caminho das Hortas e Capelas, que faz parte do turismo rural desenvolvido pela cidade de Araçoiaba da Serra, um município que fica a apenas 123km da capital de São Paulo (menos de 2 horas de viagem, ou seja, dá pra se hospedar lá ou fazer um bate e volta). Preparado pra caminhada?

Caminho das Hortas e Capelas
Roteiro Completo do Caminho das Hortas e Capelas
Caminho das Hortas e Capelas
Nossa monitora Vanessa

Para fazer o roteiro, basta ligar no Sindicato Rural e agendar a data nos números: (15) 3281-3149 / (15) 99630-2861. Mais informações estão no site: http://aracoiaba.sp.gov.br/caminho-das-hortas-e-capelas/ . Você pode escolher entre fazer a visitação com ou sem monitoria, eu preferi com monitoria para obter mais informações e dicas do passeio. Nossa monitora foi a Vanessa (um amor de pessoa e com uma paciência incrível para aguentar meu pai e eu falando sem parar…).

O passeio começou às 9h da manhã no Portal da Cidade, encontramos a Vanessa e ela foi conosco no carro passando todas as informações da cidade (assunto de outro post sobre os pontos turísticos de Araçoiaba da Serra). Começamos o roteiro pelo Sítio do Bocão, onde fomos muito bem recebidos pela Shirley e pelo Oswaldo. Nosso tour começou conhecendo a colmeia de abelhas da espécie mandaçaia (sem ferrão), e como estamos no inverno, elas são alimentadas com um suplemento feito de chá de erva cidreira com açúcar  (notem que tem uns pauzinhos nos copos para que elas não caiam e não se afoguem – adorei a ideia!).

Abelha Mandaçaia Sitio do Bocão
Alimentando as abelhinhas no Sitio do Bocão
Abelhas Mandaçaia Sítio do Bocão
Abelhas Mandaçaia

 

 

 

 

 

Pitaia
Cultivo de Pitaia

Em seguida fomos visitar a plantação de pitaia, que é uma fruta exótica também conhecida como “fruta do dragão” por seu aspecto rústico. Atualmente está na moda pelos grandes benefícios que traz para a saúde, por ser rica em fibras alimentares, vitamina C e ferro e estão em estudo suas propriedades na prevenção do câncer (http://www.conquistesuavida.com.br/noticia/pitaia-a-fruta-da-moda-conheca-mais-sobre-os-seus-beneficios-para-a-saude_a5844/1 ). Tivemos a oportunidade de conhecer como é o sistema de irrigação por gotejamento para que a planta tenha sempre água na medida certa. Ainda não está na época da florada, mas deu pra ter uma ideia de como será bonito de ver quando estiver produzindo. Já fica a dica para voltar lá na época da colheita.

Também visitamos a horta orgânica, o cultivo de morangos, a árvore de macadâmia, a nascente do riacho que vai desaguar no lago e finalizamos o tour com um excelente café da manhã preparado com muito carinho pela Shirley. Aquele cheirinho de café invadiu a casa, o bolo de fubá cremoso estava divino e as geleias, uma melhor que a outra (o bom é que você pode comprar as geleias para se deliciar em casa e também o uísque caiçara, feito de pinga com cataia – que segundo a lenda tem propriedades afrodisíacas). Vale lembrar que o café colonial deve ser agendado e o Sítio do Bocão também pode ser locado para eventos.

Morangos
Cultivo de Morangos
Geleias e Uísque
Gulodices do Sítio do Bocão

 

 

 

 

 

 

Pesqueiro Oásis
Lago do Pesqueiro
Laranja Pera Valência
Mãos à obra na colheita

Nosso passeio continuou em direção à segunda parada: o Pesqueiro Oásis, que oferece ao visitante a possibilidade do pesque e pague tradicional e a pesca esportiva (na qual os peixes são devolvidos ao lago). Não participamos dessa atividade, nosso foco foi conhecer o Pomar de Laranja Pera Valencia (uma mistura de sabores de laranja e limão), que estava carregado de frutas no ponto de colheita. Aqui também funciona o esquema do colha e pague e quem nos ajudou nessa missão divertidíssima foi o Gustavo (do Sítio Panorama – outro ponto do roteiro que visitaremos da próxima vez porque hoje estava locado para um evento) e a Dona Nair, proprietária do pesqueiro, que nos acolheu com todo carinho e atenção. Depois do “trabalho” fomos experimentar o suco da laranja que colhemos. Estava maravilhoso!!! A pura polpa fruta!!!

Nesse passeio também pudemos conhecer a Fany, a idealizadora do projeto colha e pague tanto aqui quanto na plantação de caqui em Piedade (ficou faltando tirar fotos com ela, mas fica para uma próxima oportunidade), o importante é ressaltar esse belíssimo trabalho de incentivo à aproximação entre o produtor e o consumidor e acima de tudo o respeito à natureza!

O Pesqueiro Oásis  também oferece almoço e porções mediante agendamento, que foram muito bem recomendados, só não chegamos a provar porque tínhamos acabado de tomar café, mas já é uma deixa para a próxima visita.

Capela São Benedito
Família reunida na Capela São Benedito

Nossa terceira parada foi a visita à Capela São Benedito, que a princípio ficava em outra propriedade, cujos donos não eram católicos e não queriam mais que a capela ficasse lá, então a avó do atual proprietário cedeu o espaço para que a capela fosse construída onde está agora. Como isso já faz alguns anos, a construção foi se deteriorando com o tempo, mas foi reformada recentemente e no dia do nosso passeio às 16h haveria uma procissão e missa em homenagem a São Pedro. Não conseguimos esperar porque ainda tínhamos outros lugares para visitar. De qualquer forma, já ficou o convite para voltarmos de uma próxima vez para acompanharmos a missa.

Capela São Benedito
Interior da Capela

Continuamos nosso passeio para a quarta parada: o Sítio Nakazone, onde tivemos uma aula sobre cultivo sustentável, orgânico e principalmente com amor que nos foi oferecida pelo Sr. Seiko! Visitamos sua horta orgânica, o depósito de substratos que servem de adubo e pudemos perceber como tudo pode ser reaproveitado na natureza. O sítio está sendo preparado para se tornar uma pousada para que os visitantes tenham mais tempo de conviver com as riquezas do campo, mas já recebe eventos e numa certa ocasião, o Sr. Seiko nos contou que arrendou uma parte do terreno para o cultivo de girassóis: o plantio foi feito de manhã e no mesmo dia choveu torrencialmente, todos ficaram muito tristes porque perderiam todo o trabalho. Porém, as sementes resistiram e 50% da plantação conseguiu florescer e com uma qualidade e beleza tão excepcionais que só pode ter sido um presente divino!

Sítio Nakazone
Bate-papo sobre plantio com amor!
 Sítio Nakazone
Horta orgânica do Sítio Nakazone

 

 

 

 

 

Irmãs Artesãs
As obras das irmãs Margareth e Fanny!!!

No Sítio Nakazone também tem um espaço para exposição de artesanato, onde nos encantamos com o belíssimo trabalho das irmãs artesãs: Margareth e Fanny, que fazem peças de bucha vegetal, palha de milho, folha de bananeira, entre outros materiais, sempre buscando o reaproveitamento, além de lindas peças de lã. Elas também expõem aos domingos na Feira do Lago de Araçoiaba. Me disseram que a Margareth faz salgados como ninguém (vou experimentar da próxima vez e depois te conto).

Firmes e fortes partimos rumo à quinta parada: o Sítio São José, no qual fomos recepcionados pelo Sr. Seishim, que nos mostrou suas hortas orgânicas, tanto a tradicional (em terra), quanto à hidropônica (cujo cultivo se dá na água). São belíssimas e também fazem parte do sistema colha e pague. Ele nos explicou um projeto que ainda está em desenvolvimento, mas quando ficar pronto será muito interessante: o clube da horta, onde a pessoa aluga um espaço e planta sua própria horta e eles cuidam durante a semana para que a pessoa possa voltar aos finais de semana para acompanhar o desenvolvimento e literalmente colher o que plantou.

Sítio São José
Horta Hidropônica
 Sítio São José
Horta Orgânica do Sítio São José

 

 

 

 

 

Tomates do Sítio São José
Estufas de Tomates
Sítio São José
Sala de Controle das Estufas

Outro diferencial do Sítio São José  é a plantação de tomate em estufa, mas não é uma estufa qualquer, trata-se de uma estufa totalmente tecnológica, onde todo o controle é feito digitalmente, através da central e o acesso à plantação também é controlado para garantir a esterilização e a proteção do cultivo, já que não são utilizados agrotóxicos. Só pelas fotos, você já consegue ter uma ideia da estrutura e certeza da qualidade do produto.

 

 

Capela de São José
Capela de São José

Também é nesse sítio que fica a Capela de São José, que foi construída há muito tempo como forma de agradecimento por uma benção alcançada.

É muito aconchegante e traz muita paz!

 

 

Falando em paz e religiosidade, nossa sexta parada foi na Igreja de Nossa Senhora Aparecida, que foi construída em 1932 e abriga a imagem de Nossa Senhora Aparecida dessa mesma época.  Mas todo primeiro domingo do mês de julho, a igreja recebe a imagem de Nossa Senhora Aparecida Peregrina, que vem em procissão da Igreja Matriz de Nossa Senhora das Dores, localizada no centro de Araçoiaba da Serra.

Capela de Nossa Senhora Aparecida
Capela de Nossa Senhora Aparecida
Capela de Nossa Senhora Aparecida
Interior da Capela

 

 

 

 

 

Sítio 4 Irmãos
Mamãe e filhotinha pastando…

Ao lado da igreja, fica nossa sétima e última parada: o Sítio 4 Irmãos, onde fomos muito bem recebidos pela Fernanda, que nos mostrou o sítio e seus animais (tinha uma égua com uma filhotinha que é a coisa mais fofa, além das cabras, burros, vacas, entre outros).

Também visitamos o local onde ela fabrica os queijos e depois fomos encaminhados para um espaço muito aconchegante onde acontece a degustação, acompanhados por aquele cafezinho… Eu já havia provado alguns quando visitei o 17º Salão São Paulo de Turismo e a conheci no stand de Araçoiaba da Serra. Mesmo assim, ainda me surpreendi com o sabor dos queijos e doces que provei (o melhor é que estão à venda e você pode levar essas delícias para saborear em casa). Queijo de São Paulo, mas com o toque e sabor do queijo de Minas Gerais, preparados com todo o carinho pela mineira Fernanda. Realmente foi um passeio para fechar com chave do ouro o roteiro!!!

Sítio 4 Irmãos
Pausa para Degustação dos Queijos
Sítio 4 Irmãos
Delícias do Sítio 4 Irmãos

 

 

 

 

 

Ainda ficaram faltando três paradas do Caminho das Hortas e Capelas, que estavam recebendo eventos nesse dia e por isso não podiam ser visitados: o Sítio Panorama, o Sítio Vista Alegre e o Sítio Dú Caipira.  Mas assim que possível vou terminar o percurso e contar como foi. E se você for antes, compartilhe aqui sua visita.

Espero que tenha gostado das dicas!!! E quando for, me conta como foi seu percurso nesse caminho!!!

 

 

 

 

No friozinho de Campos do Jordão

Nesse post quero te convidar para subir comigo a Serra da Mantiqueira e se encantar com as maravilhas de Campos do Jordão. Vamos?

Portal de Campos do Jordão
Bem-vindo a Campos do Jordão!!!

Essa cidade tão aconchegante é conhecida como Suíça Brasileira, principalmente pela sua arquitetura germânica e seu clima mais frio. Fica a cerca de 170 km de São Paulo (menos de 3 horas de viagem), dá pra ir de carro e também de ônibus (a empresa Pássaro Marrom faz esse trajeto saindo do Terminal Rodoviário Tietê).

Costumo brincar que meu amor por essa cidade é genético… Meus pais são apaixonados por Campos do Jordão (tanto que a lua de mel deles foi lá) e sempre que possível vamos aproveitar o inverno na montanha e comemorar o aniversário da minha mãe que é em julho (unindo o útil ao agradável). Por isso nas postagens você vai perceber a diferença no meu cabelo (vários invernos pra contar história). E apesar de ser considerada uma cidade romântica, ela agrada a todos (tem ótimas baladas para os solteiros), tenho certeza que você não vai se arrepender de conhecê-la.

Vila Capivari em Campos do Jordão
Encantos da Vila Capivari

Vamos começar nosso passeio pelo centro da cidade, que é a Vila Capivari, o point onde ficam as lojas, os shoppings (como o Aspen Mall), os barzinhos (como a tradicional Cervejaria Baden Baden) e diversos restaurantes (onde a sugestão é provar o delicioso fondue -nas opções de carne, queijo ou chocolate – meu preferido – e também a sequencia de fondue  se quiser experimentar todos). O mais legal é que o quarteirão é fechado para veículos, então as pessoas podem caminhar livremente e  apreciar os encantos da Vila.

Também na Vila Capivari se encontra a Igreja de São Benedito e várias chocolaterias (uma excelente opção para os chocolatras de plantão, que além dos chocolates em barra, podem provar o chocolate quente que é cremosíssimo e pode ser  incrementado com conhaque, menta ou qualquer outro licor a gosto do cliente).

Experiência Congelante Iceland
Iceland Campos do Jordão

E ali pertinho, dentro do Mercado São Bento, fica um bar de gelo. Isso mesmo: o Iceland (http://www.icelandcampos.com.br/um bar totalmente congelado, com temperatura entre -15°C e -20°C (ao adquirir o ingresso, você já recebe as luvas e roupa adequada para aguentar o frio). Lá dentro tudo é de gelo, desde as paredes, o trono, as esculturas, o escorregador, até o copo em que os drinks são servidos. Essa experiência congelante dura cerca de 15 minutos, mas vale muito a pena conhecer!

Iceland Campos do Jordão
Experiência Congelante

 

 

 

 

 

 

 

Se essa é sua primeira visita a Campos do Jordão, eu recomendo fazer o passeio do Trenzinho da Montanha  (na verdade não é um trem, mas sim uma jardineira), que realiza vários roteiros turísticos para que o visitante tenha uma visão geral da cidade, passando pela Ducha de Prata, por fábricas e lojas de chocolate como a Araucária ou Montanhês, pelo Lago do Itapeva, por lindas construções e propriedades de celebridades, enfim, vai dar uma ideia do que a cidade oferece para que o visitante possa voltar outra vez com mais calma no lugar que mais gostou.

Lago de Campos do Jordão
Pedalinho do Lago

Esse trenzinho sai do quarteirão de baixo da Vila Capivari. Ali fica o Parque Capivari, no qual se encontra o Lago (onde é possível passear de pedalinho) e o Teleférico (http://telefericocamposdojordao.com.br/ ) que dá acesso ao Morro do Elefante (onde tem um mirante do qual se pode ver toda a cidade). Mas não se preocupe, se você não quiser se aventurar no teleférico, pode chegar ao Morro do Elefante de carro (eu já fui das duas formas e recomendo).

Santo Antônio do Pinhal
Olha só que vista em Santo Antônio do Pinhal

Perto do teleférico, existem dois trens turísticos convencionais um que leva até perto do portal da cidade e outro que leva até Santo Antônio do Pinhal. É bom que dá pra verificar no site os horários certinhos de saída dos trens (http://www.efcj.sp.gov.br/). Santo Antônio do Pinhal  é uma cidade vizinha bem bacana (fica a apenas 20km de Campos do Jordão) e que você pode também ir de carro se preferir. Seus principais atrativos turísticos são os belos mirantes, a estação de trem, a Igreja Matriz, a feirinha de artesanato, entre outros.

Santo Antônio do Pinhal
Quem disse que eu não ando na linha?
Ducha de Prata Campos do Jordão
A beleza da Ducha de Prata

Voltando a falar de Campos do Jordão, eu te convido a conhecer a Ducha de Prata, um dos principais pontos turísticos da cidade, que é uma cachoeira e várias duchas formadas pelo represamento do Ribeirão das Perdizes para que os turistas pudessem chegar bem perto das águas (e até se molhar se quisessem). Além da estrutura das duchas, o complexo conta com arvorismo, tirolesa, lanchonetes e muitas lojinhas de malhas, artesanato e lembrancinhas. Esse excelente passeio é gratuito e fica a aproximadamente 1,8 km do centro de Campos do Jordão, dá pra ir de carro ou com o Trenzinho da Montanha (lembra que falei dele anteriormente?). Eu não canso de visitar a ducha, toda vez que vou a Campos do Jordão dou uma passadinha lá, queria mostrar as fotos de vários ângulos, mas como ainda temos muito o que conhecer nessa cidade maravilhosa, te deixo com essas amostras aqui, só para despertar sua vontade de ir pessoalmente.

Ducha de Prata Campos do Jordão
Chegando mais pertinho da Ducha de Prata
Tirolesa Ducha de Prata
Me acompanha no arvorismo e tirolesa?

 

 

 

 

 

 

 

Para quem busca um contato maior com a natureza, seja pra sentar embaixo de uma árvore e relaxar, ou então está animado para fazer trilhas e esportes radicais, ou prefere passear de trenzinho pela floresta e conhecer um pouco mais sobre a biodiversidade da Serra da Mantiqueira, a minha dica é visitar o Horto Florestal ou Parque Estadual de Campos do Jordão. Ele foi criado em 1941 e conta com 8,3 mil hectares de área preservada, principalmente de araucárias e coníferas. Se quiser dá pra passar o dia inteiro no horto porque tem muita coisa pra fazer, além do que já foi citado, dá pra visitar o lago das carpas, o viveiro de mudas, o orquidário, as lojas de artesanato, o restaurante, entre muitas outras opções. É cobrada uma taxa para entrar e o horário de funcionamento é das 09h às 17h com entrada até às 16h (de quinta a terça em época de baixa temporada e todos os dias em alta temporada e feriados). Mais informações, telefones e e-mail estão no site: http://www.saopaulo.sp.gov.br/conhecasp/parques-e-reservas-naturais/parque-estadual-campos-do-jordao/

Horto Florestal Campos do Jordão
Lago das Carpas no Horto Florestal
Horto Florestal Campos do Jordão
Será que chego no final? kkkk

Ali bem pertinho do Horto Florestal fica outra opção bem bacana de passeio: que tal caminhar entre as borboletas? É a experiência que você encontra visitando o Borboletário Flores que Voam, que inicia o tour passando um video sobre as fases da vida da borboleta para que você conheça um pouco mais sobre as lindas anfitriãs desse jardim. Para saber mais detalhes, é só dá uma olhadinha no site: http://floresquevoam.com.br/

Palácio Boa Vista ou Palácio do Governo
Palácio Boa Vista ou Palácio do Governo

Agora vamos para o outro lado da cidade, seguindo na direção do Portal, para fazer um tour cultural, vamos começar pelo Palácio Boa Vista ou Palácio do Governo, que é a residência oficial de inverno do governador do Estado de São Paulo, mas que desde 1970 se tornou museu, com um acervo riquíssimo de grandes nomes da arte como Tarsila do Amaral, Di Cavalcanti, Cândido Portinari, entre outros. Além de pinturas e esculturas, o acervo é composto por mobiliário, tapeçarias e peças decorativas e religiosas. A visitação é monitorada e dura cerca de uma hora. Mais detalhes estão no site: http://www.palacioboavista.com.br/

Outro museu que vale a pena conhecer é a Casa da Xilogravura, onde aprendemos muito sobre a técnica de xilogravura (onde se usa a matriz em madeira para fazer a impressão em papel) e os belíssimos trabalhos que ela proporciona. Dê uma olhadinha no site para saber mais informações sobre a visitação: http://www.casadaxilogravura.com.br/

Agora imagine passear por um belo jardim e se deparar com esculturas por todo o percurso. É exatamente isso que você encontra no Museu Felícia Leirner (https://www.museufelicialeirner.org.br/o-museu/institucional/sobre-o-museuque desde 1978 abriga cerca de 85 esculturas de bronze, granito e cimento branco doadas pela artista polonesa que morou em Campos do Jordão de 1965 até sua morte em 1996. E junto com o museu está o Auditório Claudio Santoro (https://www.museufelicialeirner.org.br/sobre-o-auditorio), que foi inaugurado em 1979 com capacidade para 814 pessoas na platéia e 48 no camarote e é onde acontece o Festival de Inverno de Campos do Jordão, o maior festival de música clássica da América Latina (a programação completa está no site: http://www.festivalcamposdojordao.art.br/index.php)

Museu Felicia Leirner
Passeando no Museu Felicia Leirner

Museu Felicia Leirner

 

 

 

 

 

 

Que tal agora dar uma pausa para um momento de reflexão e de conexão com Deus? Independentemente da sua religião, a visita ao Mosteiro São João, mais conhecido como Mosteiro das Monjas Beneditinas vai te proporcionar muita paz (http://www.mosteirosaojoao.org.br/).

Mosteiro das Monjas Beneditinas em Campos do Jordão
Lago do Mosteiro

Da entrada do portão até a Igreja você atravessa um belo jardim de plantas nativas, passa por um lago e pela gruta de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, também pode aproveitar para dar uma passadinha na lojinha do convento e comprar lembrancinhas ou se deliciar com os doces e pães artesanais (o pão de batata doce é maravilhoso).

Mosteiro São João
Mosteiro das Monjas Beneditinas

É bom lembrar que não é permitida a visitação aos alojamentos das monjas, o que não interfere em nada no aproveitamento do passeio. E para fechar com chave de ouro, vale fazer uma oração e pedir uma benção na Igreja.

 

Perto do mosteiro, fica o Parque das Cerejeiras, onde nos finais de semana de julho e agosto acontece a tradicional Festa da Cerejeira em Flor para celebrar a florada. A programação completa está detalhada no site (http://festadacerejeira.net.br/ ).

Festa da Cerejeira em Flor
Passeando pelas Cerejeiras

Você pode passar o dia todo se encantando com a beleza das cerejeiras, tirar lindas fotos e assistir a várias apresentações artísticas da cultura japonesa, como o taikô e também danças (no ano passado até aprendi uns passinhos). O evento ainda conta com uma feirinha e praça de alimentação com preços bem acessíveis, tanto para comida japonesa, quanto para as outras opções de pratos. O melhor de tudo é que além de ser um passeio bem bacana, ainda é beneficente, a renda da bilheteria e de todo o evento é destinada à manutenção do Recanto de Repouso para Idoso Sakura-Home.

Amantikir
As cores do Amantikir

Se você está gostando da brincadeira de tirar lindas fotos em Campos do Jordão, e está a procura de cenários deslumbrantes, tenho certeza que vai se apaixonar pelo Amantikir  (http://www.parqueamantikir.com.br/)É um espaço que possui uma riquíssima diversidade de espécies botânicas, distribuídas em vários jardins. No início do passeio você já recebe um mapa para te ajudar na localização. Eu recomendo ir com calçado confortável porque você vai caminhar bastante. Além de se impressionar com toda a beleza do lugar, você vai  ter a  oportunidade de aprender sobre os estilos de jardins de diversas partes do mundo, vai se divertir fazendo várias poses no quadro vivo (só tem a moldura e as fotos ficam por conta da sua criatividade) e também pode encarar o desafio de procurar a saída do labirinto.

Amantikir
Labirinto de Grama do Amantikir
Amantikir
Espelho D’água e Labirinto Clássico ao fundo

 

 

 

 

 

Quem ainda não cansou de passear e gosta de trilha e caminhada pode visitar a Pedra do Baú,  uma formação rochosa que chega a 1950m de altitude e fica em São Bento do Sapucaí (cidade vizinha de de Campos do Jordão) ou então passar o dia no  Parque Tarundu, que oferece várias opções de lazer, desde as mais leves e tranquilas, até as mais radicais. Você pode comprar o passaporte para usufruir de tudo ou ingressos avulsos para as atrações que mais te interessarem. Mais informações estão no site: http://tarundu.com.br/

Temperatura Campos do Jordão
Friozinho na volta da balada

Mas se você está pensando que Campos do Jordão só oferece opções de lazer diurnas, está totalmente enganado, tem muitas coisas pra fazer à noite também. A vida noturna de Campos é bem diversificada: vai desde curtir  um jantarzinho romântico com música ao vivo num ambiente aconchegante e aquecido ou passear pela Vila Capivari (que fica lotada), até tomar uma cerveja com os amigos na Baden Baden, fazendo o esquenta para curtir a night na balada (que eu adoro).

W Club Campos do Jordão
Curtindo o W Club

Existem muitas baladas em Campos, ali na Vila Capivari tem o  Café de La Music (https://pt-br.facebook.com/cafedelamusiquecamposoficial/) que toca mais house e eletrônica. Para quem gosta de música sertaneja, o Villa Mixhttp://villamixcj.com.br/) costuma abrir uma filial na temporada de inverno. E do outro lado da linha do trem, tem a Winter Lounge ( https://pt-br.facebook.com/WinterLounge) que reúne uma galera mais jovem com seu pop e eletrônico e a  W Club ( https://www.facebook.com/WClubCampos/) que também segue essa linha, sempre com ótimos DJs para animar a festa. Agora é só escolher o estilo que te agrada e se jogar porque a noite está só começando…

Se tem uma coisa que é bem tradicional em Campos do Jordão além do chocolate (relaxa que vou falar dele daqui a pouco) é a cerveja. Sempre que você vai lá, quem já foi pergunta se você provou da Baden, que é a cerveja artesanal mais famosa da cidade. Você pode realizar essa difícil tarefa de experimentar os vários tipos dessa cerveja ali mesmo no centrinho da Vila Capivari, na Cervejaria Baden Baden,  ou agendar  uma visitação à fábrica da cerveja Baden Baden.  É isso mesmo!!!! Você pode conhecer todo o processo de fabricação da cerveja. Para isso é só agendar a visita e o ingresso também dá direito a uma caneca como souvenir e degustação. Gostou, não é? Então dá uma olhadinha no site (https://www.badenbaden.com.br/microcervejaria/badenbadentour/),  faça a visita e depois me conte como foi. Se ainda estiver sóbrio….. Brincadeirinha…. Mas é um passeio que vale a pena!!!!

Cervejaria Baden Baden
Segundo dizem: Família que bebe unida, permance unida…
Chocolate Araucária
Fábrica de Chocolate Araucária

Sei que você já passeou bastante, está chegando a hora de ir embora, mas para fechar esse roteiro e ficar com um gostinho de quero mais, que tal apreciar um belo chocolate? São muitas opções de chocolaterias em Campos, como a Montanhês (http://chocolatemontanhes.com.br/ )a  Cacau Show, entre outras.  Mas o que você acha de visitar uma fábrica de chocolate  para conhecer todo o processo de como é feita essa delícia?  Esse tour é realizado por Chocolate Araucária (http://www.chocolatearaucaria.com.br/site/visite/ ) depois dessa aula é só partir para a degustação e passar na lojinha pra levar alguns pra casa…

Agradeço de coração sua companhia nessa viagem e  espero que essas dicas possam te ajudar a curtir ainda mais Campos do Jordão. E quando voltar, se puder, conte como foi. Estou ansiosa pra saber…

Turistando no Parque do Ibirapuera

Está visitando a cidade de São Paulo ou é morador daqui, tem uma folguinha e não sabe o que fazer?
Eu te convido a me acompanhar nesse passeio pelo Parque do Ibirapuera (tenho certeza que você não vai se arrepender).
Esse pulmão de São Paulo ocupa uma área de 158 ha,  fica localizado na zona sul da capital (Avenida Pedro Álvares Cabral – Vila Mariana) e é aberto diariamente das 05h às Oh.

Ponte Ibirapuera
Cruzando a Ponte do Lago

É perfeito para quem quer estender uma toalha, fazer um pic nic e ficar apreciando os cisnes no lago. Para quem só quer relaxar e contemplar o visual. Para os esportistas é excelente para andar de bike, andar de patins, correr ou caminhar sozinho ou acompanhado de seu cão, enfim, motivos não faltam para desfrutar desse passeio.

Parque do Ibirapuera
Descansando um pouquinho para continuar a caminhada…
obelisco mmdc
Obelisco do Ibirapuera

Uma sugestão para complementar o passeio ao parque é visitar o Obelisco do Ibirapuera (https://parqueibirapuera.org/areas-externas-do-parque-ibirapuera/obelisco-do-ibirapuera/) Que na verdade é um Mausoléu em homenagem aos Heróis da Revolução Constitucionalista de 1932 (M.M.D.C. – Martins, Miragaia, Drausio e Camargo e muitos outros  combatentes que conforme a placa “Viveram pouco para morrer bem, morreram jovens para viver sempre”). Além das urnas funerárias e vídeos explicativos, o interior desse monumento de 72m de altura possui capelas com cenas da vida de Jesus Cristo retratadas em belíssimos mosaicos.

Interior Obelisco do Ibirapuera
Capela do Obelisco

Se você está procurando cultura, o Parque do Ibirapuera também é uma excelente opção, conta com vários museus, que sempre trazem exposições muito interessantes. Vou começar falando do MAM (Museu de Arte Moderna), que foi fundado em 1948 por Francisco Matarazzo Sobrinho e ocupou várias sedes até se instalar em 1968 na Marquise do Parque. Seu acervo é significativo (mais de 4000 obras), bem como sua biblioteca, além de oferecer cursos e visitas educativas. Tudo isso para que a arte esteja cada vez mais próxima do público, como na exposição que fui no ano passado: “Cidade da Língua: Bompas&Parr”, onde cada sentido era trabalhado relacionado ao alimento, numa  instalação, por exemplo, o mesmo tipo de chocolate era degustado em várias estações com trilhas sonoras diferentes, e por mais incrível que pareça, o sabor mudava… Quer saber mais sobre a programação e exposições atuais? Dê uma olhadinha no site: http://mam.org.br/

Cidade da Língua Bompas &Parr
Fonte da Exposição Cidade da Língua
Bompas & Parr
Aos sons e sabores

 

 

 

 

 

 

 

Outro museu que vale muito a pena conhecer é o MAC (Museu de Arte Contemporânea), que fica em frente ao parque na Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301 (se você estiver dentro do parque é só atravessar a passarela que já está lá). Ele foi criado em 1963 (desde 2012 ocupa o prédio atual), pertence à Universidade de São Paulo e conta com cerca de 10 mil obras. Também oferece cursos, eventos, biblioteca e exposições incríveis. Para ficar por dentro de tudo que acontece no MAC USP é só conferir o site: http://www.mac.usp.br/mac/

Logo que você chega no MAC já é recepcionado(a) por esse gatinho (“Um Amor sem Igual, 2011″  de Nina Pandolfo). Eu que sou gateira me apaixonei… Depois me encantei por várias obras, como não dá pra postar tudo, escolhi essas…

Zootécnico Elefante
Elefante em espuma – “Zootécnico, 2009” de João Loureiro
Rosácea
“Rosácea, 1984” de Maria Bonomi

 

 

 

 

 

Continuando nosso tour, um passeio indispensável é na OCA: um pavilhão de exposições dentro do parque que foi projetado por Oscar Niemeyer em 1951 e desde 2017 integra os edifícios do Museu da Cidade. Sua arquitetura peculiar já é um convite para a visitação e as exposições que ela abriga são sempre surpreendentes, desde a arte chinesa (“China Arte Brasil”), arte sacra (“Esplendores do Vaticano – Uma Jornada Através da Fé e da Arte”) e arte dos mayas  (“Mayas: revelação de um tempo sem fim”), passando pelo corpo humano (“Corpos – A Exposição”) e até homenageando o nosso rei da música, o cantor Roberto Carlos (“Roberto Carlos – 50 Anos de Música”), enfim, toda essa infinidade de temas, regadas com riqueza de detalhes e excelentes curadorias acendem a lanterna da curiosidade para saber qual será a próxima exposição… Mais detalhes podem ser encontrados no sites: http://www.museudacidade.sp.gov.br/oca.php e https://parqueibirapuera.org/equipamentos-parque-ibirapuera/oca-do-ibirapuera/

A última exposição que visitei na OCA foi Art of the brick “ de Nathan Sawaya, mais conhecida como Exposição de Esculturas de Lego, um trabalho excepcional desse artista, que inicia a exposição nos mostrando numa projeção que “Sonhos são construídos… uma peça por vez”. A partir daí vai nos surpreendendo com a qualidade e perfeição da sua arte (cada nota explicativa das obras, além do nome, trazia a quantidade de peças de lego utilizadas e uma frase que nos instigava a refletir não só sobre a obra, mas principalmente sobre nós). Como você  já percebeu, eu amo fotos, queria postar todas aqui e contar o que cada uma representou para mim, mas ninguém teria paciência para ver, então vou mostrar  só duas…

The Art of the Brick na OCA
Uma pausa para reflexão
Dinossauro de Lego
Dinossauro de Lego -“Dinosaur” de Nathan Sawaya

 

 

 

 

 

No mesmo dia que fui nessa exposição, tive sorte que também estava acontecendo a 32ª edição da Bienal de Artes de São Paulo, que é realizada no Pavilhão da Bienal (ou Pavilhão Ciccillo Matarazzo – mais um dos prédios do Parque do Ibirapuera que foi projetado por Oscar Niemeyer e que já compensa a visita por sua riqueza arquitetônica). Além de exposição de artes, esse pavilhão recebe vários eventos, entre eles a “Mostra Viajar”, uma verdadeira viagem pelos roteiros através de seus sabores, sons, experiências virtuais, entre outros recursos que encantam e fazem você querer voltar na próxima (fui em 2017, 2018 e já estou esperando pela próxima). Mais informações sobre os eventos do Pavilhão da Bienal podem ser vistos no site: http://www.bienal.org.br/ E voltando a falar da Bienal de Artes, o tema era “Incerteza Viva” e nos estimulava a sermos mais questionadores e estarmos atentos a tudo ao nosso redor, aguçando nossos sentidos…

Mostra Viajar 2017
Aquele Axé da Baiana Marli
Bienal de São Paulo
Ouvindo o Parque na Bienal

 

 

 

 

 

 

Pensa que acabou? Ainda não!!!! Você pode aproveitar para visitar o Museu Afro Brasil, que também fica dentro do parque próximo ao portão 10. Foi inaugurado em 2004 e possui mais de seis mil obras em seu acervo que retratam a importantíssima cultura afro e como ela nos influencia. Toda a programação e informações sobre o museu estão disponíveis no site: http://www.museuafrobrasil.org.br/

Sobrou mais um tempinho? Não deixe de se encontrar e se encantar com as estrelas do Planetário do Ibirapuera (ou Planetário Professor Aristóteles Orsini)que foi inaugurado em 1957 (mas precisou ser fechado para reformas em 2013 e foi reinaugurado em 2016) e conta com sessões às sextas, sábados, domingos e feriados. É só conferir o horário certinho e se programar http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/umapaz/planetario_ibirapuera/programacao/index.php?p=228020

Que São Paulo é uma cidade cosmopolita nós já sabemos e que conta com uma forte imigração japonesa também. Mas você sabia que dentro do Parque do Ibirapuera tem um pavilhão dedicado a essa cultura tão rica? É isso mesmo: o Pavilhão Japonês (https://parqueibirapuera.org/equipamentos-parque-ibirapuera/pavilhao-japones/). Ele foi inaugurado em 1954 e ganhou uma placa comemorativa em 1995 para celebrar o centenário da amizade Brasil – Japão.  É cobrada uma taxa de visitação (quando fui estava R$ 10) que dá acesso a todo o complexo, formado pelo jardim tradicional (com diversas árvores e plantas), pelo jardim zen (que é lindo e transmite muita paz), pelo museu (que apresenta excelentes referências da cultura oriental, como pinturas, peças de cerâmicas, bonecas de porcelana e vários outros objetos) e pela parte mais graciosa (segundo minha singela opinião): o lago das carpas, que você pode alimentar com ração específica adquirida no próprio museu.  Elas são tão lindas e encantadoras, que dá vontade de ficar ali o tempo todo só contemplando esse presente da natureza…

Jardim Zen Pavilhão Japonês Ibirapuera
Em paz no Jardim Zen
Pavilhão Japonês Ibirapuera
Alimentando as carpas

 

 

 

 

 

Parque do Ibirapuera
Dia de Sol no Ibira

Gostou do passeio? Espero que tenha aproveitado e que se divirta muito na sua visita ao Ibira (apelido carinhoso que o chamamos). Se quiser mais informações sobre o parque e também sobre todo o trabalho de conservação e preservação é só acessar o site: https://parqueibirapuera.org/

Ah! Agora me conta conta como foi sua vivência no parque e qual dica legal pode nos passar 😉

 

 

 

 

 

 

Experiências no Uruguai

Imagine uma viagem internacional, a apenas três horinhas de vôo, com direito a treinar o idioma espanhol, ter contato com uma nova cultura, repor o estoque de perfumes no Duty Free e por um preço bem acessível… Esses foram alguns dos motivos que despertaram meu interesse em conhecer o Uruguai, mas depois desse post você vai perceber que razões para visitar esse país não faltam e vai se surpreender com tudo que esse vizinho tem a nos oferecer.

Agora vou compartilhar com você as minhas experiências de viagem de uma semana (mais precisamente seis dias) lá. Confesso que foi bem corrido, mas deu pra aproveitar bastante e conhecer muitos lugares. Vou mostrar o meu roteiro, que inclui, além da capital, Montevidéu, duas cidades que são excelentes pontos turísticos: Punta del Este e Colonia del Sacramento.
Vamos começar nossa viagem?

Roteiro do Primeiro Dia – City Tour e Jantar Show 

Quem me acompanhou nessa viagem foi a minha irmã, saímos de São Paulo às 7h30 da manhã e chegamos lá pouco depois das 10h (voo direto da Latam). Já havíamos contratado o transfer para fazer o traslado do aeroporto até o hotel na mesma agência que fechamos o pacote de hospedagem e aéreo (New Age Tour – através da Polinésia Turismo).  Chegamos no Palm Beach Plaza Hotel (Jaime Zudañes, 2881 – Pocitos) por volta das 11h30 da manhã. A diária ainda não havia começado, mas como tinha quarto disponível foi liberada a hospedagem.

Chivito Uruguaio
Olha o tamanho do Chivito Vegetariano

Deixamos as bagagens no quarto e fomos almoçar no Restaurante Fans Café (Juan Benito Blanco, 866 – http://www.fans.com.uy/), onde pudemos provar um dos pratos típicos uruguaios que é o chivito, um hambúrguer com fritas como nós conhecemos, porém muito recheado (é preciso comer com talheres porque não cabe na boca) e para minha alegria tinha opção a vegetariana!!! De sobremesa pedimos a Copa Fans, que é uma taça de sorvete de creme com a base de doce de leite, cobertura de chocolate e wafer (uma delícia).

Voltamos rapidamente para o hotel porque nosso City Tour estava marcado para às 14h. Nesse passeio tiramos a tradicional foto no Letreiro de Montevidéu, que fica na Playa de Los Pocitos, também passamos por toda a Rambla do Rio de La Plata, que é a orla da “praia”. Passamos pela Plaza Independência e todo o Centro Histórico, pelo Mercado Agrícola, pelo Parque Rodó (parecido com o Parque do Ibirapuera em São Paulo), pelo Estádio Centenário e pelo Bairro Carrasco (que é o mais chic da cidade, onde fica o Cassino Carrasco – que voltamos em outro dia, só para tentar a sorte…).

Letreiro Montevideo
Foto de drone pra começar o passeio em grande estilo
Candombe El Milongón
Animação total no Candombe

À noite fomos para o Jantar Show no Restaurante El Milongón (www.elmilongon.com.uy), com duração de aproximadamente três horas e que conta com apresentações folclóricas, de tango e de candombe (dança típica uruguaia), além da refeição maravilhosa, que já estava inclusa no ingresso para o show. Para celebrar nosso primeiro dia de viagem, nada melhor que um brinde com a bebida típica uruguaia: o Medio & Medio, um vinho espumante.

Medio & Medio
Viva la Noche Uruguaya

Roteiro do Segundo Dia – Punta Del Este

Com certeza esse é um dos roteiros mais conhecidos do Uruguai, Punta Del Este fica cerca de 130km de distância de Montevidéu, aproximadamente duas horas de carro. Como opções para se chegar até lá, é possível alugar um carro, pegar um ônibus de linha da empresa COT ou fechar o passeio com um receptivo local (preferimos essa última para ter mais informações turísticas sobre o lugar). E há também quem prefira ir direto de avião pra lá, a cidade tem um aeroporto bem bonito, que costuma receber muitos turistas na temporada de verão.

Nosso passeio começou bem cedo, o ônibus passou para nos buscar no hotel antes das 8h da manhã. Nossa primeira parada foi no Cerro Santo Antônio na cidade de Piriápolis, a vista do mirante é incrível. Depois continuamos seguindo viagem até o Museu Casapueblo (https://casapueblo.com.uy/), aquele cartão postal lindíssimo construído por Carlos Páez Vilaró, que inspirou seu amigo Vinícius de Moraes a compor a música “A Casa”. Vale muito a pena a visita ao museu, além de conseguir tirar lindas fotos, é possível descobrir várias curiosidades, como a amizade a citada acima, o que a Casapueblo tem de semelhança com o Brasil, entre outras.

Casapueblo
Foto clássica no Museu Casapueblo não pode faltar

Nosso roteiro continuou com a visita ao Bairro Beverly Hills, não é só coincidência de nomes, o bairro é o reduto das mansões e da elite como nos Estados Unidos. Passamos pela Ponte Ondulada, um cartão postal de Punta del Este que dá um friozinho na barriga ao atravessar (é bem divertido e dá vontade de repetir o percurso várias vezes).

A parada para o almoço foi no Restaurante Napoléon, onde minha irmã pode provar o peixe brotola (que é típico da região e sem espinha) e eu o delicioso ravióli de abóbora e de sobremesa pedimos profiterole (pão recheado com sorvete e cobertura de chocolate – vale muito a pena experimentar). Para queimar essas calorias, fomos caminhando até o Farol de Punta del Este, depois ao Porto e a Igreja de Nossa Senhora da Candelária que ficam bem próximos ao restaurante.

O passeio continuou beirando o mar, onde pudemos ver a divisão entre o Rio de la Plata e o Oceano Atlântico (simbolizada por uma âncora).  Seguimos em direção à Praia Brava, onde fica outro cartão postal bem famoso de Punta Del Este: o Monumento Los Dedos ou La Mano, que na verdade foi uma obra vencedora de um concurso e representa “a interação do homem à natureza”, e não “a mão do afogado “(segundo informações locais esse significado daria uma conotação muito triste a uma obra tão bela…).

Los Dedos
Tocando Los Dedos

Também nessa praia está localizado um importante centro comercial, com muitas lojas, artesanato e restaurantes, que costumam lotar no verão, mas como fui na primavera, poucos estabelecimentos estavam abertos. Conclusão, as compras e lembrancinhas tiveram que ficar pra outro dia…

Na volta à capital, optamos por desembarcar no Montevideo Shopping (paulistana que se preza não perderia a oportunidade de ir ao shopping) https://www.montevideoshopping.com.uy/.  É um belo empreendimento no bairro de Pocitos, com uma boa variedade de lojas, cinemas, preços razoáveis e o melhor: fica ao lado da Lotus Club (uma balada top que iríamos no dia seguinte…).

Roteiro do Terceiro Dia – Colonia Del Sacramento

Porta do Campo Colonia Del Sacramento
Ao atravessar a Porta do Campo, uma viagem ao passado

Quando comecei a pesquisar sobre passeios no Uruguai, um que me chamou bastante a atenção foi Colonia Del Sacramento: uma cidade protegida por uma muralha de pedra com um portal parecendo de filme medieval, com direito a um farol, ruínas e ruas de pedras… Essa viagem no tempo realmente foi encantadora.

O ônibus nos pegou no hotel em Montevidéu bem cedo (afinal são cerca de 180km até chegar em Colônia del Sacramento), a primeira parada foi para um coffee break no Hotel Nirvana Resort & Spa Colonia Suiza (http://www.hotelnirvana.com/), fiquei impressionada com a beleza desse lugar e com a preocupação com a sustentabilidade: várias placas de captação de energia solar, reaproveitamento de água, horta própria, enfim, se tiver a oportunidade, vale a pena conhecer.

Continuamos o passeio pela Plaza de Toros (uma espécie de estádio ou arena que foi construído para touradas, mas que logo em seguida, por sorte, foram proibidas – porém o lugar está abandonado, a arquitetura é muito bonita, poderia ser aproveitado para outros tipos de eventos, como shows, por exemplo) e pelo Letreiro de Colonia, até chegarmos à parte murada que fica no centro de Colonia del Sacramento, onde estão as ruas de pedras (bem parecidas com as da cidade histórica de Paraty no Rio de Janeiro) como a Calle de Los Suspiros e a Calle de Solis.

Calle de Solis
Apreciando a Arquitetura Portuguesa na Calle de Solis

Passeamos pela  Plaza Mayor, pela Basílica do Santíssimo Sacramento, visitamos o Aquário (http://www.coloniauy.com/acuario-de-colonia-del-sacramento/), as Ruínas do Convento de São Francisco e a imperdível vista do Farol de Colonia del Sacramento (o ingresso para a visita no interior do farol custa $ 25 pesos uruguaios e tem alguns horários pré-definidos, é bom dar uma passadinha lá logo que chega ao centro histórico para já se programar). E posso assegurar que compensa subir mais de 100 degraus para ter essa visão privilegiada.

 Farol Colonia del Sacramento
A imponência do Farol de Colonia del Sacramento

 

Farol Colonia del Sacramento
Encantamento com a vista….

 

No retorno para Montevidéu, fizemos uma parada na Granja Arenas (http://granjacolonia.com.uy/), onde tivemos a oportunidade de conhecer Emilio Arenas (uma simpatia de pessoa e grande colecionador de lápis do Guinness Book), além do passeio pela coleção de lápis, chaveiro e frascos de perfume, pudemos degustar o delicioso doce de leite (que também é um ícone da culinária uruguaia).

Castillo Pittamiglio
Fachada do Castillo Pittamiglio em Montevidéu

Desembarcamos do ônibus na parte do centro histórico e pegamos um táxi (vale ressaltar que o motorista foi super gentil e rápido) para que pudéssemos chegar a tempo até o Castillo Pittamiglio (https://castillopittamiglio.org/), onde teria uma visita guiada às 20h contando as lendas do Castelo que foi construído pelo alquimista Humberto Pittamiglio e um show de mágica. Vale muito a pena conhecer, cada detalhe da construção tem um motivo. Cada cantinho é precioso…

 

Lotus Club
Hora de curtir a night 😉

Para fechar a noite de sábado com chave de ouro, fomos na balada Lotus Club (aquela próxima ao Montevideo Shopping que mencionei anteriormente), um ambiente super gostoso, que toca música pop, latina e eletrônica (começa à 1h da manhã, mas compensa conhecer). Dormir? Só quando voltar para o Brasil…

 

 

Roteiro do Quarto Dia – Bus Turístico

Mesmo já tendo feito o city tour, eu adoro esses ônibus que fazem o circuito turístico, com direito a narração em vários idiomas entre os pontos de parada, sempre é possível complementar as informações locais. Em Montevidéu, esse roteiro fica por conta do Bus Turístico (https://www.busturisticomontevideo.com.uy/).

Bus Turistico Montevideo
Pronta para começar o tour!!!!

Para aproveitar mais, optamos por pegar o ônibus desde a parada inicial (às 9h30) no Mercado del Puerto. Para chegar até aí pegamos um ônibus normal próximo ao hotel (a passagem custa $33 pesos uruguaios). Dentre as diversas paradas, pudemos visitar a Puerta de la Ciudadela (um portal que fica na Plaza Independência e é um marco da Cidade Velha – centro histórico de Montevidéu), a Estátua do General Artigas, a Plaza Constitución e a Catedral Metropolitana de Montevidéu.

Mirador Intendencia Montevideo
Vista deslumbrante da Prefeitura

Aproveitamos para fazer a visita guiada ao Teatro Solis (os horários estão no site: http://www.teatrosolis.org.uy). E ainda pudemos ver uma exposição de figurinos no subsolo do teatro, o que enriqueceu ainda mais nosso passeio. Nossa próxima parada foi no prédio da Prefeitura, mais conhecido como Intendencia de Montevideo, onde tem um mirante maravilhoso!!!

Seguimos pela Avenida 18 de Julio (principal avenida do centro e que representa a modernidade em contraponto com a Cidade Velha) para o Bar Facal, onde fica a Estátua de Carlos Gardel (há uma “briga” entre uruguaios e argentinos pela nacionalidade dele) e a Fonte dos Cadeados (diz a lenda que se o casal prender um cadeado lá, ficarão juntos para sempre…).

Milanesa
Alguém se habilita a ajudar minha irmã nessa difícil missão?

No tour, passamos por vários monumentos, como: o Monumento La Carreta e o Monumento a La Diligencia. Não resistimos e demos uma paradinha no Shopping Tres Cruces (localizado no terminal rodoviário) e terminamos o roteiro no Punta Carretas  Shopping (que é o mais top) e foi lá, no Restaurante Blás, que minha irmã provou outra comida típica uruguaia: a Milanesa Napolitana (um bife à parmegiana gigante, com uma base de batata e molho como a nossa maionese de churrasco, acompanhado de fritas e salada), o prato serve muito bem duas pessoas, mas ela teve que aguentar sozinha porque sou vegetariana. Conclusão: voltamos caminhando para o hotel para ver se queimava um pouco das calorias….

Vale lembrar que o Bus Turístico é bem pontual, eles entregam a tabela de horário das paradas e seguem à risca (o despertador do celular foi nosso grande aliado nesse sentido). Atente-se também para definir quais as paradas que pretende desembarcar porque não dá tempo de descer em todas, a menos que você compre o ticket de 48h do bus, assim pode desmembrar o passeio em dois dias.

Roteiro do Quinto Dia – Palacio Legislativo e Vinícola Bouza

Aposto que você já ouviu falar da qualidade dos vinhos uruguaios e está se perguntando se deixei “a melhor parte” de fora. Pode ter certeza que não!!!
Mas antes de encher o caneco (ou melhor, as taças), fomos visitar o Palacio Legislativo e almoçar no Mercado del Puerto!!

Nosso dia começou com a visita guiada ao Palácio Legislativo (https://parlamento.gub.uy/sobreelparlamento/palacio/visitas) – uma belíssima obra arquitetônica que abriga a Câmara dos Deputados e a Câmara do Senado. A parte externa já chama a atenção pela sua imponência, mas o interior é ainda mais encantador, tanto a escadaria quanto a “Sala dos Passos Perdidos” (um enorme hall entre as duas câmaras) são revestidos de mármore uruguaio e contam com vitrais, pinturas e esculturas. A visita é bem completa, tem a opção de guia em português  e nos permite entrar na Câmara dos Deputados e do Senado, além da Biblioteca que é riquíssima, tanto em acervo, quanto em estilo.

Palacio Legislativo Montevideo
Ansiosa para adentrar ao Palácio Legislativo
Palacio Legislativo Montevideo
Perfeição é o que define a Sala dos Passos Perdidos…

 

 

 

 

 

El Palenque Parrillada
Está servido?

Depois de uma incrível aula de história, nada melhor que uma bela refeição para repor as energias. Pegamos um táxi e fomos para o Mercado del Puerto, dentre tantas opções de restaurante, escolhemos o El Palenque para que minha irmã pudesse provar a parrillada (o churrasco é feito em uma grelha diferente) e para minha sorte tinha opção vegetariana a paella vegetariana!! 

Plaza Gomensoro
Que praça mais linda!!!

O Mercado del Puerto também é uma boa pedida para comprar as lembrancinhas, tem muitas opções de camisetas, artesanato, alfajor e bebidas. Passamos rapidinho no hotel para deixar algumas comprinhas e enquanto esperávamos o receptivo para nos levar à vinícola, aproveitamos para tirar fotos na Plaza Gomensoro, que fica em frente ao hotel e permite uma vista linda da Rambla do Rio de la Plata.

Sabia que você estava numa ansiedade pelo próximo passeio… Visitação à Vinícola com Degustação é sempre um roteiro procurado e em Montevidéu não foi diferente. Existem outras vinícolas que fazem esse tour, mas optamos pela Vinícola ou Bodega Bouza (http://www.bodegabouza.com/)   que fica a uns 25 km do centro, cerca de meia hora.  Começamos o passeio pela plantação das uvas, mais especificamente da Tannat, que são as principais dessa vinícola. A guia nos contou tudo sobre o plantio e a colheita e depois nos levou para a adega, onde nos mostrou vários tipos de barris (até os de concreto que eu nunca tinha visto), nos explicou todo o processo de fermentação e armazenamento e nos conduziu ao restaurante para que pudéssemos provar na prática o que ela nos explicou na teoria. A degustação começou do mais suave para o mais forte, sempre nos fornecendo dicas de harmonização com os queijos e frios.

Uva Tannat Bodega Bouza
Aprendendo sobre o cultivo da uva tannat
Bodega Bouza
Finalmente a degustação!!! Brindemos!!!

 

 

 

Casino Carrasco
É o momento de arriscar…

Pra fechar a noite, não custa tentar a sorte no Casino Carrasco!!! Vale a pena visitar, o interior é lindíssimo, mas não permitem fotografar. E só pra matar sua curiosidade não ganhei nada…

 

Roteiro do Sexto Dia – Torre da Antel, Palácio Salvo e Museu do Tango

Torre Antel
Torre Antel

No city tour e também no caminho para outros passeios sempre nos deparávamos com a imponente Torre da Antel (torre da principal empresa de telecomunicações), um prédio de mais de 157 metros de altura que possui um mirante no seu 26º andar e que lembra o design de muitos prédios de Dubai. Vimos no site os horários das visitas guiadas (http://www.antel.com.uy/institucional/nuestra-empresa/complejo-torre/visitas-guiadas) e fomos até lá de ônibus.

Torre Antel Mirador
Mirador da Torre Antel
Palacio Salvo
Palacio Salvo

Seguimos nosso passeio em direção ao Palacio Salvo, que fica na Praça da Independência.  Sua construção de 1928  foi inspirada na Divina Comédia de Dante Alighieri e com o propósito de ser um hotel, porém não deu certo e hoje é um edifício residencial e comercial. Sua arquitetura é belíssima, fizemos uma visita guiada (https://www.facebook.com/visitasenelsalvo/)  e nos impressionamos com a riqueza de detalhes e a simbologia de vários elementos do prédio, além da vista maravilhosa da praça.

Palacio Salvo
Encantada com a beleza da escadaria do Palacio Salvo
Palacio Salvo
Vista Privilegiada da Praça Indepência pelo MIrante do Palacio

 

 

 

 

 

 

 

Aproveitamos também para visitar o Museo del Tango, localizado no subsolo do Palacio Salvo (o ingresso para as duas visitas custa 200 pesos uruguaios), onde pudemos conhecer um pouco mais da história desse estilo musical e também de Gerardo Hernán Mattos Rodríguez, o autor de La Cumparsita (http://www.lacumparsita.com.uy/), o tango mais famoso do Uruguai.

Para encerrar nossa visita a esse país tão acolhedor, fomos almoçar no restaurante que fica no topo do Hotel Radisson Montevideo Victoria Plaza (https://www.radisson.com/montevideo-hotel-uy-11100/urumont). Uma bela refeição com direito a champanhe e a um novo ponto de vista da Praça Independência foi uma excelente despedida que deixa aquele gostinho de quero mais…

Hotel Radisson Montevideo
Me despedindo de Montevidéu em grande estilo

Depois voltamos rapidinho para o hotel para pegar nossa bagagem e esperar o transfer para o aeroporto.

Foi um prazer dividir essa viagem com você!!! Muito obrigada pela companhia!!! Espero ter ajudado de alguma forma para o melhor aproveitamento da sua viagem. Se puder compartilhar suas experiências aqui e passar mais dicas ficarei muito feliz!!!

Bem-vindos às vivências de viagem

O lugar pode ser o mesmo, mas a experiência é única!
Cada viagem nos proporciona vivências que são únicas e sempre acrescenta algo a nossa bagagem de vida!
Eu amo viajar e desde o momento que começo a pensar na próxima viagem, meu coração já dispara e começa a euforia, pesquisas e mais pesquisas na internet buscando os melhores lugares para conhecer, as dicas de hospedagem, transporte, enfim, quero aproveitar ao máximo o lugar, com a quantidade de tempo disponível que tenho e gastando o que é justo.
Nesse blog quero dividir e trocar experiências de viagens com vocês!
Além de passar dicas de passeios bem legais na minha querida cidade de São Paulo! Porque quando não estou turistando em outro lugar, procuro ser turista aqui!
Me acompanha nessa viagem?